Puberdade – Parte 01

Modigliani
Vem chegando a puberdade e, junto com ela, muitas dúvidas, angústias, expectativas e vivências desconhecidas e, muitas vezes, assustadoras. O corpo está mudando, a voz está falhando… A sensação, ao se ver no espelho, pode ser: Estou muito estranho! Quem é esse cara?…
Pois é, estes são alguns dos sentimentos do púbere que vive essas mudanças de uma maneira invasiva, fora de hora, descontrolada e, quase sempre, muito distantes do que ele tinha idealizado para si.
As mudanças hormonais e o crescimento disparam tais angústias que estão somadas à inevitável busca de um novo lugar na sociedade, no grupo familiar e na escola. O púbere já não é mais criança mas está longe de ser um adulto. O período adolescente está apenas iniciando e será longo, tumultuado, perturbador, porém muito criativo. 

Jurga
Nesta etapa o púbere se surpreende com suas vivências, especialmente com o despertar da sexualidade, com excitações inexplicáveis ou inoportunas como ilustra o interessante livro “O que está acontecendo comigo?” de Peter Mayle. 

Foto do livro: O que está acontecendo comigo
Mas o ritmo dessas mudanças é muito variável e as comparações inevitáveis. Algumas meninas amadurecem muito rapidamente, antes de suas colegas e amigas e, em geral, todas elas (as meninas) bem antes dos meninos. Isto gera um curioso descompassoentre meninos e meninas: elas passam a se interessar pelos rapazes um pouco mais velhos enquanto eles continuam com seus jogos e brincadeiras de anos atrás.
As meninas precisam lidar com o crescimento dos seios, a menarca e os rapazes com as mudanças na voz, as ereções inesperadas e as poluções noturnas. É natural que, frente a tantas novidades, ambos busquem a masturbação como forma de conhecerem melhor seus impulsos, excitações e satisfações. Trata-se de algo passageiro, que tende a se encaminhar para os primeiros jogos sexuais e posteriores envolvimentos afetivos e sexuais mais completos.
Alguns problemas podem se manifestar durante a adolescência, tais como: a acne, o rápido aumento ou a radical redução de peso – mais frequentes nas meninas, os problemas de relacionamento, de postura etc. As oscilações de humor também são bem frequentes e, como tudo o que emerge em períodos críticos, merece atenção quando se torna extremado ou rígido.
Não é raro que o adolescente se refugie num certo isolamento, tentando dar conta de tamanha turbulência. Vocês se lembram da Violet, personagem da animação Os Incríveis? Ela se escondia atrás da franja, usava continuamente fones de ouvido e tinha um superpoder magnífico para uma adolescente tímida – a bolha de invisibilidade. Sempre que seu paquera aparecia, ela sumia. O sonho de muitos adolescentes… 

Violet – Personagem do desenho “Os Incríveis”
I
Espero que estas ideias sobre o que o púbere e o adolescente enfrentam possam contribuir para que os adultos próximos compreendam que tudo é muito intenso para eles e dar conta dessas experiências é um longo e tortuoso processo. Não é mais fácil para os pais e educadores, mas isto será assunto da nossa próxima publicação. Aguardem! 

 
 
Curta a nossa página do Facebook
@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1485 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também