Maternidade após os 40: quais os prós e contras?

11.02.2020 – A maternidade após os 40 anos atingiu um novo patamar no Brasil e no mundo. O que antes era um medo, por apresentar alguns riscos à saúde da mãe e do bebê, está se tornando comum graças a um maior planejamento dessa fase da vida.

Os números são claros: no Reino Unido, a taxa de gravidez está caindo em todas as faixas etárias – exceto para quem tem mais de 40 anos. Nos Estados Unidos, em 2017, a taxa de natalidade foi a mais baixa em 30 anos, mas mesmo assim cresceu entre as mulheres com mais de 40.

O Brasil segue a mesma linha: de acordo com números divulgados pelo Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos do Ministério da Saúde, a taxa de mulheres que deram à luz entre os 40 e os 44 anos de 1998 a 2017 cresceu em 50%.

Nascimentos

O número de nascimentos de bebês de mães entre 20 e 29 anos caiu 15% no mesmo período. Para completar essa tendência, dados do IBGE também revelam que de 1990 até 2017 aumentou em 42% a quantidade de mulheres que foram mães com 40 anos ou mais.

Congelamento de óvulos

Há que se levar em consideração questões como a perspectiva social, de gênero, demográfica e ainda o planejamento familiar. É por isso que uma saída que tem crescido muito entre as brasileiras é o congelamento de óvulos. De acordo com especialistas, o ideal para garantir óvulos saudáveis é que esse procedimento seja realizado até os 35 anos. 

Prós

A expectativa de vida da mulher e o seu próprio comportamento mudaram muito, houve um tempo em que uma mulher de 40 já era considerada bem mais velha. Hoje, não. Nós somos educadas para sermos independentes e a colocar a carreira como uma prioridade. 

Os tempos são outros, a vida profissional é outra e o corpo também. Com essas opções em mãos para contornar a diminuição da fertilidade feminina, vimos que é mais do que possível esperar para estruturar uma vida a dois ou até começar uma de maneira independente. 

O mundo tem se mostrado bem menos cruel para as mães em termos de oportunidades, e as facilidades do dia a dia também são muito apreciadas pelas futuras mamães. Foi-se o tempo em que era preciso renovar as peças do guarda-roupas quando ficava grávida, por exemplo.

Contras

Uma gestação com mais de 40 anos vai ser sempre considerada de alto risco? É muito provável que sim, porque a idade faz com que essas pacientes sejam mais propensas às doenças pré-existentes que complicam a gestação como obesidade, hipertensão arterial, doenças da tireóide, diabetes, etc. 

Acima dessa idade também são comuns outros riscos inerentes à própria gravidez, como aborto espontâneo, síndrome de Down, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, parto prematuro, macrossomia, anomalias placentárias, gestação múltipla, natimortalidade e crescimento intra-uterino restrito

Mas, não há motivo para pânico, ainda mais se esse é o grande sonho da mulher. Algumas dicas podem ser importantes para ajudar em uma gravidez de risco.. Hoje, a medicina sabe muito mais do que há anos e todos nós podemos nos beneficiar desses avanços.

A verdade é que, por mais que existam riscos, as mulheres podem contar com muitas opções para burlar aspectos muito temidos antigamente. Não existem mais limites para a realização desse sonho da maternidade madura, uma vez que você esteja muito bem orientada e segura. 

Grávidas após os 40 anos

Veja famosas que tiverem filhos após os 40 anos:

 

Patrícia Abravanel. Ivete Sangalo. Ticiane Pinheiro.

 

Confira também:

Conheça os recordes mais fantásticos da maternidade

Michelle Occiuzzi

Escrito por: Michelle Occiuzzi

Confira os 73 posts publicados pela Michelle Occiuzzi

Veja Tambm