Ter o segundo filho é mais fácil que o primeiro?

06.10.2015 – Ter o segundo filho é mais fácil que o primeiro? Confesso que estava curiosa para saber se isso era verdade! E cá estou, finalmente, vivenciando na prática o que é ser mãe de dois.

Miguel tem 4 anos e Murilo 1 ano e resolvi, junto com as mães amigas do grupo fechado do facebook, registrar alguns sentimentos que só mãe de segunda viagem entende.

De inicio eu diria que ter o segundo filho não é mais fácil. Mas ser mãe do segundo é! RS… Na verdade a chegada do segundo filho deixa a nossa vida muito mais corrida, mas ao mesmo tempo, como somos mães mais seguras e experientes, parece que deixamos algumas neuras de lado, encaramos de frente a situação e temos certeza que no final tudo dará certo!

Uma coisa é fato: Sim! O amor se multiplica!

É impressionante como aprendemos a amar o segundo tanto quanto o primeiro… E eu sei que essa é uma pergunta que matuta a nossa cabeça! Mas pode ficar tranquila, os seus olhos vão brilhar e seu coração amará tanto quanto o primogênito! É lindo demais! Animou?! rs

Ter o segundo filho é mais fácil que o primeiro?

“Nenhuma gravidez é igual a outra”
Fato! Miguel nasceu de 39 semanas de um PN. Murilo me fez sentir os enjoos matinais, as ânsias, as azias, e ele nasceu de 31 semanas, no susto, sem explicação, também de PN.

“O segundo filho escorrega”
Para mim, fato ao cubo!Eu acho que evitar peso é algo fora do comum na segunda gravidez. Repousar é humanamente impossível. Como uma mãe consegue negar um colinho para o primeiro filho? As vezes me pergunto se foi por isso que Murilo nasceu prematuro. Será que eu exagerei?

“Quando um fica doente, o outro adoece em seguida”
Nem sempre. Murilo já sobreviveu a uma casa inteira de enfermos. rs

“Levantar de novo a cada 5 minutos para ver se está respirando”
Eu acho que pode ser o primeiro, segundo, terceiro, quinto….a gente sempre vai levantar a cada 5 minutos para ver se eles estão respirando ahahahahha.

“O segundo nunca tem as mesmas coisas que o primeiro!”
O primeiro sempre terá mais fotos, o caderno de recordações completo, o primeiro corte guardado, o video de retrospectiva, as roupas novas só para eles. Com dois é muito difícil fazer tudo que o primeiro teve!

O sentimento das mães amigas

“A leveza é essencial. Sujar-se um pouco, andar de cara suja, descalço ou molhar-se quando faz calor não mata ninguém, muito pelo contrário, faz uma pessoa pequenina muito feliz e a recompensa está estampada no seu mais lindo sorriso.” – Patricia Alves Rodrigues Figueira

“A verdade é que não precisamos comprar tanta coisa para a chegada do bebê. Mais da metade que o primeiro tinha perdeu-se sem ele usar uma única vez! – Janini Janeri”

“Dois filhos não é o dobro do trabalho….é MUITO mais que o dobro….rsss” – Paola Queirós 

“Ser mãe do segundo é ter “menos desespero”. Não é obrigatório fazer a troca da fralda a cada 3h, mão suja não mata, atrasar o almoço ou jantar não desnutri.” – Luciane Fernandes 

“Feliz é a mamãe polvo com tantos “braços” – Elisângela Lizardi de Souza

“A adaptação do segundo filho na escola é muito mais rápida. Não há motivo para chorar!” – Veridiana Moraga Martinez 

“Os erros serão um pouco menores, uma febre poderá ser controlada sem pânico.” – Simone Rodrigues da Silva

“A tranquilidade em lidar com o desenvolvimento do bebê é muito mais tranquila. No meu primeiro filho eu tinha muita insegurança.” – Fernanda Ibanez

“A gente aprende com o segundo a curtir mais e encanar menos.” – Daiany Simionato 

“Devemos passar mais tempo preocupadas em vê-los felizes do que cobrando-os de arrumar o quarto. Dormir com o pé sujo não mata, batatinha frita é uma delícia, e quase todas as crianças falam bunda, xixi e levam mordidas na escola.” – Lucinha Oliveira 

“É possível ter uma santa e uma pimenta saindo dos mesmos pais.” – Paolla Limy Alberton 

“Aprendi com o segundo que eles não são de vidro!” – Sofia Bertolucci Oliveira

“Os filhos não morrerão de fome se fizerem birra para não almoçar” – Kelly Estevam

“Quando chega o segundo percebemos que o primeiro filho já não é mais um bebê que achávamos que era e que ele é capaz de realizar muito mais coisas do que imaginávamos!” – Trícia Abrahão 

“Eu aprendi enquanto eu tinha só um, que pensar em “começar da estaca zero” quando for planejar o segundo é a maior bobagem!!! Ficamos pensando: “aaaai acordar de madrugada de novo!!! Aaaai trocar fralda de novo!! Amamentar… Fazer papinha…E isso, não é nada!! O duro é organizar a rotina da família, é tirar um bebê de 7 dias do berço pra levar filho mais velho na escola as 7hs, é trocar fralda dentro do carro esperando o maior no futebol, é ser sistemática pra levar uma filha no médico rezando pra não atrasar ou pegar transito porque você só tem aquela 1h enquanto o outro filho está na natação!” – Tati Borges 

“A dificuldade de manter a mesma linha da boa alimentação. Uma das coisas que acho mais difícil com a segundinha é não deixá-la comer chocolate, bala, refrigerante e tudo que o mais velho já come!” – Alexandra SJ 

“A dificuldade está quando estamos sozinhas com os dois em num lugar público. O mais velho pede pra ir no banheiro nas horas mais impróprias e você precisa fazer mil acrobacias para ir até o banheiro com os dois.” – Roberta Barbi

“Um filho é muito diferente do outro e com certeza aprendemos coisas novas a cada dia” – Aline Monzani

Com o tempo você aprende que é possível sim ser mãe, mulher, esposa e profissional!

Ahhh! E como é bom sair sozinha com as amigas de infância para rir até a barriga doer… e quando chegar em casa perceber que poderia ter ficado mais um pouquinho pois todos estão dormindo tranquilamente como se fossem anjinhos rs! Sim! O marido dá conta!!! E por falar nele, o que vocês estão adiando para ter o #momentomaridoemulher novamente??? Pois é! Somente depois que Murilo nasceu que percebi que deixar o Miguel dormir “fora” de casa era tão bom! Não!!! Não morremos por isso! E eles sobrevivem!!! Hoje com certeza eu teria deixado ele dormir mais vezes na casa da minha mãe ou irmã para eu curtir mais o maridão.

Para mim o sentimento que nasceu com a chegada do segundo filho foi de que somos menos neuras e estamos mais experientes para lidar com as situações do dia a dia! Aprendemos que nem tudo o que a pediatra fala precisamos dizer amém e o que importa é seguir os nossos feelings também. Faço cama compartilhada, larguei a banheira com 3 meses, ofereci alimentos “proibidos” pela sociedade antes do tempo, algodão com água para limpar?!? Pra que??? Amo lencinhos umedecidos! Febre não mata, sair da rotina é bom, esterilizar tudo o tempo todo é uma encheção de saco! E com certeza dar um irmão para o primogênito é o melhor presente do mundo que podemos dar! Trabalho sim, 5x mais como alguém falou, mas um sorriso ao quadrado muda o mundo!

 

Leia também:

Desabafo de uma mãe de dois: 1, 2, 3...Surtei!
Desabafo de uma mãe: 1, 2, 3…surtei!

 

Mãe da Cabeça aos Pés: Dois filhos: como dar conta da demanda?

Ter o segundo filho é mais fácil que o primeiro?

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 109 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Também