Meu filho tem obesidade infantil

18.07.2013

Todos sabemos que a obesidade está relacionada com diversos riscos à saúde, mas quando temos uma criança “gordinha”, muitas vezes achamos aquele rostinho redondinho  uma “fofura” ou uma “carinha de saúde”. Um engano! A preocupação com o excesso de peso e a obesidade infantil deve começar desde a infância para prevenir as doenças que podem surgir já nesta fase como hipertensão arterial, resistência à insulina, diabetes, hiperlipidemias (aumento do colesterol e triglicérides) etc.

A criança que está acima do peso não precisa fazer dieta ou regime, apenas uma reeducação alimentar com mudança de hábitos e estilo de vida. Parando de engordar, naturalmente o peso irá se tornar ideal com o crescimento da altura.

10 dicas para evitar a obesidade infantil:

1- Estimule seu filho a consumir, no mínimo, 5 porções de legumes, verduras e frutas por dia.

2- Evite refrigerantes e sucos industrializados, por conterem muito açúcar. Prefira os sucos naturais.

3- Não permita que pule refeições. Ofereça pequenos lanches nos intervalos, para não chegar com muita fome na próxima refeição.

4- Evite fazer “estoques” de guloseimas em casa (doces, bolachas, salgadinhos). Deixe para o fim de semana e compre apenas a quantidade que a criança for comer.

5- Procure ter opções de lanches saudáveis para as crianças como pães e biscoitos integrais, geleias sem açúcar, queijo branco e ricota, flocos de milho, iogurtes, vitaminas com frutas, sucos naturais, água de coco, gelatinas.

6- Ofereça, de preferência, alimentos caseiros. Produtos congelados e industrializados costumam ter uma grande quantidade de gordura, sal e açúcar.

7- Negocie com seu filho o número de festas de aniversário que irá participar. Uma ou duas vezes por mês é o máximo para não comprometer o ganho de peso.

8- Defina um tempo máximo de permanência da criança em frente à TV, videogame ou computadores. Não deixe ultrapassar mais que 1 a 2 horas por dia.

9- Estimule a prática de esportes, procurando se exercitar 5x por semana. Por exemplo: praticar uma modalidade 2x/semana (natação, judô, ballet, o que a criança gostar). Frequentar a aula de educação física na escola e, nos finais de semana, jogar bola, andar de bicicleta, de patins etc.

10- O mais importante: toda a família deverá participar e colaborar, principalmente os cuidadores como avós e babás. A mudança no hábito alimentar trará benefícios para todos!

 

Priscila Panzarella

Escrito por: Priscila Panzarella

Confira os 17 posts publicados pela Priscila Panzarella

Veja Também