O papel de mãe vale muito mais

23.08.2013

selo materia mae amiga

Karol Brum

Mãe da Beatriz (1 ano e seis meses)

♥ Procurou um trabalho que a permitisse ficar mais tempo com a família e passou a deixar os problemas do trabalho no trabalho…

 

Tentei engravidar  durante 5 anos, e nada! Ficava muito deprimida com isso, pois queria muito ser mãe! E, há dois anos, resolvi trocar de emprego. No mesmo mês que comecei a trabalhar descobri que estava grávida! Praticamente no mesmo dia em que comecei a trabalhar pois, pela contagem da minha médica, a concepção foi no mesmo dia! Foi um misto de emoções! Felicidade e Medo! Feliz porque seria MÃE! Mas fiquei com ­­muito medo de ser demitida pois, ainda estava no contrato de experiência. A minha coordenadora foi muito legal no momento, mas o pior estava por vir… rsrs

Eu passei muito mal, mas muito mal mesmo, desde o momento que descobri a gravidez até a sala de parto. Minha médica fazendo a cesárea e eu vomitando ate no momento mais lindo da minha vida! Hahaha… só comigo pra acontecer isso mesmo!

Bom, mas minha chefe não queria nem saber se eu estava passando mal ou não, me mandava 3x por semana de Campinas pra São Paulo.

Só eu sei o que passei em todas as viagens que fiz. Eu viajava de táxi executivo, com todo conforto, acordava às 5h30 da manhã para pegar aquele trânsito infernal. O cheiro horrível de SP me fazia passar mais mal ainda.

Lembro de um dia engraçado que eu estava na marginal e aquele cheiro insuportável me fez enjoar demais e não consegui segurar, tirei minha sacolinha da bolsa e pedi desculpas ao motorista. Ele me disse assim: Você é uma grávida muito educada, por não vomitar no meu táxi, e trazer sua sacolinha! kkkkk! Morri de rir em uma situação super desagradável.

O papel de mãe vale muito maisE assim foi minha gravidez toda. Saí de licença maternidade e, quando retornei para o trabalho, não tinha mais minha mesa, meu computador, minha plaquinha… simplesmente não existia mais. Fui dispensada, simples assim! Somente mais uma mãe que vai dar trabalho para a empresa porque vai ter que ficar faltando por causa do bebê…

Por um lado, me senti aliviada, pois estava angustiada de ter que deixá-la tão nova na escolinha. Por outro, veio o medo de não darmos conta de tudo sem o meu salário. E resolvi ficar com minha filha ate quando ela completasse um ano, e assim fiz. Quando ela fez um ano a coloquei na escola e fui em busca de um novo trabalho que me aceitasse com um bebê, sem se importar se eu iria ter que faltar para levar minha filha ao pediatra, ou ficar em casa em um dia que ela estivesse com febre.

A vida nos surpreende!!! E foi assim que aconteceu. Eu vi uma vaga no grupo Mães Amigas e enviei um currículo. Chamaram-me para entrevista, e fui aprovada!!

No começo foi um pouco difícil, pois teria que ir para SP de novo. Fui várias vezes e chegava sempre tarde e minha pequena já estava dormindo… Tantas pendências para resolver e comecei a ficar tão concentrada nos problemas e estressada, claro, que começaram outros problemas, em casa!

Eu já estava ficando sem paciência com a bebê e com o marido (coitado, sempre sobra para eles, né?). E as brigas foram ficando insustentáveis. Foi quando resolvemos sentar para conversar e vi que eu estava realmente fazendo tudo errado.

Lembrei-me de algumas palavras de um ex-chefe que me disse:

“Sempre quando sair do trabalho deixe os problemas naquela árvore que tem ali na calçada e deixe para o outro dia para pegá-los e resolvê-los”. Eu não estava fazendo isso!

O papel de mãe vale muito mais

Como meu departamento foi ajustado, minhas viagens diminuíram muito e vou esporadicamente a São Paulo, somente quando o cliente agenda reunião ou se tenho que resolver pessoalmente.

Hoje, consigo sair no horário e chegar em casa para curtir minha pequena e meu esposo!

A nossa vida profissional é muito importante para nós, mulheres, mas o papel de mãe é muito mais! Vale a pena investir sempre na nossa vida pessoal, pois, quando mais precisamos é sempre nossa família que estará ao nosso lado! E o tempo passa tão depressa que, quando nos damos conta, o nosso bebezinho já cresceu e perdemos a melhor parte disso!!

Um beijo no coração de todas!

 

Você pode gostar de ler: Volta ao mercado de trabalho… E agora?Você é uma boa mãe… e Separação Mãe-bebê: “escolinha, aí vou eu”

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1893 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm