Um filho por opção

selo materia mae amiga

 

Roberta Gonzalez

Mãe da Lara (5 anos)

♥ “Cobrança existe, é incrível como parece que as pessoas não aceitam a opção de quem quer ter apenas um filho.”

 

17.11.2015 – Durante toda infância, sempre fui “mãe” de uma única boneca… E esse era meu pensamento. Veio o namoro, o noivado, o casamento. E esse pensamento, agora, fazia parte de nós dois: sermos pais, um dia.

Um filho por opção

Podia ser menino, menina, ou se fosse da vontade de Deus e viessem dois de uma única vez, eles também seriam muito bem recebidos.

filho unico por opcaoQuatro anos de casada, e a grande decisão. Era hora de aumentar a família. Bastou apenas uma, acreditem uma tentativa e veio o resultado: POSITIVO!!!

“Quatro anos de casada, e a grande decisão. Era hora de aumentar a família.”

Meu marido sempre disse que era uma menina e eu aguardava o resultado. Desde o primeiro momento ele disse que se chamaria LARA.

E não é que acertou! A Lara estava à caminho. Uma gravidez tranquila, sem nenhuma intervenção. Trabalhei até um dia antes de sua chegada, só não trabalhei no dia, pois minha diretora não deixou, mas limpei toda a casa…

Então, no dia 12 de fevereiro de 2010, após a faxina fui para uma das últimas consultas, já que minha médica iria viajar, era feriado de carnaval, e o dia da Lara nascer se aproximava. A consulta foi às 11:00 da manhã e como detectamos que minha placenta estava com pouco líquido, fomos para cesárea e 6 horas depois minha boneca já estava em meus braços… Sim, ela nasceu sexta-feira de carnaval e exatamente 1 mês depois do meu aniversário.

Tudo muito tranquilo, nada de cólicas, choros… Ali estava: minha única boneca, mas agora eu era mãe de verdade…

10991162_702947336493366_4376472076880009247_nO tempo passou, já se vão quase 6 anos e o pensamento de ter apenas um filho é o mesmo. Eu e meu marido temos a mesma opinião! Cobrança existe, é incrível como parece que as pessoas não aceitam a opção de quem quer ter apenas um filho.

“Criar filho é tão complexo, é uma responsabilidade muito grande. Por mais que pareça clichê: filho é pra toda vida”

Criar filho é tão complexo, é uma responsabilidade muito grande. Por mais que pareça clichê: filho é pra toda vida. Nessas condições essenciais está incluído tudo, não só a parte financeira, mas, também – e, pra mim, principalmente –, a educação, o tempo… Para nós, ter apenas um filho traz mais possibilidades de ocupá-la e dar mais oportunidades e facilidades na vida.

Os argumentos dos que tentam nos convencer a aumentar a prole, como o fato da solidão vivida pelos filhos únicos, a questão de ele crescer achando que pode tudo, que é o “reizinho” da casa, que viverão superprotegidos, etc, não faz com que eu mude de ideia. Não entendo dessa forma. Acho que se as coisas forem feitas com prudência e limite o filho único não será sinônimo de tirania. É o que tento mostrar para minha filha.

“Acho que se as coisas forem feitas com prudência e limite o filho único não será sinônimo de tirania. É o que tento mostrar para minha filha.”

 

Depoimento de outras mães

“Minha melhor amiga, minha melhor companheira, minha miniatura, minha confidente, MINHA ÚNICA FILHA!”

“Sou mãe da Iasmin de 9 anos. Comecei tentar engravidar com 4 anos de casada. Tive problemas de saúde – endometriose – e demorei 2 anos para conseguir engravidar! Engravidei e tive pré eclampsia aos 7 meses de gestação. Iasmin nasceu pre matura de 32 semanas, mas felizmente nasceu bem! Aos 5 anos da Iasmin, decidi tentar engravidar novamente! Mas a endometriose tomou conta de mim! Sem sucesso nas tentativas fiquei sabendo que teria que retirar parte do intestino. Iasmin sempre me acompanha nas consultas médicas e quando ouviu do médico me dizendo que seria uma cirurgia de risco, ela me disse: – Mamãe, eu prefiro ter você aqui comigo, do que ter uma irmã e nunca mais te ver! Affff aquilo tomou conta de mim, e aquela voz interior me disse: Aproveite a filha que tem AGORA! Seja feliz! Desde então, vivo intensamente cada instante de minha vida ao lado de minha filhota linda! Minha melhor amiga, minha melhor companheira, minha miniatura, minha confidente, MINHA ÚNICA FILHA! Não importa a quantidade, mas sim a QUALIDADE!” – Paty Costa

“Só uma filha não!!! Tenho a filha que me faz viver a experiência do amor maior do mundo”

“Sou de uma família bem grande, somos em 6 filhos. Sei como é bom ter viver esse amor. Mas, decidi ser mãe de uma única filha!!! Sempre tive o sonho de ser mãe, mesmo porque sou professora de educação física, sempre gostei de criança, gosto de gente… A minha primeira gestação eu tive um aborto, logo no início… Depois de 6 meses engravidei da minha filha… Foi uma gravidez beeeeem difícil. Tive túnel do carpo e pressão alta a partir do 5° mês. Desde então vivo esse amor maior que eu. Minha filha nunca pediu um irmão… Até que um dia eu e meu esposo conversando eu disse que não queria e não precisava mais ficar sem a pílula já que com a Duda eu me sentia completa… Quando me falam “só uma filha????” Eu digo “só uma não!!! Tenho a filha que me faz viver a experiência do amor maior do mundo” – Adriana Becegato

“Quando decidimos ter um único filho não deixamos de pensar na situação financeira”

“Sou mãe do Miguel, 4 anos e 5 meses. Quando decidimos ter filho foi muito bem pensado, com muito carinho e amor. Meu marido vem tem dois irmãos e eu cinco, e quando decidimos ter um único filho não deixamos de pensar na situação financeira, pois sempre quando tocamos no assunto de filho pensamos em dar o melhor para ele: um bom convênio, uma boa escola, uma boa moradia e também pensamos no futuro, como a faculdade… Estamos muitos felizes com o nosso filho único que só veio acrescentar em nossas vidas!!!” – Angela Vicentin

“Me sinto 100% realizada apenas com ela”

“Decidi apenas pelas Valentina por não ter estrutura emocional, nem matrimonial para ter um segundo filho. Hoje me sinto 100% realizada apenas com ela” – Naty Costa

“Penso nas aulas de genética da faculdade, quando a professora dizia para engravidar até os 34 anos”

“Sempre desejei ter um filho, mas não foi nada planejado. Fui morar com meu namorido, passei por muito estresse quando estava grávida e nós primeiros meses de vida do meu filho. Hoje estou com 36 anos, Pedro me pede para dar um irmão e uma irmã para ele, mas penso nas aulas de genética da faculdade, quando a professora dizia para engravidar até os 34 anos, porque depois o risco de síndromes genéticas aumenta significativamente a cada ano de vida da mulher.” – Giovana Gurgueira

 “Foi uma opção nossa e está muito bem resolvida. Somos muito felizes na nossa vida a três”

“Sou mãe de filho único por opção. Tive o Dudu bem nova, com 22 anos e pensei muito para ter o segundo. Não quis ter logo e o tempo foi passando. Não tenho crises por ter um filho único. Por muito tempo ele me pediu um irmão, mas não quis ter outro filho, para atender às necessidades do Dudu e ficar mal com essa decisão. Hoje o Dudu está com 18 anos é um filho maravilhoso e não pensa mais em irmãos. Aprendeu a viver assim, e diz que gosta. Foi uma opção nossa e está muito bem resolvida. Somos muito felizes na nossa vida a três!” – Cacá Dominiquini

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1449 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também