A comunicação do bebê

27.11.2013 – Quando o bebê nasce, nós começamos quase que imediatamente a falar com ele. Nós fazemos isso mesmo sabendo que ele não entende as palavras que falamos. Quando nós o seguramos ou dizemos que o amamos, ele pode responder através de um sorriso ou de um olhar. A comunicação do bebê está presente, só que o seu olhar é a sua “voz”, e nós respondemos a esse comportamento. Já aí a mãe e o bebê estão sendo “falante” e “ouvinte”. Se o bebê começa a chorar, ele é o falante. Seu choro alerta a mãe. Ela pode mudá-lo de posição para deixá-lo mais confortável, ou mudar sua fralda, ou alimentá-lo ou tentar distraí-lo com um brinquedo. O que a mãe faz depende dela e do bebê e depende também do quanto eles se conhecem e de como eles aprenderam a se comunicar.

“A Comunicação é uma Troca”

comunicacao-do-beben

Essas “conversações” precoces da mãe e da criança são muito importantes. Através delas, a mãe aprende a compreender o seu bebê e a “ler” os seus sinais. A criança aprende que as suas comunicações são importantes. Ela chora quando está só, a mãe a pega no colo e fala com ela. Ela chora quando está com fome, e a mãe lhe dá de comer.

Enquanto é pequena, a comunicação não-verbal será a forma com que a criança se comunicará, até aprender a usar as palavras. Tente entender a comunicação de seu filho. Observe-o para perceber alguns sinais – no início os pais terão que adivinhar o que ele quer. Se ele for até a cozinha, ele pode estar faminto ou até com sede. Ele pode estar curioso para saber o que você está fazendo ou pode querer apenas companhia.

“Tente entender a comunicação de seu filho”

comunicacao-do-bebep

É importante os pais mostrarem que estão “ouvindo” as suas tentativas de comunicação. Dêem atenção sempre que a criança começar a “dizer” algo e esperem que ela lhes fale o que quer. Vocês podem balançar a cabeça afirmativamente, para encorajá-lo a falar, ou irem com ele para ver algo que quer mostrar. Então respondam para aquilo que estiver “dizendo” (com gestos ou sons).Seu filho estará também agindo como “falante” quando ele fizer sons ou vocalizar. Ele estará brincando com sua voz. Esses sons não são palavras – mas isto é o melhor que ele pode fazer agora.

Quanto mais habilidosos os pais se tornarem em entender a comunicação de seu filho, mais ele mostrará interesse em se comunicar. Se vocês se tornarem bons ouvintes, ou seja, se tentarem entender o que ele quer comunicar, também estarão ensinando a criança – através de modelo – o que o ouvinte deve fazer. Seu filho precisa se tornar um bom ouvinte para adquirir a linguagem e vocês o estarão auxiliando como fazê-lo.

 

Você poderá gostar de ler: Troca de fralda, será que você sabe tudo? e Vacinas, no posto de saúde ou nas clínicas? 

Cecília Lima

Escrito por: Cecília Lima

Confira os 23 posts publicados pela Cecília Lima

Veja Tambm