Trombofilia: Foram 248 injeções na barriga para Sofia nascer!

 

Ana Carolina de Souza Silva
Mãe do Felipe (um anjo no céu) e Sofia

♥ “Nós vencemos a trombofilia, vencemos a restrição de crescimento, vencemos a prematuridade, vencemos a UTI. A Sofia nasceu e eu renasci!”

 

Perdi meu primeiro anjo, descobri a trombofilia e precisei de 248 injeções na barriga para Sofia nascer!

Nossa história se inicia em agosto de de 2015 quando decidimos engravidar. 3 meses depois eu estava grávida do nosso primeiro filho. Só meu marido e eu sabemos o quanto nossa gravidez foi planejada e o quanto esse bebê foi esperado e querido. Só nós dois sabemos o quanto nosso mundo desabou e o quanto foi difícil ter forças todos os dias para continuarmos vivendo depois da perda.

Durante a gravidez do Felipe, descobri que seu crescimento não acompanhava a gestação, com 18 semanas ele tinha tamanho de 15. O médico me receitou vitaminas, mas não resolveu. Um dia sonhei com o Felipe se despedindo de mim… não demorou muito e passei mal mais uma vez. A médica não conseguia ouvir os batimentos. Havia perdido meu anjo. Na autópsia do Fe, nada foi detectado. Estava com suspeita de trombofilia, mas nada foi confirmado.

Foi difícil não se revoltar com o mundo, se revoltar com Deus. Nesse momento você entende cada vez menos os propósitos de Deus e o porque você tem que passar por isso. Mas tenta arrancar forças, nem sei de onde, pra continuar vivendo. Saí do hospital sem dor, aliás com uma dor inexplicável na alma, no coração. Quantas vezes depois disso choramos abraçados, somente choramos, sem falar nada, sem nos olhar, o colo um do outro simplesmente consolava um pouco da dor que sentíamos no momento.

No hospital mesmo, antes do meu filho nascer meu marido me pediu de novo em casamento. Resolvermos realizar o nosso sonho de casar na igreja. Isso tem sido um escape para os dois, e fez com que a dor diminuísse um pouco.

Na época li em uma entrevista de uma jornalista: “O desejo de ser mãe me empurrou pra frente. Me obrigou a levantar da cama, a voltar ao trabalho, a olhar pro futuro e a acreditar que seria possível sim ter em breve um filho.” Era esse desejo que me motivava dia a dia, era ele quem tinha me dado forças para que continuasse tentando.

Faltando 2 dias pro nosso casamento Deus nos deu uma nova chance, descobrimos que estava grávida. Tive a confirmação da Trombofilia na gravidez da Sofia, que também estava com restrição de crescimento. Enfrentamos a luta contra a trombofilia, o risco de ter um avc, um risco de um infarte, o risco de ter um parto prematuro.

Foram no total 248 injeções na barriga para que ela pudesse nascer e mesmo com todo esforço e repouso ela precisou nascer antes. A Sofia veio de repente, um mês e meio antes do previsto nossa menina decidiu que aquele seria seu dia. E a Sofia já chegou chegando nesse mundo, chegou como ela só, mostrando a todos a que veio. No seu 1,5 kg mostrava a todos que tamanho não é documento.

Não pude segurar minha filha no colo quando ela nasceu, não pude ter minha tão sonhada foto de família na sala de parto, eu quase não a vi, ela nasceu e já foi direto pra incubadora. Só fui conseguir vê-la pelo vidro da quase 13 horas depois. Precisei ter muita fé. Em momentos que nem sei de onde eu consegui tirar forças pra seguir em frente dia a dia a nossa batalha.

Na hora do desespero era somente Deus e eu. Com o joelho no chão do banheiro da UTI pedia um milagre, o milagre para poder leva-la pra casa e sem nenhuma sequela. Somente 4 dias depois que ela nasceu pudemos pegá-la no colo, foi quando vimos o rosto da nossa filha pela primeira vez. Sentimos seu cheiro, beijei seus cabelos, e naquele momento parece que o tempo havia parado.

21 dias depois do nascimento dela tivemos nossa tão sonhada alta. Entre palmas e muita festa, foi assim que partimos para nossa casa, deixando lá amigos preciosos e eternos. Aquele foi o dia mais frio do ano e eu não me importava, só queria saber de ver minha filha no quarto dela, que preparamos com tanto carinho.

Um novo capitulo se iniciava, o capitulo mais importante das nossas vidas. A Sofia finalmente estava em casa e eu ia poder ser mãe dela. Espero poder dar esperança para quem está passando pela mesma situação que passei. Nós vencemos a trombofilia, vencemos a restrição de crescimento, vencemos a prematuridade, vencemos a UTI. A Sofia nasceu e eu renasci!

 

Clique Aqui e veja o vídeo de retrospectiva da Sofia!
Trombofilia: Foram 248 injeções na barriga para Sofia nascer!

 

Confira Também:

Descobri o Câncer de mama na primeira gravidez

Nasce uma mãe e uma mulher leoa-borboleta

Alice nasceu prematura e sem os dedinhos, só descobrimos no parto

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1389 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também