Pré- Lançamento do CD “O início de tudo”

Reportagem Michelle Occiuzzi
 
Feche os olhos… Imagine um campo grande com gramas verdes que se destacam com o azul claro do céu… O sol de final de tarde ilumina e esquenta a pele em uma temperatura perfeitamente agradável… Em um sopro, o vento te traz uma música perfeita, limpa e clara… 

Esse início pode parecer bem estranho para um blog de mães, mas foi a única maneira que encontrei de descrever em palavras a sensação que tive ao escutar as músicas do CD “O início de tudo” do Grupo de Música da Associação Pestalozzi de Campinas. Senti PAZ!

 

Como a maioria dos instrumentos usados no projeto não são convencionais e cada nota é extraída de materiais reciclados, eu passei o tempo todo tentando decifrar a origem de cada som. Tudo ficou ainda mais mágico quando lembrei que quem estava comandando aquela magia eram crianças e adultos com deficiência intelectual e deficiências múltiplas. 

Amanhã, dia 20 de Outubro, a Associação fará o pré-lançamento do CD em uma apresentação exclusiva. Além de escutar, você poderá assistir a força de uma nota que vem de um piso quebrado, de um cano reaproveitado, de uma lata de tinta e de um galão de água.


 

A Escola de Educação Especial “Associação Pestalozzi de Campinas” é uma ONG que presta, gratuitamente, atendimentos educacionais e terapêuticos nas áreas de pedagogia, fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, educação física, serviço social, entre outros, para crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual e/ou com múltiplas deficiências.

O grupo de música nasceu em agosto de 2008, quando o professor de música Ricardo Botter Maio iniciou um projeto denominado “Musicalização através da Percussão” com os educandos da escola. O objetivo do projeto era o de utilizar a música como mais um recurso na contribuição na aprendizagem e no desenvolvimento global de pessoas com deficiência. A música auxilia na manutenção das habilidades básicas e na superação de limites quanto a: expressividade, socialização, habilidades auditivas, memória, ritmo, coordenação motora, além de promover o bem estar emocional e biopsicossocial de nossos educandos. 

 

No decorrer dos anos, o professor Ricardo compôs diversas músicas para que os alunos pudessem explorar e tocar os instrumentos musicais construídos tanto pelo professor, como pelos profissionais e alunos. 

Foram muitos os ganhos: melhora da autoestima, melhora da coordenação motora, alunos menos tímidos e mais sociáveis, com mais iniciativa para se expressar e se comunicar, dentre outros. 

A partir daí, surgiu à ideia de gravar um CD, em que a escola toda se envolveu, com a finalidade de registrar e divulgar o trabalho realizado. 

 

 

    Capa do CD “O início de tudo”

 

Leia a entrevista com alguns dos integrantes do projeto 

Maria Helena Van Ray – Diretora pedagógica 

Ricardo Botter Maio – Professor de música 

Renata Maria Medeiros Usberti – Fonoaudióloga 

Sandra Damiano Netto – Pedagoga 

Porque a música é tão importante para o desenvolvimento de qualquer pessoa? 

A música é tão importante no desenvolvimento infantil, como em todas as fases da vida, porque por meio dela, o ser humano desenvolve a autodisciplina, sensibilidade, paciência, autoestima, memória, coordenação motora e concentração. A experiência musical não ativa uma única função cerebral. O prazer da música é um ato que intervêm muitos estímulos: visuais, cognitivos, psicomotores, emocionais, além de ativar o ritmo cardíaco, o tônus muscular, a libido e a função hormonal.” 

Como foi feita a escolha das músicas? 

A formação do repertório iniciou-se logo nos primeiros meses do projeto, quando os profissionais perceberam que as respostas estavam sendo muito positivas. A partir daí, o professor Ricardo compôs a primeira das músicas que veio a dar nome ao CD posteriormente. Utilizando-se de alguns instrumentos que já possuía e usava – como quatro pisos de cerâmica afinados e suspensos que faziam parte de exercícios de concentração e ritmo nas aulas – que, ao final, deram à música uma estrutura inicial que poderia ser executada de forma regular e seguindo uma métrica pré-estabelecida. O projeto teve continuidade com o surgimento de novos instrumentos e, com isso, demonstrações de habilidades específicas de cada educando e, consequentemente, surgiram novas músicas. 

Em meio a tantas descobertas, o potencial vocal de uma educanda chamou-nos a atenção para a possibilidade de termos também uma canção com letra. Assim surgiu “Horas, minutos, segundos” – primeira canção das cinco existentes no CD – em que uma cantora profissional gravou a canção como guia, e a fonoaudióloga pode realizar um trabalho de memorização, articulação e afinação com a educanda. Esta “fórmula” norteou o trabalho para a criação de novas músicas e a finalização na escolha do repertório. 

Existe algum exercício feito ao escutar as músicas ou o simples fato de escutá-la já é um exercício em si? 

Sim, existem exercícios que são realizados durante a audição das músicas, como aquecimento e alongamento de membros superiores, treino de ritmo, de coordenação motora, memória auditiva, entre outros. Além disso, o simples fato de escutá-la já é um exercício em si, pois promove o bem-estar, a descontração, relaxamento, recordação de momentos prazerosos, dentre tantos outros benefícios. 

Porque esse projeto é tão importante para vocês? 

Ricardo:“para mim, como compositor, é uma oportunidade de criar e perceber que as criações musicais de minha autoria podem ser úteis no processo de ensino-aprendizagem dos alunos da Pestalozzi”. 

Renata:“acredito que trabalhar com a música enriquece a vida das pessoas, inclusive a minha. Vejo a música como uma linguagem complexa e grande aliada no processo terapêutico instituído durante a habilitação e reabilitação do ser humano”. 

Sandra: “sempre acreditei na parceria música e pedagogia, e uma vez que adaptamos o currículo regular para torná-lo apropriado às peculiaridades dos educandos, percebi que as aulas de música iriam oportunizar vivências das quais  nossos educandos nunca haviam tido, o  quanto isto contribuiria para o  trabalho da pedagoga e consequentemente alunos dispostos e felizes no momento da aprendizagem. Quando conheci o trabalho do Prof. Ricardo, constatei que queria este projeto dentro da Pestalozzi  e, com a Renata, pude encontrar a parceira que precisava para concretizar a ideia. O CD é o resultado positivo que estamos colhendo após 4 anos”.

Site da Associação: http://www.pestalozzicampinas.org.br/
@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1592 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também