5 alimentos perigosos para as crianças

26.11.2019 – Você sabe quais os alimentos mais perigosos para as crianças? Muitas crianças sofrem em algum momento da infância com engasgos e toda atenção com o que eles comem é essencial para que consigamos evitar.

Conversamos com especialistas da área médica e também com a mãe amiga Alessandra Zamora, mãe do Lucas, que deu origem a Lei Lucas, aprovada no nosso território nacional, e listamos 5 tipos de alimentos que são perigosos para as crianças. Confira:

Amendoim, castanhas, nozes, amêndoas

Como esses alimentos são duros e precisam ser bem triturados antes de engolir, o risco de engasgo é alto (afinal, os pequenos ainda estão aprendendo a mastigar). Outra ressalva em relação às oleaginosas é que algumas delas estão entre os alimentos que mais provocam alergia nas crianças (o consumo de soja, por exemplo, não é nem recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria antes dos dois anos, por esse motivo).

Alimentos pequenos e arredondados

Mesmo a uva e o tomate-cereja, por exemplo, que possuem consistência mais mole, podem acabar provocando engasgo. Isso por conta do formato deles, arredondado, que não ajuda: ao contrário, faz com que esses alimentos sejam mais fáceis de serem engolidos acidentalmente (antes de estarem devidamente triturados na boca). Por isso, quando for servi-los, vale a mesma dica das outras frutas e verduras: corte-os bem (em quatro partes).

Frutas e verduras duras e com casca

Às vezes até nós acabamos engasgando com cascas de frutas (como a da maçã, por exemplo), não é mesmo? Então tenha atenção redobrada com o que for oferecer à criança. Quando for servir frutas, verduras e legumes, tenha o cuidado de descascá-los e cortá-los bem, em pedaços miúdos.

Carne e salsicha

Pela carne ser mais um alimento fácil de provocar engasgo, quando der início à dieta sólida do filhote, pode ser mais interessante oferecê-la desfiada em um primeiro momento. Só depois, então, parta para pedaços pequenos. Vale saber ainda que a salsicha, por exemplo, não deve ser ofertada nem em rodelas (o melhor é fazer um corte longitudinal na peça e, em seguida, cortá-la em pedacinhos; mas é importante destacar que esse alimento possui muitos conservantes e é pobre em nutrientes, ou seja, não é uma opção saudável para servir à criança).

Balas e chicletes

Pelo excesso de açúcar e pela deficiência nutricional, balas e chicletes devem ficar de fora do cardápio das crianças. Mas é importante saber que o risco de engasgo é mais um agravante (e muito sério) para manter esses doces longe dos pequenos. O risco de engoli-los acidentalmente é muito fácil, e o formato (muitas vezes arredondado) dessas guloseimas ainda contribui para o perigo.

Pipoca e salgadinhos

Considerando que em geral esses alimentos são oferecidos quando a criança está ocupada com outras atividades (como assistindo TV ou durante um passeio, por exemplo) o risco de engasgo é alto, visto que o pequeno fica distraído, e pode acabar engolindo sem mastigar direito. O ideal é oferecer pipoca e salgadinho somente para os maiores de dois anos, e com supervisão (para as pipocas, certifique-se de que estejam bem estouradas e, no caso dos salgadinhos, fique de olho nas quantidades de sódio e gorduras; opte por versões mais saudáveis, geralmente assadas).

O que fazer?

Segundo especialistas, o verdadeiro engasgo acontece quando um objeto ou fragmento de alimento penetra na laringe, traqueia ou brônquios, causando sufocação. Nesse caso, é necessário que se tente alguma manobra que possa facilitar a expulsão do corpo estranho, salvando a criança. Existe um conjunto de manobras, denominadas Manobras de Heimlich, que podem auxiliar nessas circunstâncias.

Confira a história da professora que salvou a vida de um aluno, quando ele se engasgou com uma maçã.


Fontes de pesquisa: Secretaria da Saúde, Hospital Sírio Libanês, Mil dicas de Mãe e Leiturinha.

Confira também:

Os primeiros 10 minutos são decisivos

Alessandra Assumpção

Escrito por: Alessandra Assumpção

Confira os 60 posts publicados pela Alessandra Assumpção

Veja Tambm