Teste do Pezinho Ampliado: qual a diferença?

18.02.2020 – O Teste do Pezinho é um exame de triagem feito logo nos primeiros dias de vida do bebê. A realização desse exame é muito importante, uma vez que busca detectar doenças que podem desencadear deficiência cognitiva, física e até mesmo levar à morte.

No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza o Teste do Pezinho Básico (obrigatório nas maternidades), que detecta seis doenças. No entanto, na rede particular, ainda dentro da maternidade, os pais têm o direito de optar pelo Teste do Pezinho Ampliado, que cobre até 48 doenças metabólicas, todas muito graves e que precisam do diagnóstico precoce para conduzir o paciente ao tratamento adequado, e ganhar qualidade de vida.

Fizemos algumas pesquisas e vamos compartilhar mais informações aqui. Confira:

Teste da Imunidade do Bebê (SCID/Agama)

Além das doenças metabólicas citadas acima, também é de grande importância fazer o rastreamento de doenças relacionadas à IMUNIDADE DO BEBÊ, permitindo detectar se o recém-nascido possui alguma imunodeficiência congênita (ou primária), hoje conhecidas entre os médicos como Erros Inatos da Imunidade. Para isso, existe o Teste da Imunidade do Bebê (SCID/Agama), que através do mesmo procedimento do Teste do Pezinho convencional, detecta dois grupos de doenças graves: Imunodeficiência Combinada Grave (SCID, do inglês Severe Combined Immunodeficiency) e Agamaglobulinemia (Agama), que compõem 25 doenças relacionadas diretamente ao sistema imunológico do bebê.

Essas doenças são genéticas e comprometem gravemente o sistema imunológico, uma vez que afetam o desenvolvimento das células de defesa do organismo chamadas de linfócitos T e/ou B. Assim, o bebê vai, invariavelmente, enfrentar infecções severas e de repetição, podendo evoluir para o óbito ainda no primeiro ano de vida.

Na grande maioria dos casos, o portador de SCID ou Agama apresentam aparência saudável ao nascer e os sintomas se iniciam entre o segundo e terceiro mês de vida, quando o bebê passa por complicações infecciosas por bactérias ou vírus. Dessa forma, o diagnóstico precoce é imprescindível para prevenir sequelas graves e permitir o tratamento adequado.

Doenças que tem cura e tratamento

No caso do SCID, o tratamento mais eficaz é o transplante de medula óssea. Se o bebê for transplantado antes do terceiro mês de vida, há 95% de chances de cura. Já a Agamaglobulinemia requer tratamento de reposição de imunoglobulina.

O exame de detecção precoce de SCID e Agama é oferecido por alguns laboratórios, que vale a pena você, mamãe, conferir antes de realizar o Teste do Pezinho Básico.

Além disso, associações de pais portadores de doenças raras vêm se mobilizando para que as versões ampliadas do Teste do Pezinho também sejam oferecidas na rede pública. O Instituto Vidas Raras, em parceria com outras organizações, criou uma petição online a favor da causa. O objetivo é recolher pelo menos 1 milhão de assinaturas e, assim, encaminhar um projeto de lei ao Congresso Nacional para garantir o acesso a essas versões.

Para garantir o futuro saudável do seu bebê, não deixe de fazer esses testes, que juntos cobrem 73 doenças que podem ser diagnosticadas precocemente. Com apenas algumas gotinhas de sangue é possível salvar vidas!

Fontes: Dr. Antonio Condino Neto – médico pediatra formado pela UNICAMP, laboratório Immunogenic, Sociedade Brasileira de Pediatria. 

 

Confira também:

5 perguntas sobre o Teste do Pezinho

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1951 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm