Mordida de cachorro: o que fazer?

23.01.2020 – Você ou seus filhos já foram mordidos por um animal? Uma mordida de cachorro pode ser perigosa, você sabe o que fazer?

O cachorro pode ser o animal mais dócil do mundo, mas se ele se sentir ameaçado não vai pensar duas vezes antes de dar uma mordida. Tendo isso em mente, é importante saber que a mordida precisa de certos cuidados.

Recebemos o relato de uma mãe, que teve o seu filho mordido por um cachorro em um local público.

Cuidados necessário após uma mordida de cachorro

Adoramos pets e, por isso, não levamos nosso animal para passeio em locais públicos. Há anos, convivemos com cães, gatos e tartarugas. A nossa cachorra (Shih Tzu) é super dócil, mas num ambiente movimentado e estressante para ela, não sabemos qual será a sua reação, pois, mais do que nossa querida pet, ela é um animal.

Sei que é difícil sair e deixar aquela carinha fofinha para trás abanando o rabo, mas precisamos ter responsabilidade e lembrar sempre que nosso pet, que merece todo o nosso carinho e atenção, é um animal. E por que estou insistindo que um PET é um ANIMAL? Porque em um domingo comum, por volta das 19h, o nosso filho de 5 anos foi mordido por um cachorro de pequeno porte dentro de um shopping. Este animal estava com a sua dona só na coleira/guia: não usava focinheira, nem caixa de transporte e nem o carrinho para pet que o próprio espaço disponibiliza.

Pior, este cãozinho e a sua dona estavam sentados num banco numa área que só tem restaurantes. Nosso filho não foi brincar com o cachorro. Simplesmente, saímos do restaurante e ao passarmos perto deste banco, o cachorro o atacou na perna. Por sorte, a mordida foi superficial.

Culpa do cachorro? Não, claro que não. A culpa é da dona do cachorro que não tem o mínimo de respeito com o seu animal e nem noção de civilidade. Se quer passear com o pet num local público, é preciso ter muito, mas muito cuidado, pois ele é um animal. O que fez a dona do cachorro? Nada além de pedir desculpas e sumir, desaparecer enquanto corríamos com o nosso filho de volta ao restaurante para passar álcool no local da mordida.

Como estamos nos sentindo? O nosso filho foi atropelado e o causador do acidente fugiu sem prestar socorro. O socorro inicial foi feito no ambulatório que nos atendeu prontamente. A segurança do espaço foi acionada para tentar localizar a dona do cachorro, mas não tivemos sucesso.

Resultado: mesmo com mordida superficial, como não temos o contato da dona do cachorro para fazer o acompanhamento do animal pelos próximos 10 dias, nosso filho precisará de 4 doses de anti-rábica e do soro (protocolo do CCI/UNICAMP – Centro de Controle de Intoxicações). A vacina anti-rábica, por ser muito específica, não fica disponível no Posto de Saúde e também não tem em clínicas particulares especializadas e o soro.

Segundo a Vigilância Sanitária de Campinas, só é liberado pelo Estado, ou seja, não sabemos quando o nosso filho será imunizado. Neste momento, torcemos para que este cachorro seja vacinado e esteja com todas as vacinas em dia. Nosso apelo: apesar de um certo esforço por parte de alguns estabelecimentos, achamos que falta conscientização sobre as responsabilidades que o dono do pet possui, principalmente, em caso de acidente.

O acompanhamento junto ao animal durante 10 dias é fundamental e evita muito transtorno para a vítima e familiares. A dona do cachorro, no nosso caso, desapareceu. Você pode levar o seu pet no shopping, mas lembre-se que VOCÊ possui responsabilidades sobre o animal e sobre os transtornos que ele causar. Um PET não é um bibelô enfeitado para ser mostrado: ele é um SER VIVO, ele é um ANIMAL.

O que fazer?

Assim que acontecer a mordida, você deve lavar a ferida com muuuuito sabão e água corrente (álcool) por um período mínimo de 5 minutos. Depois, estanque o sangue com uma toalha limpa e observe o ferimento.

Se após algumas horas a ferida inchar, apresentar pus e a pessoa sentir dor ou tiver febre, são sinais de infecção e você deve procurar ajuda médica.

No hospital o médico vai fazer uma limpeza na ferida e receitar antibióticos, para combater a infecção. Mesmo se a ferida for profunda, é provável que não seja feita a sutura. Em feridas infeccionadas é preciso que ela fique aberta e vá cicatrizando sozinha.

Atenção redobrada

Mesmo que as chances de um cachorro ter o vírus da Raiva sejam poucas hoje em dia, devido à gravidade dessa doença é importante estarmos sempre em alerta.

Se você for mordido por um cachorro desconhecido, do qual você não saiba o histórico de vacinação do mesmo, é preciso tomar algumas medidas:

* Tente capturar o cachorro para que ele seja avaliado por um veterinário ou então fique observando o animal por pelo menos 10 dias. Esse é o tempo que demora para o vírus da Raiva se manifestar no animal até levá-lo a obtido. Nesse período de tempo, caso o animal esteja infectado, ele vai apresentar os sintomas caraterísticos da doença. Se isso acontecer, leve a vítima da mordida imediatamente ao médico.

* Se a mordida foi causada por um cachorro de qual você não conseguiu capturar ou não terá contato para observação, você deve ir ao hospital para o tratamento preventivo. Ou seja, o tratamento contra Raiva será realizado (através de 5 doses de vacinas) mesmo que você não tenha certeza se a pessoa foi infectada. Tratando-se de uma doença muito grave, é sempre melhor optarmos pela prevenção.

 

Fonte de pesquisa: PetLove, Canal do Pet, M de Saúde.

 

Relato escrito por Mãe Amiga Priscila G.

Revisado por Madame Conteúdo.

 

Confira também:

Picada de escorpião, o que fazer?

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1922 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também