Dicas de livros para ler na quarentena

01.04.2020 – Está buscando um momento para explorar sua estante de livros e ler nessa quarentena. Essa é uma opção prazerosa para você fazer durante esse período de forma leve e sem pressão.

Separamos alguns livros de indicações de mães e livros bem recomendados pelos críticos. Confira:

O Sol é para todos, Harper Lee

O clássico americano é narrado por uma menina chamada Scout e é uma reflexão sobre racismo e injustiça. O livro, escrito por Harper Lee e publicado no Brasil pela Editora José Olympio, conta a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista.

A Cabana – William P. Young

Com muita reflexão, “A Cabana” é capaz de falar sobre assuntos religiosos sem cair no clichê, nem falar sobre uma religião em específico. O sucesso desse livro foi tanto que, em 2017, virou filme. A trama conta a história de Mack Allen Phillips, um homem cujo a filha foi raptada e com indícios de que foi brutalmente assassinada em uma cabana abandonada.

Depois de quatro anos vivendo em tristeza profunda, ele recebe um bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidado-o para visitar a cabana onde tudo aconteceu. A história levanta o questionamento: “Se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar o nosso sofrimento?”. Às respostas vão te surpreender.

Extraordinário – R. J. Palacio

Uma história sensível que traduz o significado de respeito e amor ao próximo. Em “Extraordinário”, August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética que causa grande deformidade facial, por isso, nunca frequentou uma escola.

Quando seus pais decidem que é hora de Auggie encarar o ambiente escolar, ele se prepara para mostrar aos alunos que, apesar de sua aparência incomum, é um menino como todos os outros.

O Segundo Sexo, Simone de Beauvoir

 

Olha aí uma boa oportunidade para encarar as quase 1000 páginas de O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir. Neste clássico, a filósofa existencialista destrincha o lugar da mulher na sociedade. Publicado em 1949, esse livro é referência básica para o movimento feminista do século XX.

Essa gente, Chico Buarque 

Romance lançado em 2019 por Chico Buarque, editado pela Companhia das Letras, “Essa Gente” conta a história de Manuel Duarte, autor de best-seller dos anos 1990, que vive uma crise financeira e afetiva. Com formato de diário, ele tem como pano de fundo um Rio de Janeiro em crise.

Mentes Ansiosas,  Ana Beatriz Barbosa Silva 

No livro, a psiquiatra e best-seller Ana Beatriz Barbosa Silva aborda as diferentes manifestações da ansiedade. Medo, estresse e ansiedade, segundo ela, são fatores comuns e até necessários para uma vida mentalmente saudável. Na obra, ela então analisa as causas, desdobramentos e possíveis formas de lidar.

 

Sejamos Todas Feministas, Chimamanda Ngozi Adichie

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.

Confira também:

Conheça “A Parte que Falta”, livro infantil sobre autoconhecimento e completude

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1949 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também