UNIVERSO POLYANA: Chegamos aos três!

21.11.2013 – Às 6h eu já levantava pela terceira vez. Uma pressão na barriga, uma vontade de ir ao banheiro, um incômodo diferente e uma sensação completamente nova e inexplicável. Era 21 de Novembro de 2010.

– Amor, levanta, me ajuda a monitorar e ver se o que estou sentindo são as contrações.

Meu obstetra me pediu para eu ir até a Maternidade de Campinas. Nos encontraríamos lá. No meio do caminho, uma pressão, uma vontade de gritar, de xingar, de sair correndo. Era um lindo dia de domingo, o céu estava tão azul quanto hoje, e meu coração já sentia: Miguel estava a caminho. Chega de ficar na barriga, eu quero conhecer o mundão que existe aí fora!

Miguel nascendoÀs 12h15, depois de ouvir por 3 vezes “vai, mais uma vez, força!” eu senti ele nascer. E, ao pegá-lo com minhas próprias mãos, e tentar colocá-lo bem próximo de mim, ainda com o cordão umbilical conectado, eu disse “oi filho, bem-vindo”… e do chorinho forte, um silêncio. Ele reconheceu minha voz! Eu finalmente me tornara mãe!

Mais do que presentes, mais do que momentos, hoje, que meu filho completa 3 anos, eu gostaria de deixar meu relato, minhas palavras, uma lembrança!

Quantos momentos vivemos em apenas 3 anos! Quantas fraldas, quantos choros, quantas dúvidas, quantos aprendizados, quantas alegrias. Você segurou pela primeira vez o Pato do Pocoyo. Com suas próprias mãos, olhava atento para aquele boneco de plástico, e tentava levar para sua boca. Tudo você mordia!

Depois veio o primeiro sorriso, a primeira gargalhada, o primeiro suquinho, a primeira papinha, a primeira palavra, os primeiros passos! A primeira febre, o primeiro dodói, a primeira infecção, o primeiro dia de aula…

…E quando você disse “mamãe” pela primeira vez eu me esqueci de tudo lá fora e percebi o quanto é bom ser mãe, mãe do Miguel, que me ensina a ser alguém melhor todos os dias, que me faz perder o sono mas me anima com um simples sorriso, um cativante olhar, um delicioso abraço.

Nesses últimos meses, uma chuva de palavras, de frases, de histórias. Você se apaixonou pelo Pocoyo e juntos decoramos todos os episódios do DVD. Depois veio o Pingu e você pareceu entender aquela língua de pinguim, e ria de todas as palhaçadas. Daí veio a fase das bolas, todas elas. Você parece gostar de todos os esportes com bola: futebol, basquete, volley, ping pong, taco, tennis. E sabe o nome de todos! Será que você vai ser um esportista, filho? Tá certo que seu pai te viciou no Palmeiras, mas só hoje eu entendo que mesmo que não seja o nosso time oficial, a mãe de verdade não liga!

Depois veio a fase dos carrinhos. Centenas de hot wheels espalhados pela casa, pelo carro, pelo banheiro. A gente encontra esses carrinhos em tudo quanto é canto da casa. E claro que a pista grudada na parede foi uma das melhores invenções para quem mora em um apto de 60m². Eles invadiram a decoração da sala, na parede principal. Mas a sua alegria em pegar cada um deles, e andar pelo apartamento todo, subindo e descendo o sofá, as cadeiras, as banquetas, não tem preço!

Para minha aflição, por não saber como lidar exatamente, chegou a fase das arminhas, das lutas, dos super Miguel-Super-Man-heróis. O Batman, o Homem Aranha e o Super Man são os seus preferidos, mas você sabe que o preferido do seu pai é o Homem de Ferro. Capas, espadas, máscaras e fantasias fazem parte do seu mundo e da sua fantasia. Você sabe direitinho como entrar no faz de conta e no final diz “é brincadeira, mãe”.

Você é um menino de ouro, filho. Como diz a Tia Mi, um pequeno Lord! ahahah. Você é educado e sabe todas as palavrinhas mágicas, para a alegria da Si Martins. Mas você também tem personalidade forte como um bom sagitariano. Você sabe o que quer!

Também chegou a hora de dizer tchau para o mamá da madrugada. Filho, não dá mais para acordar toda noite e pedir o mamá. A mamãe está tentando te ensinar que o leitinho é só antes de dormir e depois sóóóóóó quando o sol estiver na janela. Você diz “tá bom, mãe” mas na madrugada parece esquecer do nosso combinado… ahahahah. O pepê da hora de dormir também estamos negociando em dar para o Papai Noel. Horas você acha uma “boa ideia” e horas “boa ideia não”. Temos mais um mês pela frente para conversar sobre esse assunto, tá?

Ouvir “minha mãeeee” e sentir aquele abraço apertado quando te pego na escola, após 8h longe é a certeza de que você é o melhor presente das nossas vidas. Sim, é claro que, como mãe, às vezes, fico irritada, sem paciência e preciso pensar com a razão, ao invés do coração, mas queria que soubesse que te amo muito, hoje e todos os dias da minha vida. Aproveite seu dia, filho!

 

Feliz Aniversário!!!!! Assopra a vela, Miguellll 🙂

 

Assista como foram os minutos antes do parto:

Assista também ao vídeo do primeiro ano de vida do Miguel:

 

Porque comemorar é sempre delicioso!

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 135 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Tambm