Plano de parto: faz toda diferença

07.01.2014 – Você sabe que é um plano de parto? O plano de parto é uma lista de itens relacionados ao parto, sobre os quais deve-se pensar e refletir. É um exercício que pode ajudar a gestante a definir o que é importante para ela e seu companheiro e fazer com que esteja mais preparada para conversar com seu médico. Vamos entender mais sobre o plano de parto!

Objetivos do plano de parto:

– Levar a gestante a conhecer e pensar sobre cada momento de seu parto, podendo fazer escolhas conscientes que se referem ao seu corpo e ao seu bebê;

– Evitar imprevistos de difícil solução;

– Deixar suas preferências bem claras para equipe que vai acompanhá-la.

Por que devemos fazer o plano de parto?

A gestante e parturiente têm o direito de participar das decisões que envolvem seu bem-estar e o do bebê e de saber exatamente os benefícios e malefícios que cada procedimento pode provocar a ela e/ou ao seu bebê.

Como fazer o plano de parto?

Abaixo seguem algumas questões que vão ajudá-la na elaboração do plano de parto:

Parto cesárea:

– Escolha do médico, anestesista, e hospital que permitam uma cesárea centrada na família;

– Participação de um acompanhante de livre escolha durante a cesárea;

– Permitir o início do trabalho de parto antes de efetuar a cesárea, sempre que possível, pois assim teremos uma garantia melhor de que o bebê está realmente maduro para nascer;

– Ser informada de cada procedimento a ser realizado;

– Realizar tricotomia (raspagem dos pelos) parcial (do abdome até a altura do osso púbico);

– Não usar sedativos antes ou depois da cesárea;

– Amamentação tão logo seja possível;

– Vínculo precoce mãe e bebê;

– Alojamento conjunto.

Parto normal:

Entrando em trabalho de parto:

– Em que momento e como devo entrar em contato com o médico?

– Em que momento devo ir para maternidade?

– A doula virá até em casa para então irmos para o hospital?

– Como iremos para a maternidade?

– A partir de quando tenho que ficar em jejum?

Durante o trabalho de parto:

– Escolha de um acompanhante de sua escolha durante todo o parto, da admissão ao nascimento;

– Presença de outras pessoas da família durante o trabalho de parto;

– Presença de uma doula para suporte físico, emocional e afetivo contínuo;

– Lavagem intestinal: é desconfortável e desnecessária se a mulher teve o funcionamento normal do intestino nas últimas 24 horas;

– Tricotomia: a raspagem dos pelos não diminui a incidência de infecção e o crescimento dos pelos pode ser desconfortável;

– Liberdade para mudar de posição: cada posição pode funcionar ou ser mais confortável em diferentes momentos do trabalho de parto, além de acelerar o processo.

plano de parto– Usar água no trabalho de parto: passar parte do trabalho de parto sob o chuveiro ou até mesmo na banheira diminui a necessidade de medicamentos para dor e promove o relaxamento.

– Uso de objetos pessoais: objetos familiares podem melhorar a experiência do parto ao permitir um melhor relaxamento e mais conforto;

– Infusão intravenosa apenas se houver indicação médica, pois restringe a mobilidade e interfere no relaxamento;

– Aguardar o rompimento espontâneo da bolsa X rutura artificial: uma vez que o líquido amniótico tem um efeito de proteção, equalizando a pressão sobre o bebê, o que resulta em menos pressão na cabeça;

– Medicação para o alívio da dor: administrada somente a pedido da mulher;

– Ocitocina ou drogas de efeito similar para indução ou aceleração do trabalho de parto: apenas sob necessidade e não rotineiramente.

Durante o parto em si:

– Posição para expulsão confortável para a mulher e eficiente;

Episiotomia apenas se necessário e não realizada rotineiramente. A episiotomia diminui o período expulsivo, podendo ser necessária em caso de sofrimento fetal ou se for preciso o uso de fórceps;

– Anestesia peridural: a pedido da parturiente ou se for necessária alguma intervenção cirúrgica;

– Bebê colocado imediatamente no colo da mãe e amamentado assim que possível;

– Formação precoce e contínua do vínculo mãe-bebê.

Lembre-se:

Pequenos detalhes podem fazer uma grande diferença para o nascimento, tornando-o uma experiência única, enriquecedora e feliz, além de trazer maior segurança para mãe, pai e bebê.

Para equipe, pode ser um norte para poder atendê-la melhor e até mesmo repensar as práticas que vem sendo realizadas rotineiramente.

Você pode gostar de ler:

Novidades no teste do pezinho

Gestante HIV positivo, o que fazer?

Escolha do nome do bebê

Parto normal após cesárea: verdade ou mito?

Ideias de fotos para gestante

Carolina Coppola

Escrito por: Carolina Coppola

Confira os 25 posts publicados pela Carolina Coppola

Veja Também