Paternidade, haja paciência!

Paternidade, haja paciência!

 

 

Ricardo Moreira
Pai da Layla

“O papai em gestação deverá ter paciência… Acham que é fácil?”

 

Paternidade, haja paciência!

Prezados, sou Papai de uma linda garotinha. Marido de uma linda garotona. Me aventuro diariamente e já há algum tempo, no doce prazer de ser o Homem dessas duas maravilhas, que o cosmo convergiu para o meu caminho. Que tanto de bobagem né? Nem me reconheço escrevendo isso. Mas, estou propondo algo legal que valerá a pena. Ou não.

Garanto que 90% do público que se deu ao trabalho de ler este textículo já o abandonou. Hoje em dia, as pessoas andam correndo, sem tempo, sem rumo, sem paciência.

Paciência essa que me permitiu, ao longo dos anos, raros e virtuosos prazeres. Conheci alguns autores e pessoas fabulosas, assisti peças teatrais e espetáculos incríveis, descobri defeitos em coisas, entendi como os olhos de meu felino ficam demonstrando seu humor, conversei com idosos que possuíam experiências sensacionais, participei de projetos que, no início, não imaginei que atingiriam as suas proporções, proporcionei, errr, acho que a patroa não me deixaria contar. Mas  enfim, nem sempre foi assim.

Eu era um garoto ansioso e cheguei à faculdade a 1000 km/h! Precisei tomar alguns tombos pra cair na real, retirar um pouco o pé do acelerador e fazer brotar, com um trabalho mental muito longo, árduo e legal, algo próximo do que conheço hoje por paciência.

Paciência. Acho que é um substantivo que atribui um adjetivo muito raro e precioso ao indivíduo na atualidade. E muitas vezes, o paciente só se torna paciente quando realmente, é um paciente! GrazaDeus que não precisei disso, mas olha: cheguei bem próximo. É uma característica nata, ou que necessita um treinamento intelectual gigante para obtenção de resultados satisfatórios (meu caso, foi o segundo rsrs).

E segue o embromeitchon! Vamos ver o quão paciente o impaciente leitor disponibilizará ao folivora autor deste. Mas, chega de conversa fiada! Nessa crise, fiado não serve nem pra conversa… Vamos ao que interessa. Por que acham que submeti ao intrépido leitor, este pequeno e massivo exercício? Muitos afirmam que sou acometido de uma prolixidade crônica, típica de um paquiderme autor, não é comadre mineira?

Tentarei explanar um pouco sobre essa condição essencial para a construção de um bom pai que, está apto a se submeter à alguns caprichos naturais e permanecer ileso e focado. Vamos lá:

Paciência. Não vou ensinar ninguém como obtê la. Não é o objetivo. O cidadão pode ser denominado por indivíduo por uma razão que considero bem. Sendo assim, não há escola pra isso. Então, falarei um pouco sobre os benefícios que a obtenção desse “estado” poderá proporcionar. Querem ver? Senta que lá vem a conversa! rsrs

Como ter paciência:

1) Paternidade, haja paciência! Mas o papai em gestação deverá ter, o que poderá lhe ajudar a criar uma rotina diária, muito madura e racional, como dialogar com a “barriga” da mamãe. Acham que é fácil? O princípio da comunicação humana é dizer e ser entendido. Ser entendido requer feedback. Nem que seja um “rum-rum” ao telefone. Experimente fazer isso com uma onça, que está brava pelo simples fato de você respirar ou estar em seu campo de visão. Além disso, você conversará com um pedaço de pele protuberante, tendo como feedback apenas uma mexidinha vez ou outra, ou a sua imaginação, mas, acredite: É possível. Eu fiz isso por 9 meses e não falhei nenhum dia. E isso que estão lendo não foi psicografado por ninguém.

2) Conseguiu resultados satisfatórios no item 1? Ok. O passo seguinte precisa continuar com a paciência. Minha sugestão é convencer a onça descrita acima a ser “agraciada” com um belo pós-banho com cremes ou óleos para a pele. Isso eu já achei mais fácil devido a tendência do mulheril à vaidade e, nessa fase, estarem mais facilmente cansadas. A questão é a rotina: se o banho é diário, esse “tratamento” precisa ser também. Não é? E haja paciência pro argumento.

3) Ainda está lendo. Esta indo bem heim meu caro? Mas ó: Cuidado! Nunca caminhe na direção da luz, caso veja alguma de repente, em um local silencioso #ficaadica. Daqui em diante, as opções são inúmeras. Porém, não posso me estender muito. A editora já me mandou não ficar de muito bla bla bla.

Darei um último pitaco: a paciência que os cavalheiros necessitam obter brotará espontaneamente em seus corações. Caso amem de verdade sua família. E quando o filho chegar, será muito mais importante – e também espontâneo – ter essa paciência 100% disponível.

O segredo é sempre pensar como a Tati Salvino. Acho que, ela leu um provérbio português pra se inspirar, e vi muito desse contexto exposto em sua obra. Observem o poema:

Paciência…

Tenha paciência
Tudo vai passar
Não há mal que dure para sempre
Nem felicidade eternamente

Tudo são experiências
Aprendizados
Evolução ou regressão
Você escolhe:
Qual a melhor opção?
Brigue com o mundo
Ou se deem as mãos

Eu escolho a paz
A paz de coração
Ame seus amigos
Respeite quem te trata com ingratidão
Cada um na sua própria evolução…

Na julgue, não condene
Tenha calma….

Tudo tem resposta, tudo tem sua hora
Tudo retorna


Paternidade, haja paciência!

Confira Também:

12 Presentes Criativos para o Dia dos Pais

Dia dos Pais… Pais Amigos??

Pai cria loja de brinquedos para crianças autistas

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1464 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também