8 sintomas que indicam uma visita ao pediatra

22.10.2019 – Quando nasce um bebê, nasce uma mãe. Com as preocupações e rotina do dia, ficamos em dúvida se devemos ir ao pediatra em qualquer situação, se ligamos ou se pesquisamos e pedimos ajuda com outras mães. Mesmo com o crescimento da criança, muitas vezes ficamos perdidas e não sabemos o que fazer. Confira dicas para você saber quando deve correr ao pediatra com orientações do Dr. Alfonso Alvarez, pneumologista pediátrico.

O texto dica de hoje é da mãe amiga Andreia Silveira, colaboradora do site Plano de Saúde. 

Situações em que devo levar meu filho ao médico

Com a experiência, aprendemos que nem sempre é preciso correr com o filho ao consultório médico. Porém, há casos que merecem uma visita ao pediatra o quanto antes. Saiba aqui quais são eles!

A pressa nem sempre é necessária quando se trata de uma enfermidade leve. Por outro lado, existem casos em que devemos levar a criança para receber cuidados médicos o mais breve.

Como identificar tal necessidade? Devo levar meu filho ao hospital assim que ele apresentar febre? E se optar por levar, ele não correrá riscos de pegar outro vírus? Para não errar, é preciso reconhecer os sintomas em crianças que indicam uma visita ao pediatra. Veja aqui quais são:

Quando levar meu filho a uma visita ao pediatra?

Ao perceber que algo não vai bem com a saúde do seu filho, a preocupação já bate à porta, não é mesmo? É natural que os pais tenham um cuidado especial com seu filho, independentemente da idade.

Porém, antes de ligar no consultório do pediatra implorando por um encaixe ou correr ao pronto-socorro, é preciso se atentar aos sintomas apresentados pela criança. Confira aqui uma lista de sintomas em crianças que indicam uma visita ao pediatra!

1. Alergia

Se apresentar edema nos lábios, tosse ou rouquidão, leve-a imediatamente ao pronto-socorro. Saiba que a alergia ou urticária pode ir além da coceira ou manchas vermelhas. Segundo Dr. Alfonso Alvarez, a criança precisa ser avaliada imediatamente pelo risco de apresentar edema de glote e dificuldade respiratória.

Já em tosse junto com a alergia precisa também ser avaliado com rapidez, pois pode ser um problema mais sério que somente um especialista pode avaliar.

2. Febre

Febre não é doença, mas indica de que algo não vai bem, ou seja, mostra que o sistema imunológico está se defendendo. Porém, merece atenção dos pais, já que pode ser o primeiro sintoma para um resfriado quanto para meningite.

Segundo o médico especialista, não importa se ela é baixa ou alta, é necessário uma avaliação do médico para exclusão de qualquer problema mais grave. O indicado é marcar consulta com o próprio pediatra da criança e não levá-la ao pronto-socorro a fim de não expô-la a riscos. Fique atento também se a criança apresenta desconforto respiratório, manchas vermelhas pelo corpo, má coloração na pele, entre outros.

“O limite máximo é de 48h, se receber um antitérmico e a criança melhorar você não precisa sair correndo. Se mesmo com a medicação a criança continuar prostrada, é sinal de que algo está fora do comum. Lembrando que abaixo de 3 meses de idade, a criança precisa sim ser examinada e não pode esperar o tempo citado”, explica Dr. Alfonso.

3. Diarreia e vômito

A causa mais indicada é de uma virose ou intoxicação alimentar, porém, não deve ser ignorado. Isso porque esses sintomas causam desidratação nas crianças e isso é bastante perigoso. Além de hidratá-la em casa, é preciso visitar o pediatra, especialmente se vier acompanhada de febre.

“O fator primordial aqui é hidratar com bastante líquido”, explica o médico.

4. Dor de cabeça

Algumas crianças sentem dor de cabeça por conta do sono. Porém, se após algumas horas de sono ela não passar, ou se persistir por mais de 2h e ser intensa, fazendo com que a criança fique prostrada, leve-o ao pediatra. Tenha como regra o fato de que, se a criança não quiser brincar, assistir ou outra atividade, já é preocupante.

5. Falta de ar

Se a criança não está praticando atividades físicas, se torna preocupante e a visita ao pediatra se faz necessária. Fique sempre atento ao ritmo da respiração do pequeno quando ele está dormindo. Entre as causas mais comuns, estão: tosse, asma, bronquite, pneumonia, gripe e dor de garganta.

6. Convulsão

Vá ao pronto-socorro imediatamente. Se a convulsão ocorrer por conta da febre, coloque-a no chuveiro, em água morna, para diminuir a temperatura corporal. Após, vá ao hospital mais próximo.

“Se a criança tiver um quadro convulsivo e a mãe for orientada a tratar em casa, não há a necessidade de sair correndo e sim ter o acompanhamento do médico especialista”, orienta Dr. Alfonso.

7. Intoxicação

Entre em contato o mais rápido possível com o pediatra. Não se esqueça de levar o rótulo do produto ingerido/inalado, entre outras informações importantes. Anote o horário em que ocorreu, quantidade e nome da substância.

Considere falar sempre, primeiro, com o pediatra da criança antes de a levar ao pronto-socorro. Isso em caso de não apresentar os sintomas mencionados acima, como: intoxicação, convulsão, alergia, entre outras mais sérias.

8. Sinais alarmantes

O estado geral da criança deve ser sempre observado, desde o apetite até a disposição. Uma criança que está indisposta, mostra um sinal preocupante e que requer atenção de um médico. Afinal, esse é o principal termômetro da saúde do pequeno.

Portanto, se apresentar febre baixa, mas a criança continuar a brincar e comer, não é um sinal alarmante. Basta observar para que o quadro não fique pior e marcar uma consulta com o pediatra para avaliá-la. Correr com a criança ao pronto-socorro por conta de uma leve febre não é indicado, pois você irá expô-la a doenças.

Independente de contar ou não com um convênio médico, o pronto-atendimento só deve ser utilizado em casos em que não se pode aguardar pela consulta com o pediatra responsável.

Independente dos sintomas, se a criança estiver apática é preciso levar com urgência para um atendimento médico.

Texto escrito por Andreia Silveira  e complementado com orientações do médico pneumologista pediátrico,  Dr. Alfonso Alvarez.

Revisado por Madame Conteúdo.

 

Confira também:

Quando devo levar meus filhos ao Pediatra?

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1839 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também