UNIVERSO POLYANA: Ir de meia pra escola?

08.10.2013 – Toda terça meu marido joga bola. E, na maioria das terças, eu e Miguel vamos para a casa da vovó desfrutar deliciosos momentos com ela e minhas irmãs.

A gente toma lanche, coloca o papo em dia, da risada com as crianças e, muitas vezes, trabalhamos no Mães Amigas enquanto os netos brincam com a vovó e a tia Gabi.

Mas, dessa vez não trabalhamos! Foi condição primordial do Hector, meu sobrinho, que disse para minha irmã: “Mamãe, eu não quero que a Tia Poly vá porque se não vocês vão trabalhar. Mas o Miguel pode ir, tá?” Ahahahah. Adoro essa sinceridade das crianças! Então, hoje foi dia de apenas se divertir!

Com o cair da noite, junto com a chuva e o frio, a preguiça bateu e preferi dormir na casa da minha mãe. Marido tinha churrasco nesse dia, então eu sabia que ele chegaria mais tarde do que o usual. E eu também adoro dormir na casa da minha mãe! Me lembra, inclusive, dos tempos de “namoro” com o marido.

Bom, no dia seguinte liguei para o marido logo cedo e dei as instruções do que ele deveria colocar na mochila do Miguel. Muito fácil: um kit uniforme de frio (calça e blusa de manga) e o tênis, pois o Miguel cismou que queria usar chinelo, então esse era o único calçado disponível na minha mãe!

Na hora de sair da casa da minha mãe, eu não sei como é com vocês, mas comigo é um processo.

– Filho, vamos colocar o uniforme?
– Não, mãe.
– Filho, vamos, ajuda a mamãe. (e ele se vira, sai correndo, tira a meia, mas nada que 20 minutos não resolva…)
– Filho, vamos?
– Ainda não mãe, deixa terminar esse desenho.
– Filho, terminou, vamos.
– Sim. Eu desligo a TV.
– Filho, cadê sua meia? Você tirou?
– …

Pausa para colocar a meia que foi “penada”.

– Filho, entra no carro.
– Mãe, o que é isso? (e ele se abaixa no chão para pegar qualquer coisa que esteja visível)
– Filho, senta na cadeirinha, mamãe está atrasada.
– Mãe, olha o que eu faço! (e inventa de se pendurar no trequinho de mão acima da cabeça dele e se jogar na cadeirinha, parece um macaquinho)
– Filho, o cinto.
– Mãe, eu coloco.
– Filho, mamãe coloca.
– Não, mãe, eu coloco. (e leva 1 hora para juntar os dois cintos e encaixar no feixe)
– Mãe, quero chupeta.
– Não, filho, agora não é hora. Chupeta é para dormir.
– Mas, mãe, eu estou com sono! Quero dormir.
– Filho, você acabou de acordar, impossível estar com sono. Vamos cantar.
– Não, mãe, eu canto…

UNIVERSO POLYANA

E assim é a nossa rotina de todas as manhãs!

Fomos até minha casa, muito próximo da casa da minha mãe. Atrasada como sempre, é claro. Chegando à portaria, nem desço do carro, apenas pego a mochila e vou para a escola. Marido já tinha saído de casa para trabalhar. Todo tempo é precioso nesse momento.

Chegando à escola, desço do carro, abro a porta e lembro que Miguel está sem o tênis. Abro a mochila e nada. Cadê o tênis? Ligo para o marido:

– Oi amor, tudo bem?
– Tudo!
– Amor, você colocou o tênis do Miguel na mochila?
– Não, amor, esqueci “esse item”.
– Certoooo!!! “Só esse item”!
– …

Pausa para respirar fundo e perguntar para vocês!

Nesse exato momento, o que vocês fariam? rsrs

A) Dariam aquela cutucada no marido e voltariam para casa para pegar o tênis, de boa.

B) Pediriam “gentilmente” para o marido buscar o tênis, seja onde ele estivesse, e o aguardariam na porta da escola.

C) Deixariam o pitoco na escola de meia e pediriam para o marido se virar “nos 30” para deixar o tênis na escola, afinal, você também tem seus compromissos e precisa trabalhar.

D) Culpariam-se por não terem olhado se o tênis estava na mochila, no momento em que estivessem chegado à portaria.

E) Aceito, e adoraria, ouvir suas sugestões!

Ahahahahhahahaha

PS. Marido, eu te amo, tá?

Boa semana, meninas!

Dormir na cama dos pais? – Leia outra matéria do Universo Polyana

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 135 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Tambm