Doei minha medula óssea

26.06.2013

selo materia mae amiga

Fernanda (Fefa) Moreto

Mãe da Gabriela (2 anos e 8 meses)

♥ Fez doação de medula óssea e salvou outra Gabriela, de 8 aninhos

 

Eu tinha 23 anos quando resolvi me cadastrar no banco de medula óssea para um dia, quem sabe, ser doadora.

Nessa mesma época, eu e meu namorado (atual marido), tivemos uma relação desprotegida. Depois de um tempo, comecei a ter uns sangramentos estranhos e um dia comecei a sentir muita dor e mal conseguia parar em pé. Minha barriga começou a inchar, sentia cada vez mais dor, e fui parar no hospital. Como os medicamentos não ajudaram, os médicos resolveram me internar. A dor aumentava cada vez mais… estava insuportável!!! Fizeram um ultrassom, um beta HCG……E eu descobri que estava grávida de 5 semanas!

Ao mesmo tempo, me disseram que eu tinha que ser operada com urgência, mas que ficaria bem. Eu, na verdade, nem imaginava a gravidade da situação… Sentia tanta dor que não pensava em nada!

Fefa

Fefa e o marido Beto, 40 dias após a primeira cirurgia

Ao entrar no centro cirúrgico, tive a certeza que eu iria morrer: a dor de uma hemorragia interna é indescritível!

Tiraram minha trompa direita, que tinha sido rompida pelo crescimento do feto! Em uma descrição mais popular eu tive uma gravidez tubária, com rompimento da trompa e hemorragia interna.

Na cirurgia, tive uma segunda hemorragia, mas por Deus e pelos médicos, fui salva!

A verdade é que foi tudo tão rápido que a ficha só começou a cair quando tive alta do hospital. Li muito sobre o assunto e descobri que o risco de morte para as mães nesses casos é super alto. Fiquei triste pois, apesar da gravidez não ter sido planejada, eu não queria ter um aborto.

Deus traçou um plano para mim. Salvou minha vida, para eu salvar a vida de uma menina, que eu não conhecia, de 8 anos de idade.

Depois de seis meses da realização do meu cadastro no banco de medula óssea, o telefone tocou. Era uma moça do REDOME (Registro de Doadores de Medula Óssea) dizendo que eu era compatível a alguém e poderia doar minha medula. Fiquei feliz e pude contar com o apoio da minha super mãe!

Fiz uma série de exames complementares que confirmaram que eu era 100% compatível com o receptor!

Três dias antes da doação, eu comecei a ter dor de garganta, na consulta pré-anestésica, me disseram que eu estava com uma amigdalite horrível e não iriam me liberar para doar. Mas não tinha mais como não doar… a receptora já estava pronta pra receber a medula. Tomei injeções de penicilina e internei no dia seguinte. Cedinho fui para o centro cirúrgico (de novo) duas vezes em menos de seis meses. Foi assustador relembrar tudo o que passei e entrei chorando.

Na sala da coleta de medula, recebi as anestesias necessárias para o procedimento e capotei.

Eles precisavam colher 600ml de medula, são feitas várias punções na região da bacia, mas por apenas dois buraquinhos, que depois de alguns meses somem! Nesse dia, que me contaram que a receptora era uma menininha de oito anos com aplasia de medula, e minha medula estava viajando de avião para salvar a Gabriela! É um sentimento fantástico!!

Um ano depois, recebi uma cartinha escrita por ela em um papel de carta cheio de moranguinhos com canetinha colorida que começava com “Obrigada por ter salvo minha vida”. Até hoje me emociono quando leio! Infelizmente o REDOME não permite que doadores e receptores se conheçam, mas sinto-me privilegiada por ter tido a oportunidade de ajudar essa menininha e sua família!

cartinha da Gabriela

 

Isso tudo foi há quase 9 anos. Hoje sou mãe de uma pequena de quase três aninhos que também se chama Gabriela! E a Gabriela (receptora) deve estar completando 18 anos de VIDA!! As Gabrielas da minha vida!

A mãe dela também me mandou uma cartinha (veja foto abaixo). Fico imaginado o sofrimento que essa mãe deve ter passado e a alegria e a gratidão que ela deve ter por mim! Como mãe, tenho muita certeza de tudo isso!

Nosso grupo Mães Amigas é a mistura de amizade e solidariedade, estamos sempre dispostas a qualquer hora em ajudar uma mãe preocupada com seus pimpolhos!

Gostaria de dizer que sim, valeu muito a pena doar! Mesmo depois de tudo o que passei, sei que Deus estava preparando algo de especial para mim. Retribuí a minha vida, por uma outra vida!

Muitas crianças estão esperando por doadores por todo mundo e nós podemos ajudar fazendo uma simples coleta de sangue! As Gabrielas e suas mamães agradecem! Um beijão no coração!

 

Você provavelmente gostará de ler a história da Duda, que precisa muito de um doador de medula!

E se quiser saber sobre os locais de doação em Campinas, clique aqui.

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1837 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm