Ser mãe é a plenitude em minha vida!!!

Pela mãe amiga: Paty Fornier Costa

Filha: Iasmin – 6 anos

 

“Casei cedo, aos 22 anos por me sentir madura suficiente. Meu marido é 7 anos mais velho. Após 5 anos de casados, resolvemos engravidar!

Tentando por 1 ano e sem ter resultados positivos, chorando cada vez que menstruava e totalmente revoltada com Deus, busquei ajuda médica, onde descobri a tal Endometriose! Muito choro, desespero e agonia, por achar que não poderia ser mãe!

Perguntava a Deus o porque disso estar acontecendo comigo?

Acabei optando por fazer a cirurgia de limpeza do organismo e tomar Clomid para ovular. Só que durante essa minha descoberta da endometriose, descobrimos também um câncer maligno de mama na minha sogra. Só que era tarde demais, pois já estava em estagio bem avançado….e toda a atenção se voltou para a saúde dela, então acabei desencanando da gravidez!

Pra minha surpresa engravidei bem nessa fase! Foi uma alegria sem igual, comemorei muito mas ao mesmo tempo minha sogra estava indo embora aos poucos. Ao mesmo tempo que tínhamos muita alegria por gerar uma nova vida, estávamos com o sentimento da perda de uma pessoa muito querida por nós.

Aos 3 meses de gestação minha sogra faleceu. Após a turbulência neste primeiro trimestre de gestação começamos a curtir a nossa Iasmin. Ela foi uma criança muito desejada e tudo era surreal na minha vida.

Quando completei 7 meses de gestação tive pré eclampsia (pressão 18×14) e tive que tira-Ia as pressas de dentro de mim. Sofri pelo fato de não estar preparada por perder minha barriga que tanto amava (da para acreditar nisso?) e aprendi que nada é no nosso tempo….

A  Iasmin teve complicações no sistema digestivo, pelo fato de não ter os órgãos e o pulmãzinho amadurecido e teve o famoso refluxo até os 6 meses de vida. Mas, de lá pra cá, são apenas alegrias e curtições da filha tão desejada!

Hoje a Iasmin tem 7 anos e ha +- 1 ano eu estava tentado engravidar novamente. Não consegui, fiz ressonância e mais uma vez a endometriose toma conta de mim. Mas, desta vez, bem mais grave. Atingiu vários órgãos e o sigmoid (parede do intestino). Procurei por quatro especialistas e todos são da mesma opinião: cirurgia para remoção da lesão no intestino, seccionar intestino e talvez remoção do útero, ou seja, na medicina humana não tenho chances de engravidar naturalmente, mesmo após a cirurgia. Mas como todos dizem: pra Deus nada é impossível!

Após conversar com o meu marido, minha mãe e até mesmo minha filha, que é ricamente sábia, chegamos à conclusão de que minha vida materna se define apenas na minha IASMIN, a princesa de minha vida e a razão de meu viver!

Querendo ou não foi um sonho em querer ter uma irmã pra minha filha, mas o risco cirúrgico é maior….A cirurgia não é simples e não estou disposta a passar por isso. Foi uma opção minha pensando em dar o melhor de mim a criação de minha filha! Prefiro estar ao lado dela a não ter a certeza de continuar aqui!

Me sinto uma pessoa completa agora….amadureci, entendi a vontade de Deus e sinceramente? Tô curtindo cada dia com mais intensidade de poder VIVER e AGRADECER a Ele todos os dias pela minha saúde e por ter me abençoado com essa riqueza de criança!!!

(Muitas de vocês não a conhecem pessoalmente, mas parece um anjo enviado por Deus pra me alegrar!!!!) É uma criança linda, educada, inteligente, alegre….nossa é a filha que todos olham e comentam: “Eu queria uma filha assim!!! Te juro!”

“O SER MÃE PRA MIM É O MAIOR PRESENTE QUE DEUS PODE DAR A UMA MULHER! Valorizar cada olhar, cada sorriso, aquela voz gostosa dizendo: Mamãe… isso não tem dinheiro que pague!”

Hoje posso afirmar: SOU COMPLETA COM VOCÊ IASMIN!”

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 132 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Tambm