13 respostas para se prevenir do aedes aegypti

21.01.2016 – Eu sempre fui uma pessoa alérgica à picada de insetos, e infelizmente meus filhos não escaparam dessa! Uma picada não representa apenas uma picada, e sim um vermelhidão, inchaço, coça-coça sem parar além da minha irritação, e a dos meus pitocos claro!

Desde o surto da dengue e o aparecimento do zika vírus esse assunto virou Top Five na minha lista de preocupações maternas pelas alergias, mas sobretudo pelos riscos recentes das doenças associadas ao aedes aegypiti. Moro em um bairro infestado de pernilongos, devido a um córrego próximo, e todo verão a minha busca pelas melhores formas de prevenção se fortalecem!

Eu já testei de tudo que é “natureba” e vejo circulando por aí: vela de citronela, sapo luminoso, fechar as janelas no final do dia, usar telas protetoras, passar citronela ao redor da janela, colocar casca de laranja no protetor de tomada, tomar vitamina B12….mas confesso que nada disso resolveu meu problema! Os pernilongos parecem se procriar no meu apartamento, e chega a ser irritante fritar um por um com a minha raquetinha inseparável! (apesar de ser divertido rs – quem me acompanha no snap maesamigas sabe)

picada inseto capa

Murilo e suas picadas! Que dó!

Eu abandonei o mosquiteiro do Murilo desde que ele começou a ficar em pé no berço. Ele puxava, se enroscava e eu morria de medo de acontecer algo mais grave. Fora isso eu tenho o Miguel também, que já dorme em cama faz tempo, e por isso eu gosto de ler e buscar alternativas da melhor forma de preveni-los contra as picadas. Por hora estamos apenas usando o repelente cosmético por aqui!

Na última sexta-feira (8), eu assisti um webinar das marcas SBP e Repelex, e ele me clareou em algumas questões pessoais. Um infectologista (Jean Gorinchteyn) e uma dermatologista (Adriana Salgado) esclareceram as principais dúvidas das mães relacionada as doenças transmitidas pelo aedes aegypti e sua forma de prevenção.

Resolvi compartilhar com vocês as 13 respostas que mais achei interessante do webinar, junto com algumas perguntas que as próprias mães amigas do grupo fechado enviaram (aliás, agradeço a todas pela participação) para se prevenir do aedes aegypti.

webinar dengue sbp

Se você quiser assistir o webinar completo, o link está disponível no site da marca, BASTA CLICAR AQUI.

Perguntas Webinar SBP e REPELEX

01. Todo mosquito com manchas brancas é transmissor de dengue, zika e chikungunya? 

Jean Gorinchteyn: “O aedes aegypti tem a característica de ser preto com manchas brancas, mas não significa que ele está portando o vírus da dengue. Ele só vai estar contaminado com o vírus se picar alguma pessoa doente, com o vírus da dengue, e daí em diante ser o portador do vírus da dengue.”

02. Um mosquito pode estar contaminado com as três doenças?

Jean Gorinchteyn: “A medida que o mosquito aedes aegypti pica uma pessoa contaminada e ele se coloniza nele, esse será o único vírus que ele vai carregar. Se o mosquito tiver contaminado com o vírus da dengue e picar uma pessoa que esteja com chikungunya por exemplo, o vírus não vai vingar, pois o mosquito só pode carregar um único tipo de vírus e não todos.”

03. Qual a diferença dos sintomas da dengue, do zika e do chikungunya?

Jean Gorinchteyn: “Dengue: Dor muscular muito forte, pequenas dores na junta, dor de cabeça em cima e atrás dos olhos, compromete a musculatura, surgem manchas avermelhadas pelo corpo que desaparecem em 5 dias.

Chikungunya: Apresenta-se pouca dor no corpo, devido ao pouco comprometimento dos músculos. Febre em torno de 38 graus com surgimento de manchas avermelhadas pelo corpo. O que mais chama atenção são as dores nas juntas (articulações), com possibilidade de dificultar alguns movimentos.

Zika: Sintomas mais brandos, vermelhidão mais suave e algumas pessoas possuem mais coceiras. Febre mais baixa, dores nas costas e músculos não acontecem. A maior preocupação está nos extremos: a criança esta se fortalecendo no sistema imune e os idosos estão reduzindo o sistema.”

04. Se o mosquito aedes aegypti voa a um metro e meio, como explicar o fato dele ser encontrado em apartamentos?

Jean Gorinchteyn: “O mosquito possui uma facilidade muito grande de circular entre os andares através dos elevadores ou escadas, e depois, de janela em janela ou sacada em sacada. Portanto achar que está seguro em casa, só porque se mora no décimo andar, é uma falsa expectativa. Se o seu vizinho possui um pratinho empoçado, por exemplo, ali será um local atrativo para a reposição do mosquito, que precisa de uma quantidade pequena de água para depositar os seus ovos. Depois de 2h dos ovos depositados, já nascem as larvas, e de 7 a 10 dias já temos o mosquito voando! Quem pica o ser humano são as fêmeas, que precisam do sangue humano para nutrir os seus ovinhos. Se ela estiver contaminada pelo vírus da dengue, em 20% dos casos vai contaminar os ovinhos que nascerão com os mosquitos já contaminados.”

05. Quais são os lugares, que esquecemos que pode ser foco de água parada, e precisamos redobrar nossa atenção?

Jean Gorinchteyn: “Além dos lugares tradicionais que a maioria da população já conhece, chamo a atenção para os ralos de quintais que são pouco usados, banheiros com vasos sanitários abertos e pouco utilizados e caixas dágua (que devem ser fechadas e vedadas pois os vendavais descobrem as mesmas com facilidade) que também são grandes focos de interesse para depósito de ovos.”

06. Inseticidas e repelentes de ambiente fazem mal para gestantes e recém-nascidos? Qual a melhor forma de usá-los? 

Jean Gorinchteyn: “O inseticida serve para matar o inseto. A melhor forma de uso é entrar no ambiente vazio, jogar a quantidade indicada do inseticida, e manter o ambiente fechado por 20/30 minutos. O repelente de tomada tem como ação repelir a presença do mosquito, ele não tem ação de inseticida. Ele pode sim ser usado na presença de mulheres grávidas e recém nascido desde que sejam certificados pela ANVISA* e que mantenham uma distância de segurança de 2m da cabeça.

Para crianças abaixo de 2 anos a ANVISA não recomenda o uso de repelentes cosméticos. A proteção fora de casa deve ser feita através de mosquiteiros e uso de roupas claras de mangas e calças compridas” 

*A ANVISA não permite a utilização de substâncias que sejam comprovadamente carcinogênicas, mutagênicas ou teratogênicas em produtos saneantes.

07. É seguro usar os repelentes regularmente, por até três vezes por dia?

Adriana Salgado: “Todos os repelentes que são certificados pela ANVISA, são seguros para usar todos os dias, conforme orientação no rótulo, inclusive grávidas e lactantes. A substancia diethyl toluamide (DEET)  é uma das mais estudadas desde 1957, e de todas, considero a mais segura, além dela também ser certificada pela ANVISA.”

08. Por que ouvimos que não é aconselhado dormir com repelente?

Adriana Salgado: “Considero mais sensato usar o repelente cosmético, nas áreas expostas da pele, quando se está fora de casa. Durante o período noturno, o uso de roupas compridas, os mosquiteiros, o repelente de tomada e o inseticida são os mais recomendados na minha opinião.

Durante o período de sono costumamos não acordar para reaplicar o repelente cosmético, e com isso, se considerarmos que uma criança dorme de 8h a 10h, ela ficará um período descoberta da proteção. Outro fator que acontece é que durante a noite as crianças suam muito, e o suor também altera o odor da pele e atrapalha a proteção.

Usar o repelente a noite não é um problema, mas se você usar nesse período o que vai usar no período da manhã, quando estiver fora de casa, considerando que a recomendação é aplicá-lo no máximo 3x ao dia?”

09. Roupas claras protegem mais do que roupas escuras?

Jean Gorinchteyn: “Roupas claras tem ação de repelência porque o mosquito tem certa dificuldade com a luz. Ele prefere o inicio da manhã e o final da tarde, pois a luminosidade para ele é ruim uma vez que a mesma ofusca seus olhos.”

10. Qual a relação do vírus com a microcefalia e as mulheres grávidas? 

Jean Gorinchteyn: “A microcefalia, que é uma alteração da formação do tamanho do cérebro, somente vai acontecer quando a mulher estiver grávida.

A gestação possui três fases:

No primeiro trimestre da gravidez é quando os órgãos do bebê estão sendo formados, e com isso, infecções graves de um modo geral podem trazer conseqüências para o bebê, inclusive a chance de um aborto espontâneo.

No final do primeiro trimestre, quando os órgãos do bebê já estão formados, e no início do segundo trimestre da gestação é quando existe a maior chance de gerar a microcefalia no bebê, se a mãe for contaminada pelo vírus.

No final do terceiro trimestre de gestação não se sabe ainda o que acontece se a mãe for picada. Nos outros vírus já comprovamos que pode existir um atraso de neuro psico motor no bebê, que talvez seja notada na fase do desenvolvimento de firmar o pescoço ou mexer as perninhas ou durante a fase escolar, quando a criança inicia o processo de aprendizado, com a escrita e leitura.”

11. Se uma mãe que está amamentando, contrair o zika vírus, pode passar para o bebê?

Jean Gorinchteyn: “Não. Ela pode amamentar normalmente.”

12. A vacina recém-lançada é segura e eficaz, inclusive a crianças?

Jean Gorinchteyn: “Quando uma vacina é lançada, ela tem como objetivo estimular as defesas do organismo para que possamos estar protegidos. Esta vacina tem 63% de eficácia, e foi liberada porque vivemos momentos de surto em muitas regiões do Brasil. A vacina diminuiria cerca de 35% dos casos de dengue e redução de 95% nos casos graves. Nos estudos realizados a eficácia foi maior em crianças a partir de 9 anos. A vacina está sendo testada em 17 mil voluntários, e mostra resultados importantes, como as reações que ela pode ter. A princípio a vacina será em três doses, chegando em 70% de proteção na primeira dose. Na segunda e terceira dose estimula-se ainda mais a produção de anticorpos.”

13. É verdade que alimentos, como alho e inhame, e a vitamina B ajudam na repelência contra o mosquito?

Adriana Salgado: “Nada disso tem comprovação cientifica.”

De um modo geral percebi que é importante avaliarmos o nosso dia a dia e combinarmos os melhores métodos para estarmos seguros durante as 24h, umas vez que parte do dia estamos na rua e outra parte dentro de casa.

Se você tiver alguma dica, algum método que considera eficaz ou alguma combinação que gosta de usar vou adorar saber! Se puder, compartilhe nos comentários desse post!

 

 [Publieditorial]selo-publieditorial

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 110 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Também