Pasta COM ou SEM FLÚOR para as crianças?

20.06.2013

 

Esta é uma dúvida bastante comum entre papais e mamães quando chega o momento de iniciar a escovação dos filhotes. Diante de tantas opções (e são muitas mesmo), qual a melhor?

creme dental infantil

O desafio de combater a cárie é grande, sendo a cárie uma doença multifatorial, que envolve o hospedeiro, a dieta alimentar, presença de microorganismos e o tempo. E os dentes de leite são mais suscetíveis à cárie pela composição do esmalte. Nos últimos anos, os dentistas adotaram uma posição bastante conservadora quanto ao uso dos cremes dentais com flúor, recomendando pasta com baixo teor de flúor a partir do momento em que a criança aprende a controlar a deglutição e, antes disso, somente pasta sem flúor.

Segundo uma pesquisa de mestrado orientada pelo pesquisador Jaime Cury, professor doutor da Unicamp, a tendência de se usar pastas com teor reduzido de flúor para os menores de 6 anos, disseminada nos anos 2000, mostra seus reflexos agora, com um aumento de casos de cárie nos consultórios. “A prevalência de cárie dental em crianças de 4 a 5 anos começou a aumentar de novo. A cárie é uma doença não erradicável. Se a gente baixar a guarda, ela com certeza aumenta”.

Após vários anos de pesquisas e análise das estatísticas, temos hoje uma nova postura quanto ao uso dos dentifrícios com flúor, baseada em evidências científicas.

Costumo dizer que as nossas escolhas, enquanto pacientes ou profissionais, devem ser sempre baseadas em evidências. As evidências são os achados clínicos e científicos que nos mostram se o consumo de determinado produto ou a aplicação de certa técnica em saúde é realmente segura ou eficaz. Não é ideal optarmos em comprar um novo medicamento, por exemplo, se não houver estudos científicos em número suficiente ou que tenham alcançado resultados que comprovem que ele promova a cura de determinada doença ou que seus efeitos colaterais não coloquem em risco a vida. Dito isso, a escolha por produtos de higiene bucal também devem obedecer à mesma lógica. Para promover uma adequada limpeza da cavidade bucal, há suficiente evidência científica que nos mostra que a melhor opção é a escovação dental, realizada por meio da escova de dente com DENTIFRÍCIO FLUORETADO.

O que é o FLÚOR?

O flúor é um componente inorgânico, encontrado naturalmente em diferentes fontes, tais como ar, solo, água e plantas. Também é encontrado artificialmente adicionado a alimentos industrializados, tais como chás. Há muitos anos, foi descoberto que o flúor é eficaz no combate à cárie dentária. Por isso, foram estabelecidos protocolos de utilização do flúor na área de saúde bucal como a adição de flúor à água de abastecimento público e em pastas dentais. A utilização dessas pastas foi um dos principais responsáveis pela queda nos índices de cárie nos últimos anos, observada inclusive em nosso país. Assim, a escovação dental é considerada um dos métodos mais racionais na prevenção da cárie, ao aliar a remoção da placa à exposição constante ao flúor.

Mas, e a FLUOROSE?

fluorose

Porém, é importante ressaltar que as pastas de dentes com flúor devem ser utilizadas durante a escovação e não ingeridas. Quando ingeridas em grande quantidade ou com uma frequência constante, podem alterar a estrutura dos dentes em formação, causando manchas esbranquiçadas que não interferem na função dental. Já em casos mais graves, ocorrem manchas amarronzadas e perda de estrutura. Essa condição é denominada FLUOROSE DENTAL e, em seus graus mais leves, não interfere na saúde bucal. A recomendação, baseada em evidências seguras que inúmeros estudos têm nos mostrado, é que, enquanto a criança não sabe cuspir, os pais devem oferecer a escova dental com uma quantidade muito pequena.

E então, qual a pasta ideal para meu filho?

Bom, que o flúor tem uma ação preventiva muito eficaz contra as cáries, isso não se discute. Entretanto, há alguns anos, colocou-se em cheque se a quantidade de flúor presente nas pastas de dentes infantis era capaz de causar manchas nos dentes em formação, a fluorose.

Criança muito pequena, até por volta dos 3 ou 4 anos, não tem coordenação suficiente para cuspir. Resultado: acabam engolindo a pasta que estava na escova. Para essa turminha, então, a indústria desenvolveu os cremes dentais SEM FLÚOR. Se não tem flúor para ser ingerido, não tem o risco de manchas, certo? Certo! MAS E A PROTEÇÃO CONTRA AS CÁRIES, ONDE É QUE FICA?

Pensando nisso, optou-se por produzir cremes dentais infantis com uma quantidade reduzida de flúor – aproximadamente a metade da quantidade das pastas dentais convencionais. Ora, o problema resolvido então! A pastinha tem um pouquinho de flúor que, se ingerido não vai fazer mal e, ainda por cima, ajuda na prevenção! E essa tem sido a tônica do mercado de cremes dentais para a meninada: embalagens chamativas, com personagens dos mais diversos desenhos animados, um sabor delicioso e uma quantidade reduzida de flúor.

Mas não é bem assim:

Uma recente pesquisa realizada na Unicamp, divulgada pela Associação Brasileira de Odontopediatria, “indicou que os cremes dentais com baixa concentração de flúor não são tão eficientes contra as cáries como os dentifrícios convencionais. Pior: também podem não evitar a fluorose.”

O presidente da ABO – Sociedade Brasileira de Odontopediatria, Dr. Paulo Rédua, defende a ideia da pesquisa de que mesmo crianças pequenas devem usar pasta com flúor. “Existe uma interpretação errada quando se fala que creme dental causa fluorose. O que causa fluorose é excesso de flúor ingerido pela criança, sem controle dos pais. Creme dental é para ser usado na quantidade certa, sob recomendação do odontopediatra e sob supervisão de adulto”, orienta. E, só pra lembrar: estas manchas só vão ocorrer – SE OCORREREM – nos dentes permanentes, e não nos dentes de leite, pois estes já estão totalmente formados.

A ABO, assim como o Ministério da Saúde, recomenda o uso de creme dental convencional com flúor a partir da erupção dos primeiros molares decíduos (em torno de 14 meses), na quantidade equivalente a um grão de arroz cru (veja fotos abaixo), e deve ser realizada pelos pais ou cuidadores, entre uma a três vezes por dia, dependendo da disponibilidade dos pais. A pasta ideal para crianças deve conter 1.000 a 1.100 ppm de fluoreto de sódio (flúor) na proteção contra à cárie.

muita pasta image1

Existem no mercado alguns cremes dentais que, ao invés de flúor, utilizam produtos como a clorexidina, o xilitol e a malva. Segundo o presidente da ABO, esses ainda carecem de mais estudos, não sendo comprovados seus benefícios cientificamente.

A recomendação da Associação Brasileira de Odontopediatria é que os pais procurem orientação de um odontopediatra para o profissional avaliar as necessidades individuais da criança e determinar o tratamento curativo ou preventivo. Cada caso é um caso!!! Crianças que têm um baixo risco de cárie, uma dieta saudável e uma ótima higienização até podem se dar o luxo de usar cremes dentais sem flúor. Entretanto, para aquelas com uma dieta rica em açúcar e higiene bucal insatisfatória, que têm risco de desenvolver cárie, o flúor é indispensável, porém somente o dentista é capaz de avaliar a necessidade de cada criança. De qualquer forma, busque orientação especializada.

Concluindo, está cientificamente comprovado que:

pasta com e sem fluor_maes amigas– A presença contínua do flúor na boca previne cárie, pois pode ficar retido por horas.

– A criança que escova os dentes sozinha corre grande risco de cárie. A escovação supervisionada por um adulto tem maior efeito. Mas a presença de flúor, mesmo com escovação imperfeita, resulta em prevenção.

– A quantidade de pasta fluoretada que a criança que não domina a deglutição engole não é suficiente para causar a fluorose.

– A pasta com menor concentração de flúor não é efetiva contra a cárie, e também não evita a fluorose.

– Após o primeiro dente nascer, você já pode escovar os dentes do bebê, mas sem utilizar cremes dentais, a não ser que o dentista de seu bebê recomende por algum motivo.

– Depois que o primeiro molar nascer, você poderá começar a escovar os dentes do bebê com creme dental com flúor (quantidade equivalente ao tamanho de um grão de arroz cru, no máximo).

É recomendação do Ministério da Saúde do Brasil: crianças com menos de 9 anos de idade devem usar uma pequena quantidade de creme dental com flúor. Dentifrícios com baixa concentração de flúor ou sem flúor NÃO DEVEM SER RECOMENDADOS.

 

Você pode gostar de ler: A primeira consulta ao dentista e Dentes separados: isso é bom ou ruim?

 

placa-magnabosco

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1598 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também