Alerta: risco de meningite B aumenta em adolescentes e bebês de 6 meses!

12.11.2018 – No Brasil, a maior parte dos casos de meningite B acontecem nos bebês de 6 meses e nos adolescentes de 14 a 25 anos. Quem me passou o dado foi o Dr. Verri, pediatra geral com ênfase em imunização e diretor técnico da Clínica Previna, enquanto eu me informava sobre a vacina meningite B.

O assunto é pauta antiga entre nós, mães. Mesmo sabendo da importância da prevenção, fazia 2 anos que eu enrolava para vacinar o Murilo (4) e o Miguel (7).

Eu queria protegê-los, é claro, mas quando calculava o investimento – incluindo a Nicole (17), ou seja, são três filhos! -, me convencia de que ele não era prioridade no meu orçamento. E assim passou.

Há pouco mais de dois meses, porém, uma Mãe Amiga compartilhou um alerta no nosso grupo. Sem ter a intenção de causar pânico, ela escreveu a agonia que passou com a filha de 5 anos, dos sintomas prévios até a suspeita da pequena ter contraído uma meningite.

O assunto impregnou na minha cabeça. Mesmo a mãe nos informando, semanas depois, que o resultado do liquor apontou negativo para a meningite B. 

Resolvi que os meus filhos iam tomar a vacina. Fui pesquisar mais sobre o assunto e esclarecer as minhas dúvidas pessoais e tantas outros questionamentos do universo materno, considerando o propósito do Mães Amigas.

No último dia 06 de novembro, o Miguel e o Murilo finalmente tomaram a primeira dose da vacina meningite B. É a última dos sorotipos, já que a C e a A, W e Y eles já tomaram tempos atrás.

E dia de vacina é aquela tensão, considerando que crianças com 4 e 7 anos entendem bem o que ela significa! Aqui em casa, fortalecemos uma historinha há anos, que compartilho agora com vocês.

 


Contando a história do castelo e dos soldadinhos. (Foto: Helena Pazzetti)

 

“O nosso corpo é o castelo; a vacina, os soldadinhos que precisam morar bravamente nele, para que, quando os inimigos – que são as doenças – aparecerem no portão, estarmos preparados para combatê-los! Então, é importante rechearmos o nosso castelo de soldadinhos: assim, cada um deles combaterá o seu arque-inimigo, o derrotando no final!”


 

Na Clínica Previna, existe um protocolo da dor. Ele é pensado para aliviar a tensão que esse momento traz tanto para os pais, quanto para os pequenos.

Funcionou assim: 

As enfermeiras foram extremamente gentis e pacientes: aplicaram a vacina no ritmo dos meninos. Começamos com um anestésico no local da picadinha. É uma pomadinha que fica no braço por 15 minutos, aproximadamente.

O Murilo assistiu no óculos 3D um filminho que, juntamente com a joaninha vibratória no braço, distrai o cérebro durante a aplicação da vacina. No desenho transmitido, os personagens verbalizam e movimentam-se de acordo com os procedimentos que as enfermeiras fazem ao aplicar a vacina meningite B.

Ele chorou mesmo assim, mas se distraiu em minutos com o restante do filminho e com o chocolate que ganhou no final.

Já o Miguel não quis assistir ao filminho. Ele estava com medo, principalmente por ter visto o irmão chorar. Apenas sentou no meu colo, como de costume. Fomos no ritmo dele, explicando as etapas da vacina e como seria a picadinha. Falei que seria dolorida, mas que, em 5 segundos, ela acabaria.

Contamos juntos, ele chorou e, seguido de muitos beijinhos e chocolate, eu reforcei a história do soldadinho e o quanto estava feliz por juntos fortalecermos o seu castelinho.

No óculos 3D, filme interage com as crianças, tornando a aplicação da vacina menos sofrida.
(Fotos: Helena Pazzetti)

Sobre a vacina meningite B

Ela é relativamente nova e demorou décadas para ser desenvolvida, sendo criada só depois de muiiiiitos estudos! Descobri que apenas um laboratório no mundo inteiro – o GlaxoSmithKline (GSK) – a produz. Por não ter concorrentes no mercado, o seu valor não é tão atrativo assim – diferente da ACWY, que possui, atualmente, 3 laboratórios produzindo-a.

A vacina meningite B é de vírus inativado – portanto, não causa infecção. A aplicação é dolorida, e existe a probabilidade de dor no local e febre nas primeiras 48 horas. 

Um dado que me impressionou é que, a cada 10 pessoas, uma é portadora da bactéria “neisseria meningitidis”, existente na nasofaringe.

Um simples espirro pode contagiar toooooodo o ambiente com meningococos e transmitir a doença para crianças, idosos ou adultos susceptíveis! É assustador ler isso, não é? Eu sei! Por mais esse motivo dei a vacina.

A meningite B pode deixar sequelas graves e levar a óbito. A vacina ainda não é disponibilizada na rede pública. Na contrapartida, é recomendada para todas as idades, principalmente para quem vai viajar para fora do país.

Portanto, fique atenta, considerando que esse sorotipo precisa de duas doses, em um intervalo de 60 dias (diferente da ACWY, que possui uma única dose).

 

Campanha de Conscientização contra a Meningite

Para finalizar, aproveito para compartilhar que a Clínica Previna está com a Campanha de Conscientização contra a Meningite e adquiriu um grande lote dos sorotipos dessas vacinas. O preço está sendo viabilizado de R$ 650,00 por R$ 595,00. A condição de pagamento é de até 6x no cartão, até janeiro de 2019.

Além do preço, é importante pesquisar as normas de segurança da clínica de vacinação, além da quantidade de profissionais trabalhando na mesma. Tudo isso interfere no valor final!

Minha dica é conferir a data de validade da vacina, a forma como ela é armazenada e se o estabelecimento possui câmaras frias que controlam a temperatura e suas condições ideais.

Também é importante possuir gerador de energia, que garantirá que os equipamentos não desligarão em queda de eletricidade. Isso porque não estar na temperatura ideal faz a vacina perder a sua eficácia!

Entendo que o fim do ano é recheado de boletos, mas vale se programar e respirar aliviado por fortalecer o castelinho com mais esse soldadinho!

Um beijo,
Poly! =)

Previna está promovendo a Campanha de Conscientzação contra a Meningite, com doses a R$ 595. (Fotos: Helena Pazzetti)

 

Para quem deseja saber mais sobre a vacina em si, e também sobre o protocolo da dor e os outros métodos da Previna, a clínica disponibiliza constantemente informações no site, no Instagram e no Facebook!

Outro diferencial que conheci por lá foi o agendamento online. Ele pode ser ideal para quem tem o horário mais apertadinho e deseja entrar, vacinar e ir embora, sem se estender muito na sala de espera. Para fazer o agendamento online é preciso se cadastrar no site da Previna, responder a um formulário e agendar o serviço desejado! Fica a dica!

 

Missão cumprida! (Foto: Helena Pazzetti)


Esclarecimentos adicionais

Aproveitei para esclarecer com o Dr. Verri algumas outras dúvidas sobre a vacina meningite B. Veja:

Quem pode e quem não pode tomar a vacina? Adultos podem pegar meningite B?

Pessoas não vacinadas de qualquer idade são vulneráveis a pegar a doença, inclusive adultos. A vacina é indicada para crianças a partir de 2 meses de idade e adultos até 50 anos. A contraindicação é para pessoas que tiveram alergia grave após uso de algum componente da vacina ou após a dose anterior.

 

Existe o risco de contrair a meningite B pela vacina?

Não existe o risco de contrair a doença pela vacina. Trata-se de vacina inativada, portanto, não causa infecção.

 

A vacina contra a meningite B é dada em duas doses por qual motivo? Quem a toma se livra do risco de ter meningite B para sempre?

O esquema de doses é recomendado através dos trabalhos realizados durante o desenvolvimento da vacina e sempre se procura adequar o menor número de doses com maior proteção possível. Para bebês entre 2 a 5 meses de idade, são 3 doses, com intervalo de 2 meses, e uma dose de reforço, entre 12 e 15 meses. Para bebês entre 6 a 11 meses de idade, são duas doses com intervalo de 2 meses e um reforço no segundo ano de vida. A partir de 1 ano de idade até 50 anos o esquema vacinal é de 2 doses com intervalo de dois meses entre elas. Nesta faixa etária, até o momento, não há indicação de reforço.

 

Dr. Luis Alberto Verri – CRM 51162 – é pediatra geral com ênfase em imunização.

 

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 129 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Tambm