Pular com os dois pés é um dos sinal de desfralde?

16.09.2019 – Largar de vez as fraldas: eis aí um feito esperadíssimo pelos pais. Só que, como toda fase de transição, não há um manual de instruções para o desfralde que funcione com todos os baixinhos. Será que pular com os dois pés é sinal de desfralde?

Fizemos uma pesquisa sobre esse tema, que pode confundir bastante no momento de desfralde, tanto para os pais como para a criança.

Pular ou não?

A história não é bem assim. Pular com os dois pé: o argumento para a afirmação seria de que o fato de conseguir tirar os pés do chão indicaria que a criança já tem controle sobre os músculos do esfíncter e do assoalho pélvico, que controlam a saída do xixi e do cocô.

Para Carla Domingues, consultora materna, essa afirmação não é científica, entende-se que a criança precisa estar preparada física e emocionalmente. O físico seria abaixar a calça, pular com dois pés e o emocional quando ela está numa fase que colabora e responde a comandos simples, por exemplo.

“Cada criança se desenvolve de uma maneira e demonstrará sinais no seu tempo, que devem ser respeitados”, alerta Kelly Oliveira, pediatra autora da página Pediatria Descomplicada, no Facebook.

“Só que o fato de pular não significa que ela já domina completamente a musculatura da região”, explica Nelson Douglas Ejzenbaum, pediatra membro da Sociedade Brasileira de Pediatria. “É mais um sinal indireto: demonstra que ela já tem controle e equilíbrio dos músculos dos membros inferiores”, complementa Kelly.

De acordo com a Academia Americana de Pediatria, a criança não tem controle sobre a bexiga ou intestino antes dos 12 meses e só passa a ter um pouco de controle por volta dos 18 meses.

A criança precisa aprender todas as pequenas ações que envolvem uma ida ao banheiro: saber que está com vontade, abaixar a calça, calcinha ou cueca, sentar fazer xixi ou cocô, pegar papel para se limpar, dar descarga, lavar as mãos, etc.

Como saber?

Segundo Zioneth Garcia, bióloga, mestre e doutora em Ciências Biológicas, escritora, mãe de dois, da mesma forma que a criança que apenas começou andar vai ser incapaz de pular em um pé e brincar amarelinha, a criança da qual retiramos a fralda sem ter alcançado amadurecimento neurológico dos esfíncteres vai ser incapaz de evitar os escapes de xixi, viverá inúmeros acidentes e, apesar de serem completamente involuntários, podem lhes deixar frustrada e constrangida, um sentimento que pode piorar muito dependendo da resposta dos cuidadores e adultos no convívio, acabando por afetar diretamente o seu relacionamento com o entorno e, o mais importante, afetando a sua autoimagem.

Já que o controle de esfíncteres envolve a musculatura pélvica, ela pode ser exercitada para chegar à sua melhor forma e funcionamento pleno, mas isso não irá acontecer se o desenvolvimento neurológico estiver incompleto. Então,  se seu filho ou filha tem escapes de xixi frequentes, não consegue ficar com a fralda seca nem por 10 minutos, trate de tirar seu cavalinho da chuva: definitivamente ainda não está na hora do desfralde!

Qual a idade do desfralde?

A recomendação dos especialistas é não basear o desfralde em uma idade, mas sim na própria criança. Até mesmo porque forçar essa transição pode gerar traumas que dificultam ainda mais a ida ao vaso sanitário: ela pode começar a segurar o cocô por medo, o que torna a evacuação muito mais dolorida.

O jeito é exercitar a paciência, pois o processo pode se estender até os quatro anos de idade, com um vazamento noturno aqui e outro ali.

Dicas de mãe para mãe

“Percebi que a Chloe Sophia já estava ficando mais incomodada com a fralda…e sabe aquele ‘truque’ de ver se a criança já consegue pular com os dois pés juntos (dizem que quando isso acontece) a criança já consegue ter controle em fazer xixi e cocô. Enfim, para gente funcionou (risos). Tenha paciência, observe seu filho (a), percebam se realmente eles estão prontos. Porque eu percebi que quanto mais eu “forçava” a barra com o meu mais velho, mais longo se tornou o desfralde dele! E sinceramente me arrependi de ter comprado pinico, com a Chloe Sophia não usamos e percebemos que foi muito mais fácil e rápido” — Mãe Amiga Déborah S. S.

“Muito tranquilo, zero trabalho e zero estresse. Esperamos o Pedro dar  alguns sinais: começar tirar a fralda sozinho, tirar a calça / bermuda sem ajuda, ficar algumas horas com a fralda seca, avisar que fez cocô, começar a ter um ritual para o cocô: ele sempre ia pra algum cantinho isolado e ficava agachado. Esperei o tempo e a maturidade dele. Li relatos de desfraldes precoce e não queria passar por isso, segure a sua ansiedade e dê tempo ao tempo” — Mãe Amiga Adelita L.

‘O desfralde do mais velho foi bem mais trabalhoso, sistemático e cheio de regras. No segundo foi no tempo dele e sem estresse. É um processo que precisa ser no tempo de cada criança. Minha dica é relaxar, podemos ter a certeza de que els não vão casar de fralda” — Mãe Amiga Paula T.

Texto escrito e revisado por Madame Conteúdo.

 

Confira também:

Dicas de Desfralde Murilo

Alessandra Assumpção

Escrito por: Alessandra Assumpção

Confira os 60 posts publicados pela Alessandra Assumpção

Veja Tambm