Óleos vegetais para proteger sua pele no frio

20.05.2019

Estabelecer uma rotina de cuidados faciais é muito importante se quisermos garantir uma aparência melhor para nossa pele. Principalmente agora, com essa mudança de estação para um clima mais frio, onde tende a ficar mais sensível!

Além do mais, com o passar do tempo é normal perder a elasticidade, e os óleos ajudam a evitar e diminuir estes danos, por isso, é muito comum usar-se óleos na gravidez para evitar estrias.

Apesar disso, engana-se quem pensa que só peles ressecadas necessitam de hidratação. As oleosas e sensíveis precisam de igual atenção, precisando somente ficar atento aos fatores de comedogenicidade.

Óleos vegetais para o rosto

O melhor horário para usa-los são durante a noite, após a rotina de limpeza facial (com sabonete/espuma/gel e tônico) e o ideal é aplicá-los em pequena quantidade (de 1 a 3 gotas), e deixá-los agirem da noite para o dia, podendo ser misturados com algum sérum ou hidratante.

Pensando nos 4 tipos de pele, separamos óleos que podem ser usados na rotina diária de cuidados faciais.

Os óleos aqui citados são vegetais, e por isso, não contém petrolatos, que entopem os poros podendo causar cravos e acnes.

 

Pele seca:

Óleo de amêndoa

 

A amêndoa, por ser rica em proteínas, ferro e cálcio, tem poder de rejuvenescimento e regeneração, amaciando e tonificando a pele. Contudo, este óleo é contraindicado para pessoas que têm alergia a sementes oleaginosas.

 

Óleo de oliva

composto por ácido oleico, ele reduz a perda de água da pele sem dar sensação de oleosidade. Rico em substâncias antioxidantes, nutre a pele ressecada e torna mínima a ação dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento.

 

Pele sensível:

Óleo de abacate

óleo de abacate, que além de ter efeito calmante na pele irritada, aliviando coceiras e suavizando manchas, sendo um ótimo substituto para hidratantes que podem agravar ainda mais o problema, principalmente em pessoas com pele mais sensível, é rico em vitaminas A e E.

 

Óleo de camomila

Muito eficaz para curar infecções da pele, aliviar queimaduras, úlceras, furúnculos e feridas, ajudando também no tratamento de pele hipersensível, acne, pé-de-atleta, herpes, dermatite, psoríase, alergias e olheiras.

 

Pele mista:

Óleo de jojoba

Por ser facilmente absorvido pela pele, ajuda também no controle da oleosidade.

Seu poder anti-inflamatório, antifúngico, antisséptico e antienvelhecimento são diferenciais. Contudo, a sua melhor adequação a pele mista advém dos compostos ácidos linoleico e oleico que são equivalentes.

 

Óleo de coco

Talvez um dos mais conhecidos, é queridinho não só pelo uso na pele, como pelo uso nos cabelos.

Além de funcionar como hidratante, ainda previne rugas. É indicado a pessoas que querem combater o envelhecimento, pois lubrifica a pele. Possui vitamina E e ácido láurico.

 

Pele oleosa:

Óleo de melaleuca

O óleo de melaleuca apresenta propriedades antissépticas, antifúngicas, parasiticidas, germicidas, antibacterianas e anti-inflamatórias, que lhe atribuem inúmeros benefícios.

Entretanto, funciona muito bem para ser usado em pequenas quantidades, em cima da acne inflamada, pois ajuda na cicatrização.

 

Óleo de semente de uva

As sementes de uva têm um grande potencial antioxidante. Se aplicado diretamente sobre a pele, o óleo de semente de uva estimula o crescimento de novas células e ainda reduz parte dos danos causados pelos radicais livres.

Os nutrientes do óleo de semente de uva, além de protegerem a pele contra os raios ultravioleta, podem melhorar o aspecto de manchas e sinais causados pela exposição excessiva ao sol, tem ação anti-inflamatória e levemente adstringente, ajudando a tratar a acne e facilitando a remoção de cravos.

 

DICA

A dica é essa massagem facial, comumente feita nas modelos antes de aplicar maquiagens para desfiles. Ela ajuda a potencializar o efeito dos óleos, além de melhorar a circulação e auxiliar o processo de desinchação do rosto:

 

Importante:

Para entender qual o seu tipo de pele e suas limitações, é indispensável a consulta a um dermatologista.

Os óleos aqui indicados foram pesquisados individualmente em diversas fontes, os resultados podem variar de pessoa a pessoa e ao menor sinal de irritabilidade, suspender o uso e procurar um médico.

* Grávidas, crianças com menos de 3 anos, idosos, epiléticos, cardíacos, pessoas com síndromes em geral e que tomam muitos remédios não devem recorrer aos óleos essenciais antes de passarem por uma avaliação criteriosa.

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1839 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm