Mãe de gêmeos e feliz profissionalmente

09.12.2013

selo materia mae amiga

Yumi Tuleski Costa

Mãe da Gabriela e do Rafael (2 anos e 7 meses)

♥ Após tornar-se mãe de gêmeos, decidiu mudar completamente sua vida profissional para ter mais tempo para os filhos sem deixar sua carreira de lado

 

Antes de engravidar, eu idealizava a maternidade como algo completamente capaz de ser conciliado com a realização profissional. É claro que até o último momento em que a criança está dentro da barriga, o ideal da maternidade é bem diferente da realidade.

Até o final da gravidez, a gente até pensa em uma ou outra situação de dificuldade que precisará enfrentar para conciliar ambas as funções equilibradamente, mas dificilmente se sabe com exatidão a dor e a delícia de ser mãe trabalhadora.

Mãe de gêmeos e feliz profissionalmenteBem, logo depois da feliz notícia do exame ter dado positivo, veio a informação de que a família não seria aumentada apenas por mais uma criança e, sim, que eram dois bebês a caminho. Não queria ser uma mãe que terceiriza os filhos para tudo, que mal os vê durante a semana e que somente aos finais de semana que consegue curtir e estar mais envolvida com eles. Isso se não houvesse nenhum trabalho da empresa que eu precisasse levar para casa…

Todos os preparativos passaram a ser dobrados e o que cresceu também foi a preocupação em relação à possibilidade de conciliar o trabalho com o papel de mãe que eu gostaria de exercer, que é da mãe presente, que acompanha o crescimento e o desenvolvimento dos seus filhos.

O tempo passava, a barriga crescia e eu começava a sentir que era deixada de lado em alguns projetos que eu comumente participava na empresa onde estava há mais de dez anos.

As crianças nasceram em maio de 2011, vieram todas as alegrias e também as dificuldades que uma mãe de primeira viagem tem que enfrentar, afinal, eram duas crianças dependendo de mim em tempo integral. Os meses passaram e a Gabriela e o Rafael foram crescendo, crescendo. Eis que chegou o fim da licença-maternidade e o momento era de encarar a realidade: ser mãe de gêmeos e manter-se ativa no mercado de trabalho.

Mãe de gêmeos e feliz profissionalmenteOs meses foram passando, a situação na empresa não melhorava, afinal, é evidente que é melhor investir no funcionário solteiro ou sem filhos, que facilmente se desdobra ao máximo sem ter que se preocupar com o resfriado, a reação da vacina, a virose, a febre por conta do nascimento dos dentes e tudo o mais que passa a fazer parte da vida de quem é mãe.

Como acredito que Deus está no controle de tudo, no final de 2012, numa conversa em família, me deparei com uma oportunidade de empreender. Ter meu próprio negócio, fazer o que gosto e ainda ter mais tempo para conviver com os meus filhos. Minha prima, uma jovem estilista formada na Inglaterra e na Nova Zelândia e com talento em ebulição, estava iniciando um negócio e lançando as próprias grifes feminina adulta e infantil. Ela precisava de alguém para gerenciar o empreendimento, fazer o negócio crescer, criar um planejamento de marketing… tudo o que eu sabia fazer e que carregava como bagagem profissional dos 12 anos em que estive na empresa onde trabalhei.

A conversa sobre a sociedade foi crescendo e, a cada passo que dávamos, me batia a sensação de que esse seria o melhor caminho a seguir. Consegui um bom acordo com a empresa e saí de lá em dezembro do ano passado. Desde então, com a assinatura da grife by Ju Mori, já lançamos diversas coleções para meninas e mulheres, batalhamos muito diariamente, mas por nós mesmas e pelo sucesso do nosso negócio.

Hoje considero que levo a vida que tanto queria. Passo boa parte do dia com os meus filhos, almoço com ele antes de levá-los para a escola e participo ativamente do dia-a-dia deles. Tudo isso conciliado com a dedicação que um negócio precisa ter. Sou muito feliz e sei que o caminho a seguir é este mesmo.

É fato que precisamos fazer alguns ajustes no orçamento familiar, cortar gastos, mas vejo que valeu e ainda vale a pena. Acredito, ainda, que é possível ser feliz pessoal e profissionalmente. Basta confiar e arregaçar as mangas. Hoje, a minha felicidade e a de toda a família é minha maior recompensa.

Mãe de gêmeos e feliz profissionalmente

E foi assim que tudo começou…

Você pode gostar de ler:

Trabalhar fora e ser uma boa mãe

O papel de mãe vale muito mais

Mãe de gêmeos… múltipla emoção!

Engravidei grávida e sou mãe de gêmeos

Trigêmeas univitelinas?? Sério mesmo??

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1949 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm