10 coisas que crianças com autismo gostariam que você soubesse

Hoje, 2 de abril, é celebrado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Com base nisso, separamos um artigo escrito por Helen Driver (Pesquisadora PhD em autismo, família e comunicação) e por Joanna Reynolds (Psicóloga, pesquisadora e professora sênior em bem-estar da criança e da família) da Universidade de Northumbria, em Newcastle, que exalta 10 características no autismo infantil que todos deveriam saber.

O artigo começa salientando como somos rápidos em fazer julgamentos ao perceber que uma criança age de maneira diferente do que estamos acostumados, esquecendo-nos que quando uma pessoa com autismo está lutando para lidar com o mundo, a última coisa de que precisa é da nossa crítica.

Autismo infantil

Essas 10 dicas refletem a experiência combinada das autoras em pesquisa e envolvimento com crianças com autismo.

 

“Porque se tivermos tempo para respeitar e entender as pessoas com autismo, nossa sociedade tornará-se enriquecedora e inclusiva para todos.”

 

     1. Me veja por quem eu sou

Há apenas um de mim, assim como há apenas um de você no mundo. Como você, eu tenho muitas habilidades e habilidades diferentes, assim como coisas que acho difíceis. Só porque eu tenho autismo não significa que sou o mesmo que todo mundo com autismo. Amor e aceitação da família, amigos e todos ao meu redor é a melhor maneira de me ajudar a crescer e prosperar.

     2. Eu ouço, vejo e sinto o mundo de maneira diferente de você

Eu acho alguns ruídos, cheiros, sabores ou luzes estressantes, assustadores ou até mesmo (fisicamente falando) dolorosos. O toque pode me sobrecarregar e eu posso não gostar de abraços. Mas eu posso experimentar detalhes que talvez você não note – que eu posso achar engraçado ou divertido – então venha e viva essas experiências comigo. Leia alguns livros escritos por pessoas com autismo para aprender mais sobre como o mundo pode sentir.

     3. Eu quero amigos, assim como todo mundo

Meu comportamento social pode parecer diferente do de outras pessoas, pois para mim, comunicação e interação não são apenas palavras. Algumas crianças com autismo infantil não usam a linguagem falada e se comunicam de maneira não-verbal. Isso pode incluir levar sua mão ao objeto que eu quero, ou ficar olhando para algo interessante – então me observe e aprenda minha língua e meu jeito de me comunicar.

     4. Meu comportamento é minha maneira de me comunicar

Se não posso falar ou expressar meus pensamentos e sentimentos, posso ficar muito frustrado, triste e até zangado. As pessoas vêem meu comportamento como algo difícil, desobediente ou deliberadamente desafiador, mas é provável que seja meu modo de me comunicar. Não se irrite com essas explosões, me ajude a tentar dizer o que eu quero.

     5. Interaja comigo de maneira que eu consiga entender

Devagar e me dê tempo. Seja claro sobre o que você diz, e me dê à chance de reagir – leva de 10 a 15 segundos para processar o que você diz. Conheça meus interesses e minhas formas de comunicação. E deixe meus interesses inspirarem sua comunicação comigo. Não tente assumir ou controlar nossa interação. Dê-me espaço e tempo para responder. Quando você aprender a ouvir com todos os seus sentidos (livro da autora Phoebe Caldwell, que estuda os sentidos das pessoas com autismo), perceberá o quanto tenho a dizer.

     6. Eu vivo no aqui e agora

Por causa do autismo infantil, eu nem sempre entendo as situações, então encarar as coisas em seus variados contextos pode ser mais difícil para mim. Mostre-me fotos e deixe-me saber o que esperar, assim posso participar com muito mais facilidade.

     7. Estou ansioso e me preocupo muito

Isso porque tenho dificuldades em entender o mundo e comunicar meus pensamentos e necessidades. A maneira como vejo, escuto ou sinto o mundo pode ser dolorosa, e o mundo pode ser um lugar assustador e confuso para mim. Quando algo acontece ou muda de repente, posso entrar em pânico. As pessoas podem pensar que estou sendo bobo, mas estou realmente aterrorizado.

     8. Rotina é muito importante para mim

Porque isso me faz sentir seguro e me ajuda a lidar melhor com as coisas. Isso não significa que não quero experimentar coisas novas. Eu só preciso de mais apoio para me juntar ao mundo. Se você me ajudar, eu posso encontrar atividades e esportes que eu aprecio e você pode curtir comigo. Descubra o que ajuda a me acalmar. Se estou menos ansioso, posso cooperar mais.

      9. Eu preciso da sua ajuda para conectar-me com o mundo e aprender

Toda pessoa com autismo infantil pode aprender. Você só precisa ter paciência para entender como eu compreendo o mundo e torno todo o aprendizado relevante para mim. Todo mundo aprende de maneiras diferentes. Entretanto, talvez eu precise de um pouco mais de atenção ou alguns recursos visuais, mas adoro fazer e aprender com as atividades. É uma ótima maneira de me ajudar a me sentir mais confiante.

     10. Pense no que posso fazer não no que não posso

Eu sou uma pessoa inteligente, sociável e completa. Eu posso estar mais interessado em assuntos específicos e talvez captar mais detalhes, mas esse é o meu interesse. Da mesma forma que meu irmão pode passar horas assistindo e jogando futebol ou meu amigo pode gostar de alienígenas, eu posso gostar de falar sobre meus vídeos e descobrir os nomes das pessoas. Me ame e trabalhe comigo, aproveite o que eu trago para o mundo.

 

Depoimento de algumas mamães:

O autismo do meu filho me ensinou….

  • que sou muito mais forte que eu achei que fosse;
  • que o diagnóstico não é uma sentença de morte;
  • que estar próximo a pessoas que passam a mesma coisa que eu, deixa tudo mais fácil;
  • que sofrer preconceito dói muito;
  • que pequenas conquistas tem a mesma força que grandes vitórias;
  • que os valores voltados para ganhos materiais são evasivos;
  • que persistência é diferente a insistência;
  • a matar um leão por dia e transformar o luto em luta;
  • o verdadeiro significado de amor incondicional;
  • a sair da zona de conforto.

       – Tarita é mãe de Lucas, hoje com 9 anos e administra o Instagram @meufilhoautista.

 

Foram muitas coisas que aprendi com meu filho, e até hoje aprendo com ele. O principal aprendizado foi ser paciente. Sua evolução e aprendizado são gradativos, acontece no tempo dele e não no tempo que eu desejo. Controlar a ansiedade é difícil, mas ver ele se desenvolver a cada dia é de uma alegria sem igual! Vejo o mundo de uma forma diferente hoje. Aprecio cada momento, cada gesto, cada olhar, cada sorriso, cada “oi” que ele pronuncia. Ele realizou meu sonho de ser mãe e me fez encontrar uma força que jamais imaginei ter, me fez enfrentar meus medos e tem me ajudado a ser um ser-humano cada dia melhor.

– Carolina Motta é mãe de Benício, de 4 anos.

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1844 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm