5 coisas que seu filho espera, mas não sabe pedir

09.08.2019 – Hoje para falar mais sobre paternidade, tivemos ajuda de um parceiro que é master Programador Neurolinguístico e Coach, trazendo sobre 5 coisas que seus filhos esperam de você, mas não sabem pedir. Vem ler!


Gabriel Costa

Pai da Lara e do Théo, Master Programador Neurolinguístico e Coach.

Através das redes sociais, iniciou um projeto para falar sobre a paternidade, com o intuito de despertar em outros homens o desejo de entender e participar mais dessa jornada tão incrível.

Instagram: @papaiquecria

 

5 coisas que seu filho espera, mas não sabe pedir

A partir do momento que a vida é gerada, ser pai não é mais uma escolha. A verdade é que ninguém nasce sabendo como ser pai, e muitos homens abandonam – completo ou parcialmente – esse papel por não ser intuitivo e não ter referências positivas sobre paternidade.

Nós homens, crescemos com a ideia de que a mulher vem com a maternidade instalada de fábrica, o que é uma grande mentira! A maternidade, assim como a paternidade, demanda da construção de uma nova identidade, desenvolvendo novas habilidades e capacidades para suprir as necessidades da criança em cada fase da vida. E a diferença é que elas foram lá e fizeram.

Não existe um manual de instruções tampouco o pai perfeito, e acredito que estamos em uma era de pais esforçados, que realmente querem fazer a diferença e que buscam cada vez mais ser mais participativos e ativos, assumindo integralmente sua responsabilidade e se permitindo viver essa relação – que pra mim, é a mais importante da minha vida – deixando um legado de amor e de exemplos.

Muitos homens me procuram, perguntando como ser e o que fazer para ser um pai melhor para seus filhos. Eles querem verdadeiramente viver a paternidade e já entenderam que não tiveram recursos para serem tudo aquilo que eles gostariam.

Nesse sentido, podemos encontrar muitas coisas por aí que fala sobre o passo a passo pra gerar conexão com seu filho, dicas do que fazer para ser pais melhores, de como se comunicar de forma assertiva com a criança, como criar crianças criativas e etc, e tudo isso ajuda muito nesse processo. Por acharmos que as crianças devem se adequar ao nosso mundo, mundo dos adultos, muitas vezes fazemos coisas que geram resultados positivos para nós, mas que não estão atendendo o que elas verdadeiramente precisam.

Então, em comemoração e conscientização ao dia dos pais, entendendo que cada pai tem recursos internos e externos diferentes e que crianças têm demandas diferentes, resolvi escrever não só sobre o que devemos fazer, mas sim sobre as 5 coisas que seu filho espera de você, mas não sabe te pedir.

Gabriel Costa e família.

1- Proteção e Amparo

Diferentemente do que alguns imaginam, o pai não precisa ser rígido e insensível porque a mãe já exerce o papel de amor e afeto, muito pelo contrário! Para as crianças, o pai diz respeito a força, coragem e dele, na maioria das vezes, determinam seus valores pessoais e limites.

Ser muito rígido vai contra tudo aquilo que elas precisam de um pai, principalmente se a agressividade vier acompanhada de agressão física e verbal – atenção para não repetir os padrões negativos aprendidos com seus pais nesses momentos.

As crianças sentem medo do desconhecido o tempo todo, se sentem em um mundo hostil, e elas querem ser protegidas e acolhidas principalmente em momentos de adversidades, mesmo que elas tenham feito algo que você considere errado.

Então, mesmo nos momentos em que sejam necessárias correções e ajustes, mantenha sua posição de porto seguro, sempre proteja e acolha seus filhos. Deixe-os perceberem que você estará ao lado deles para o que for e mostre que você os ajudará a superar esses obstáculos, independente de quais sejam.

2 – Reconhecimento e Importância

No intuito de serem reconhecidas por quem elas são, todas crianças querem chamar a atenção dos pais, e cada uma faz isso de uma forma diferente. E geralmente, muitas vezes são confundidas como birrentas e dramáticas, o que é uma grande injustiça com quem só quer se sentir importante e quer ter voz.

Diante de situações como essas, nós enquanto adultos, exigimos inconscientemente que nossos filhos se enquadrem ao mundo de adultos sendo compreensivos, quietos, que entendam a nossa ausência, que fiquem felizes e satisfeitos com as “migalhas” que oferecemos a eles, entre muitas outras coisas.

Eu sei, eu sei… A nossa intenção é a mais positiva possível, mas como você se sentiria dentro desse exemplo onde você faz, faz, faz de tudo para se destacar no seu trabalho buscando admiração do seu chefe, para ter aquela promoção, para aumentar seus ganhos e ele fala pra você que não faz mais do que a sua obrigação – te colocando “no seu devido lugar”.

As crianças esperam que você pare para ouvir o que elas estão falando, assistindo aquele teatrinho que elas preparam com os bonecos, sentando no chão pra desenhar com elas, porque elas querem nos provar que merecem nosso tempo, que elas são boas e tem seus méritos.

Se seus filhos não se sentem importantes para pais, na mentalidade literal das crianças, eles generalizam que não são, e não se sentem importantes para o “MUNDO”. Assim sendo, eles vão passar a vida inteira fazendo coisas para os outros na ânsia de serem reconhecidos.

Sempre que tiver a oportunidade, ajude-os a identificar seus sentimentos e valide isso com eles – dando a devida importância, entenda a maneira que eles se sentem reconhecidos, desenvolva suas autoestima e segurança pessoal e principalmente valorize-os pelo que eles são e não por aquilo que eles fazem – parte crucial para que eles se sintam importantes.

3 – Segurança e confiança

Já foi dito que as crianças esperam um porto seguro para se sentirem protegidas e amparadas, e se você estiver cumprindo essa “missão”, já terá embasamento que vai te ajudar muito a construir a confiança e segurança que elas tanto precisam e não sabem como te solicitar.

Somos seres humanos e cometemos muitos erros durante a nossa jornada, e com isso, muitas vezes entramos em contradição por conta das nossas escolhas e nos tornamos incongruentes em relação a mensagem que queremos passar ao nossos filhos.

As crianças querem muito sentir segurança para poderem confiar nos pais, porém é a congruência entre o que falamos e o que fazemos, e principalmente a alteração daquilo que fazemos e como fazemos que determina se elas poderão ou não nos confiar as suas vidas.

Elas são muito literais e a mudança de atitudes sobre um único combinado por exemplo, pode causar um impacto de desconfiança, reforçado por várias outras atitudes e comportamentos, gerando assim a sensação de não estarem seguras com os pais.

Aqui, o principal sentimento que você NÃO quer se seus filhos sintam é o de traição.

Prestar atenção nos combinados, manter a palavra para que as crianças não se sintam prejudicadas pela troca de opção e solicitar a ajuda delas para encontrar uma solução quando precisar quebrar um combinado, são formas para que as crianças não se sintam invadidas e continuem a se sentirem respeitadas.

Você pode perder dinheiro, perder amigos, perder o emprego, perder oportunidades, mas nunca perca a confiança dos seus filhos!

4 – Amor

Aqui tudo parece óbvio, mas será que é mesmo? Mesmo sabendo que todas crianças só querem ser amadas, será que todas são realmente? E seus filhos, será que eles se sentem verdadeiramente amados?

No pressuposto de que toda criança só quer ser amada, elas usam seus melhores recursos para fazer valer seu maior anseio, mesmo não sabendo como nos pedir isso. Basicamente, elas usam um dos três caminhos para sentir nosso amor, que são através da busca de se sentirem protegidas e amparadas, serem importantes e reconhecidas, e se sentirem seguras para poder confiar em nós. Pronto! Só isso – risos.

Nosso papel é muito mais significativo do que parece, e nós não temos noção do quanto esses pedidos silenciosos são importantes. Então mostre o seu amor incondicional, aceite seu filho do jeito que ele é, sem precisar se adequar ao nosso mundo de adultos, sem se condicionar a padrões de aprendizados que nem são seus – e muitas vezes nem sabe onde aprendeu. Deixe aflorar a melhor versão do seus filhos.

5 – Referências e exemplos

Aqui, as crianças esperam que nós ensinamos o que elas precisam fazer, de forma que elas esperam exemplos a serem seguidos, almejando referências de comportamentos, habilidades, crenças, valores e por aí vai…

Quem nunca ouviu que as crianças são como esponjas e que absorvem tudo com muita facilidade? Pois é, e isso pode ser sorte ou pode ser azar, vai depender do contexto que nossos filhos estão inseridos.

Dito isso, fica a nossa responsabilidade de assumir por completo nosso papel de pai, oferecendo nosso amor incondicional, dando exemplos positivos de comportamento e posicionamento. Sempre com o pensamento no tipo de adulto que queremos que nossos filhos se tornem.

“O resultado que você não tem é por aquilo que você ainda não sabe”

Diferente do você já deve ter escutado, nós não trilhamos um caminho. A vida nada se assemelha com um trilho, não somos como maquinistas guiando um trem, onde há regularidade e obrigatoriedade de direção, horários fixos e predefinidos para as chegadas e partidas, e curvas no trajeto rígidas e imutáveis.

A nossa vida mais parece com um barco, solto no oceano, e se não assumirmos o controle do timão, se não segurarmos o timão com firmeza e decisão sobre as direções que queremos seguir, se não conhecermos bem como ele funciona e não usarmos o nosso mapa da melhor forma, ele vai para onde a maré levar! E a responsabilidade como pai é ainda maior, porque nossos filhos são passageiros do nosso barco, eles vão para onde formos.

Você tem atendido o que seus filhos esperam de você? E além disso, quais mares você quer que seus filhos naveguem hoje e no futuro?

Texto escrito por Gabriel Costa.

Confira também:

O pai parceiro é aquele que segue essas 3 dicas no pós-parto

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1844 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm