? M√£es Amigas - Pari de quatro que nem Bicho

Pari de quatro que nem Bicho

pari de quatro que nem bicho

18.09.17 – No fim de semana recebemos as fotos do parto e v√™-las foi uma avalanche. Sensa√ß√Ķes muito misturadas vieram √† tona pois a cada foto uma narrativa do que vivemos foi se construindo e aqui estou, sentindo tudo de novo, l√° no fundo, na mem√≥ria dos ossos se abrindo, dando passagem pro milagre. Eu Pari de quatro que nem Bicho.

Pari de quatro que nem Bicho

 

Alda Maria
M√£e do Theo
‚ô• “Theo coreografou a grande dan√ßa, nossa dan√ßa il√≠aca, e juntos rebolamos as dores de nascer “

 

No fim de semana recebemos as fotos do parto e v√™-las foi uma avalanche. Sensa√ß√Ķes muito misturadas vieram √† tona pois a cada foto uma narrativa do que vivemos foi se construindo. Aqui estou, sentindo tudo de novo, l√° no fundo, na mem√≥ria dos ossos se abrindo, dando passagem pro milagre.

Sem d√ļvida, a concep√ß√£o, gesta√ß√£o, parto e amamenta√ß√£o de Theo s√£o as experi√™ncias corporais mais intensas de minha vida. Tantas performances, espet√°culos, coreografias e temporadas exaustivas, hehe, ficaram todos no chinelo!! Na noite do parto, deixei-me ser dan√ßada pelos deuses sem Deus, aqueles que n√£o cessam de brotar em tudo que √© vivo, e numa luta atroz com o mundo sutil, Theo coreografou a grande dan√ßa, nossa dan√ßa il√≠aca, e juntos rebolamos as dores de nascer numa experi√™ncia est√©tica √©tica pol√≠tica e metaf√≠sica sem precedentes para mim.

Na batalha por um Parto Humanizado, antes de mais nada, tive que ultrapassar meus pr√≥prios limites, meus medos, medos de “mulher ocidental moderna”, medos da raz√£o, medo da dor¬†e¬†da morte. Mergulhei no escuro das esferas mais sutis de meu corpo¬†e¬†fiz corpo com a terra e suas √°guas.¬†E¬†nesse transe que √© nascer, naquela noite,¬†conduzida por Theo, fui lan√ßada no umbigo dos limbos, e como pude ver nas fotos,¬†pari de quatro que nem bicho,¬†fui parar num lugar sem idade ou tempo, onde reside o sagrado, onde corpo¬†e¬†alma se lambuzam.¬†Vendo as fotos tamb√©m lembrei das primeiras palavras que disse a Theo, foi algo do tipo: “bem-vindo filhote, o mundo √© lindo e voc√™s ser√£o grandes amigos”.

No dia 12 de julho n√£o foi s√≥ Theo que nasceu, nasceu um pai e uma m√£e dentro de n√≥s e isso tudo √© muito novo, estamos aprendendo muito os tr√™s juntos, na del√≠cia e nos chamegos de nosso pequeno fil√≥sofo de fraldas. Me sinto completamente apaixonada, e claro, completamente atrapalhada, rs! Mas, mais do que tudo, quando estou com Theo nos bra√ßos me sinto plena, satisfeita, inteira, assim meio “zen”… E viva os horm√īnios!! Com olhos marejados agrade√ßo a exist√™ncia deste espa√ßo de di√°logo e troca, muito grata mesmo! Estou muito emocionada e precisava compartilhar, expressar e tornar sens√≠vel em palavras todo esse jorro de vida.

Fotos: Instinto Fotografia e Filme


Pari de quatro que nem Bicho

Confira Também:

Relato de parto natural aos olhos de um pai

Ajudei no parto da minha filha

Parto normal após cesárea: verdade ou mito

 

@ M√£es Amigas

Escrito por: @ M√£es Amigas

Confira os 1650 posts publicados pela @ M√£es Amigas

Veja Tambťm
ÔĽŅ