UNIVERSO POLYANA: Desafio Materno

10.05.2014 – Uma pausa para uma reflexão e um desafio materno!

“Um dia você descobre que se tornará mãe.
Nasce um sentimento de alegria, de surpresa ou talvez até de angústia.
Dia após dia, você percebe que não está mais sozinha, e que sua responsabilidade não vale só por você.
Nasce uma certa maturidade, a formação de um novo corpo, um novo hábito e entramos em um mundo de curiosidades e descobertas.

Depois, você percebe que nem tudo é como nos filmes e muito menos como imaginava que talvez seria.
Na teoria, nas propagandas, nas revistas, tudo parece lindo e perfeito, mas essa expectativa pode fugir da realidade.
Você começa a perceber que existe de tudo e mais um pouco no mundo da maternidade.
São coisas que você vai rir, chorar, contestar, arrepender, alegrar, concordar, discordar.

Um dia você descobre que dar à luz pode não ser apenas colocar um filho no mundo.
E também descobre que amamentar pode não ser tão fácil quanto parece.
E, mais para frente, que tomar uma decisão entre fazer ou não, parar ou não, enviar ou não, dever ou não, arriscar ou não, querer ou não, são tarefas muito mais difíceis do que imaginamos.

Você começa a perceber que, por trás da maternidade, existem muitas bandeiras, valores, conceitos e opiniões.
E, dentro de cada fase da maternidade você poderá escolher por ler mais, questionar, perguntar, investigar ou até mesmo relaxar e fazer mesmo o que manda a sua intuição. E talvez de repente, do nada, você poderá precisar de um colo de alguém que te respeita, que te ouve e que dá a sua opinião construtiva ao invés de te criticar e julgar.

Convido você para um desafio materno. Preste atenção às mães abaixo!

Observe com atenção, olhos nos olhos, sorriso por sorriso e nos diga sinceramente, se você consegue descobrir qual dessas mães realizou um parto normal, uma cesárea, um parto humanizado, adotou uma criança, amamentou por 3 meses, 6 meses, 1 ano, 2 anos ou quem teve que dar fórmula, porque existiu uma necessidade, seja ela qual for.

Nos diga, se você consegue olhar a foto de cada uma dessas mães, e decifrar quem optou por oferecer papinha comum, industrializada, orgânica, quem ofereceu chupeta, mamadeira, fez cama compartilhada, escolheu pediatra alopata, pediatra homeopata, quem parou de trabalhar, quem deixa com a vovó ou a babá, quem levou o filho para a escola com 6 meses, 1 ano, 2 anos ou três…!

Você conseguiu?!
?!?

Todas essas mães amam seus filhos acima de tudo!
Todas essas mães se viram um dia em uma situação difícil e se perguntaram o que era melhor fazer.
Todas essas mães se sentiram culpadas um dia e também já tomaram uma decisão que não era a melhor.
Todas essas mães fizeram, e fazem diariamente, o melhor que podem com muito amor.
Todas essas mães não são “menos mães” porque deixaram de fazer algo que não segue o seu valor.
Todas essas mães possuem opiniões diferentes, sobre diversos assuntos, e conseguem conviver em um mesmo espaço.
Todas essas mães dão as mãos diariamente e se abraçam por um único objetivo em comum: o de serem Mães Amigas!

Feliz Dia das Mães para todas as mães que estão de braços abertos para a diversidade materna!

O que mais desejamos é muito amor ao lado de quem você mais ama! Parabéns!

 

Você pode gostar de ler:

Exposição Mães Amigas no Galleria Shopping até 18 de maio

Mãe é mãe em qualquer idioma, qual o seu?

Você é uma boa mãe

Faça um cartão em scrapbook para sua mãe

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 112 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Também