Museu da Imaginação São Paulo

05.05.17 – Tivemos a grande oportunidade de conhecer o Museu da Imaginação em São Paulo, o espaço é encantador! O museu é uma mistura entre lúdico, lazer e cultura para as crianças. Como seu próprio nome diz, é um ambiente para imaginar. Lá, as crianças são livres para brincar, pular, tocar, criar e interagir com exposições de arte e estações de atividades lúdicas. O passeio dura 3h e a idade recomendada é de 3 a 12 anos, mas crianças mais novas também são bem vindas e podem ficar nos ambientes mais tranquilos.

Museu da Imaginação São Paulo

Bolas Coloridas

 

Texto escrito por Isabella Lima

Logo na entrada do museu passamos por uma instalação cinética feita por Guto Lacaz. São bolas coloridas que sobem e descem lentamente em um movimento calmo. É o tipo de instalação que se pode passar longos minutos observando sem se cansar. Os instrutores desde o inicio instigam as crianças a imaginarem, perguntam o que as bolas são para eles e ai, surgem diversas possibilidades, bolhas de sabão, bolas de futebol, planetas, seriam M&M’s? Elas podem ser tudo!

Entrando numa cabeleira!

Para entrarmos no próximo ambiente passamos por uma cortina feita com aquelas bóias espaguete, que lembram muito longos fios de cabelo. Os instrutores até deram um nome para o suposto dono da cabeleira, o que diverte ainda mais as crianças. A sensação é engraçada e as crianças se divertem no percorrer da cortina.

Que olho é esse?

 

Uma das primeiras atividades são os cones. Eles ficam fixos em um painel e, ao colocarmos o olho pelo buraquinho vemos o olho de um animal diferente, desde um rinoceronte até uma salamandra. Essa é uma das atividades que mais achei criativa pois instiga a curiosidade das crianças.

Térreo

 

O espaço circular é grande e possui diversas atividades espalhadas pelo ambiente,  desde atividades mais tranquilas como desenhar e pintar até atividades mais ativas como pedalar, escalar, balançar.

Árvore da Vida

No centro há um espaço chamado Árvore da vida. Lá, as crianças podem se sentar nas almofadas ou então conhecer um pouco mais sobre os animais. Na lateral desse ambiente há telinhas e fones que passam pequenos vídeos sobre os diversos animais e seus habitats naturais.

Rede

 

Particularmente, esse é a atividade mais emocionante do museu! Falo isso porque sou suspeita, adoro essas atividades diferentes e é claro, eu também escalei e me pendurei nela. O “brinquedo” é feito com rede e possui várias bolas penduradas, você pode escalar e se pendurar nelas, e eu garanto, é muito divertido! O mais legal é que as mães também podem participar dessa brincadeira, ajudar e se divertir com os pequenos.

Ponte Maluca

 

Achei incrível esse jogo pois há uma mistura entre o virtual e o real! É um jogo, como os de vídeo-game. Seu objetivo é fazer com que as pessoas consigam atravessar a ponte. Para isso é preciso pedalar, é a bicicleta que da os comandos. Cada bicicleta representa um piso, ao pedalar, o piso da ponte sobe e o personagem consegue caminhar, sem cair no lago. Além de estimular as crianças a fazerem atividades físicas, pois acredito que seja uma ótima oportunidade de levar essa brincadeira ao dia a dia da criança, o jogo estimula o trabalho em grupo afinal, é preciso de várias pessoas, unidas, em suas bicicletas para que vença o jogo.

Óca

 

Existe uma óca, outro ambiente tranquilo que pode ser aproveitado principalmente pelas crianças menores. Ele tem almofadas, brinquedos molinhos, uma fogueira (que na verdade é uma telinha de TV) e o teto realmente é feito de palha. Muito tranquilo e aconchegante.

Estação da Música

 

É um espaço com instrumentos musicais como piano, guitarra e bateria. Lá, as crianças além de tocar podem também ouvir o som que está produzindo através do fone. Essa é uma ótima forma de descobrir se a criança tem afinidade com a música e com os próprios instrumentos em sí. É uma ótima experiencia para ver e sentir de perto como eles funcionam.

Casa na Árvore

 

É como se fosse realmente uma casa na árvore. Nela, há várias maneiras de se divertir. É possível subir pelas escadas ou pela rede. No alto, há mesinhas onde as crianças podem aproveitar para fazer desenhos e colorir. A casa também tem um escorregador e redes coloridas na parte de baixo, onde podem brincar como se fosse um labirinto.

Inclusão!

 

Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a preocupação do museu com a acessibilidade de todos. Há rampas na entrada, elevadores que levam até o segundo andar, placas escritas em braile e até um balanço que comporta uma cadeira de rodas. É engraçado pois, fui surpreendia com o balanço. Fiquei feliz com em perceber essa preocupação em acolher a todos, independente de limitações físicas/mentais ou não. O estranho é ainda nos surpreendemos ao nos deparar com a acessibilidade, pois infelizmente são poucos os lugares que abraçam a causa.

Primeiro Andar

 

O andar de cima do museu pode ter acesso pelas escadas ou pelo elevador. Ele é um espaço reservado para o meio artístico. Ele recebe obras itinerantes, ou seja, obras que sempre estão circulando de ambiente. Atualmente o espaço é ocupado pela Sala das Esferas com a curadoria de Bel Lacaz. Quatro artistas fizeram uma releitura das obras de Pablo Picasso usando métodos semelhantes ao artista porém com novos materiais, como papel machê e cerâmica. O mais interessante, em especial para as crianças, é que tudo pode e deve ser tocado! Inclusive, os monitores incentivam para que passemos a mão nas obras de olhos fechados para que possamos reparar nos detalhes. Uma das coisas que mais fez sucesso foram as bolas enormes feitas de papel machê que as crianças saiam rolando pelo espaço.

Eu/Tu/Ele/Nós/Vós/Eles

 

Ainda no segundo andar há a exposição Eu/Tu/Ele/Nós/Vós/Eles que trás um ambiente voltado ao skate e a arte contemporânea. O ambiente todo é muito característico, muito colorido, possui vário shapes pendurados, gafittes nas paredes, galáxias, máscaras de Kabukie e uma pista de skate onde as crianças podem escorregar e sentir como é a sensação dos skatistas. A parte inferior da parede é livre para pinturas com giz e podem ser feitas pelas crianças a qualquer momento!

Banheiro e Fraldário

 

Começando pelo detalhe na porta, que achei super divertido, é que todas as indicações de banheiro são em forma de caça palavras. Os banheiros são limpinhos e organizados. Há dois fraldários, um no andar de baixo sem estofado, e um no andar de cima com estofado. No banheiro do andar de baixo há uma máquina com joguinhos de sustentabilidade relacionados ao consumo de água, é um jogo que funciona como um Quiz, uma pergunta e várias alternativas. Ele permite a interação da criança além de ser didático.

Em geral, todo a ambiente tem muita cultura, muita cor e interação, é um ótimo lugar para as crianças se divertirem e aprenderem! Logo na entrada há uma lanchonete A casa do pão de Queijo onde é possível fazer um lanche antes ou depois do passeio. O preço do ingresso do Museu da Imaginação não é tão barato, mas acredito que a diversão é mais que garantida.

Serviço

Endereço: Rua Ricardo Cavatton, 251 – Lapa/SP

Valores dos Ingressos:

R$ 80,00 – Meia Entrada
R$ 50,00 – Adultos
Crianças de até 2 anos e 11 meses não pagam!

Horário de Visitação

De Terça à Domingo:
Primeiro turno às 10h
Segundo turno às 14h
A permanência no museu, por período, é de até 3 horas.

Estacionamento conveniado:
Rua Ricardo Cavatton, 125 – R$ 20,00 o período

Atendimento:

De Terça à Domingo, das 10h às 17h.
Telefone: (11) 2645-7590
E-mail: contato@museudaimaginacao.com.br

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1355 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também