Feliz Dia do Amigo por Mães Amigas

Hoje é Dia do Amigo…

Para comemorar essa data tão especial, uma grande amiga escreveu um texto muito bacana para o blog dela, “Mãe de Cabeça aos Pés”… e no meio do caminho resolveu nos ceder esse conteúdo para publicar aqui… Nesse cantinho onde só quem é Mãe Amiga sabe o valor que ele tem!

Um Feliz Dia do Amigo para todas nós!!!

Biiiii obrigada por fazer parte desse momento mágico e por “selar o nosso contrato de amizade”. Bendita maternidade!!! Te amo…

Um grande beijo

Michelle Occiuzzi

———————————————————————————————————————

selo materia mae amiga

 

Beatriz Zogaib
Mãe do Leo (4 anos)
♥ “Eu de fato fiz mais amizades depois da maternidade”

 

É comum mulher fazer mais amizades depois que têm filhos. Por quê? Há inúmeros motivos. E benefícios em encontrar novas amigas nessa fase da vida. A maternidade, muitas vezes, te exclui do mundo, e ninguém melhor do que uma amiga pra te amparar.

Pra começar, mulher adora conversar, desabafar. Temos pilha pra isso. Nosso cérebro funciona melhor com isso. A gente -simplesmente – se sente melhor quando conta pra amiga o que aconteceu e ela – simplesmente – escuta. Isso é fácil de entender. Mas, tem um detalhe. Mãe faz amizade com mãe! É meio que solidariedade materna. Afinal, você sabe que aquela mulher que amamenta como você, que pariu como você, que se descabela feito você, que faz papinha com filho no pé igual você, precisa de um ombro amigo – assim como você! Salvo exceções, há de ser mãe pra fazer parte do ‘seleto’ grupo de novas amigas. Afinal, nosso passatempo favorito é trocar figurinhas sobre… a vida com filhos!

A gente se une, se consola, se abraça nem que seja virtualmente. Vide os blogs maternos e grupos de discussão no Facebook! O legal disso tudo é que isso é quase que uma “evolução da espécie”. Porque mulher, nós sabemos, geralmente tende a “disputar” com outras mulheres. Nos vestimos para elas! É a tal da inveja – branca ou não. Mas, quando temos filho, por mais tentador que seja querer ser melhor que a amiga, a gente prefere dividir. Angústias, dúvidas, inseguranças e, porque não, orgulhos. Acho isso instintivo. Depois de parir, é como se você se auto-afirmasse no mundo – tendo a certeza do lugar que ocupa nele e da sua importância para marido e filhos. É como se algo lá dentro te dissesse que você não precisa mais dessas picuinhas bobas, da disputa de ego, vaidade ou sei lá. Pelo menos não com outra mãe…

É claro que tem a fase em que você fica padronizando o que acontece com o filho, comparando com o da amiga, checando se o seu ou o dela está demorando muito pra engatinhar, deixar a mamadeira, etc. E às vezes você se sente a mãe mais sem paciência do mundo porque vê a amiga falando calmamente diante do monstrinho birrento dela. Mas aí que está o M da questão. A maternidade é tão doida que é exatamente nesses momentos que vem a compaixão, o companheirismo, a ajuda, o conforto… Provavelmente, aquela mesma mãe que você tanto admira e que te faz se sentir um lixo de mãe, um dia, vai chegar pra você e dizer que se sente péssima quando te vê dando conta da casa, do filho e do trabalho. E você, surpresa, vai dizer: jura????? E, toda fofa, vai contar pra ela (em modo receita de bolo) como é que se faz.

* Eu de fato fiz mais amizades depois da maternidade. Troco emails, mensagens, dicas, desabafos. E acredito que isso seja muito saudável pra todas nós – que descobrimos maneiras de sermos melhores mães sem apontar o dedo na cara das outras. Mas, não sejamos ingênuas; infelizmente existem mães que preferem continuar no mundinho pouco colorido das picuinhas. Eu prefiro o rosa e azul da maternidade amiga e adoro a ideia de sermos mães mais amigas!!!

Michelle Occiuzzi

Escrito por: Michelle Occiuzzi

Confira os 70 posts publicados pela Michelle Occiuzzi

Veja Tambm