3 dicas para ajudar seu filho a assumir o controle dos estudos

23.10.2019 – O final do ano já está chegando, com ele vem junto as provas finais e nossos filhos podem não se preocupar com os estudos da maneria que deveriam. Separamos 3 dicas para que nós pais, possamos ajudar nosso filhos a se desenvolverem de forma saudável e se disciplinarem quanto aos estudos.

Trazemos hoje duas especialistas em educação para falar mais deste assunto.

 

SOS Educação

Tais Bento e Roberta Bento.

Palestras, consultoria, parcerias na área de educação escolar de pais junto com seus filhos.

Instagram.

 

 

Como ajudar seu filho a assumir o controle dos estudos?

Reta final do ano letivo e seu filho na maior tranquilidade?

Até esse momento, muitos deles foram vivendo uma montanha russa de emoções em relação ao envolvimento dos filhos com os estudos. Algumas vezes levando sustos com notas baixas e bilhetes da escola, outras se consolando com uma nota ali, raspando na média, sinalizando a esperança de que a situação ia mudar para melhor.

Eis que chega o mês de outubro. De repente, vocês, pais entram em pânico ao perceber que restam menos de dois meses de aula e lá se vai mais um ano letivo. Olham para o lado, com aquele frio na barriga e enxergam seus filhos ali, tranquilos, como se não tivessem a mínima ideia do grande desafio para o pouco tempo restante.

Temos duas boas notícias. A primeira é que ainda há sim tempo suficiente para fazer um final de ano sem sustos e notícias desagradáveis. E a segunda é que seu filho não está necessariamente sentindo aquilo que deixa transparecer. As chances são enormes de que ele esteja tão ou mais preocupado do que você. Contudo, não sabendo como sair dessa situação, acaba por entrar no modo “deixa como está, para ver como é que fica”.

É agora o momento de fazer ajustes na rotina da família, para criar um ambiente que favoreça a virada que pode ser feita se vocês agirem juntos. Separamos 3 dicas:

 

Taís e Roberta Bento

Definir um horário fixo para a tarefa e estudo

Estudar no mesmo horário é uma ótima técnica para tornar essa prática uma parte da rotina diária. Combinado o horário, que pode respeitar características do seu filho, como a necessidade de descanso depois da aula ou a brincadeira com amigos do prédio no final da tarde, resta organizar os horários de todos para que seja cumprido o horário definido como a hora do estudo. No horário definido como horário de estudo, todos os equipamentos de tecnologia devem estar desligados. Caso precise do computador para alguma tarefa ou para acessar a agenda escolar, primeiro faz isso e desliga toda a tecnologia para se concentrar na lição ou no estudo.

Organização do tempo e dos estudos

Relaxe e descubra que nota você tiraria nas provas do seu filho

Muitas vezes tudo o que o filho precisa é de um incentivo diferente, altamente motivador e desafiador. Que tal propor que seu filho prepare provas para você exatamente das matérias em que ele tem as notas mais baixas?

Não se preocupe com a nota que você vai tirar. O importante é a energia que ele vai encontrar para preparar as provas para você e o quanto vai ter que se dedicar para pensar nas questões. Mais que isso, para corrigir e dar a nota, ele vai ter que buscar as respostas nos materiais da escola – apostilas, livros, cadernos. E não há melhor maneira para estudar do que precisar do conteúdo para corrigir a prova, ao invés de ser o alvo da correção. O bônus dessa dica é que seu filho relaxa em relação àquele medo da “prova”.

Se ele mesmo já preparou algumas e corrigiu, cai aquele mito de que a prova é algo inatingível para um aluno. Não se preocupe se você realmente não souber o conteúdo. Arrisque alguma resposta. E se for aquela matéria que é sua especialidade, capriche em algumas respostas e erre outras, para dar a ele o trabalho de buscar a resposta correta na hora de corrigir.

Crianças estudando

Peça ajuda

Você não precisa dar conta de tudo sozinha, relaxe e respire para que você possa curtir a fase que seu filho está vivendo hoje. Sabe esse cansaço enorme, esse medo de não estar sendo boa o suficiente como mãe, no trabalho ou no relacionamento (se é que tem sobrado tempo para isso)?

Não é culpa sua, mãe. E não está em suas mãos conseguir mudar todos esses aspectos da vida para melhor. Uma pesquisa feita durante cinco anos mostrou que sozinhas não vamos conseguir lidar com tanto estresse. Vivemos em uma era em que há uma combinação de ideais que são tanto incompatíveis como impossíveis de serem realizados.

Quanto mais tentamos equilibrar o trabalho e a maternidade perfeita com a vida pessoal, mais nos desgastamos e vivemos em situação de alto estresse. E tanto faz se você trabalha fora ou se é mãe em tempo integral: todas se cobram demais, tomando para si a responsabilidade pela felicidade imediata e constante dos filhos. Tentando dar conta de tudo, começamos a ter ideias que viram uma enorme auto sabotagem: “se eu acordar mais cedo, se eu for dormir mais tarde, se eu almoçar em menos tempo”.

 

A pesquisa mostrou que mesmo mães que têm o apoio de pais realmente participativos, sentem culpa por aquilo que estão deixando de fazer com ou pelos filhos. Isso significa que, mesmo que de forma inconsciente, acabamos por não deixar que um pai presente realmente compartilhe conosco a responsabilidade pela educação dos filhos.

Precisamos entender que nem tudo depende de nós. Precisamos deixar de lado o receio de sermos julgadas. Precisamos nos unir e deixar de lado a busca pela perfeição na maternidade.

 

Texto escrito por SOS Educação.

Revisado por Madame Conteúdo.

 

Confira também:

Seis dicas práticas para educação financeira dos filhos

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1868 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também