Me Tornei Avó e Mãe ao Mesmo Tempo

Rosa Santana
Mãe da Jessica 22, Willian 19 e Laura 2a 8m


♥ “As pessoas não acreditavam que éramos mãe e filha, foi uma fase gostosa. E é ainda mais gostosa agora, com as duas crescendo juntas, titia e sobrinha “

 

Me Tornei Avó e Mãe ao Mesmo Tempo

Em novembro de 2013 recebi a notícia de que minha filha mais velha estava grávida. A alegria foi total. Durante sua gravidez ela teve muitos picos de hipertensão, até que em abril de 2014, aos 6 meses sua gestação foi interrompida. Sofremos muito com a perda da pequena Lorena (esse seria seu nome). Eu estive ao lado da Jessica todo o tempo, afinal, aquela dor era tão dela quanto minha. Seguíamos nossas vidas, na certeza de que o tempo nos ensinaria a conviver com a dor.

No mês de junho, deste mesmo ano, fui fazer uma USG transvaginal por conta de um “suposto” mioma. Quando o médico introduziu o aparelho, logo retirou e me disse: Vamos mudar para USG Obstétrico, você está grávida! De repente, senti um misto de emoções, não sabia se eu ria ou chorava. Meu filho mais novo estava com 15 anos e só um agravante: meu marido fez vasectomia!

Comecei a pensar várias coisas: como vou dizer pra ele que estou grávida? Como vou dizer para minha filha que acabou de perder o bebê que estou grávida? Como ela vai reagir?

Me lembro de, na sequência, o médico dizer que eu já estava de 4 meses e que era uma menina. Pois é, 4 meses. Não me preocupava a falta da menstruação por ter o marido vasectomizado, por isso o pedido da USG transvaginal, achava que fosse um mioma.

Liguei chorando para minha mãe e contei. Ela tentou me acalmar, mas deu pra perceber o quanto ela também havia ficado chocada. Nesse dia meu marido me buscou no trabalho e quando chegamos em casa ele me perguntou sobre o exame. Como não sou de enrolação, logo lhe disse que estava grávida, que era uma menina e que já estava de 4 meses. Ele olhou pra mim e disse: “Nossa que bom! Estava preocupado achando que fosse algum problema de saúde”. Me preocupei a toa, nosso relacionamento era sólido, não havia motivo para desconfiança.

Como a Jessica reagiu a essa notícia? Não queria nem ao menos olhar a USG. Procurei respeitar, deixar que ela se sentisse a vontade para participar da minha gravidez. E isso, aos poucos, foi acontecendo e de uma forma tão intensa que parecia que a Laura era filha dela.

Em julho de 2014 Jéssica me deu a notícia de que estava grávida novamente. Fiquei brava, pois a médica a tinha orientado que esperasse pelo menos um ano para uma nova gestação, devido a pressão. mas, depois do impacto da notícia, foram muitas alegrias!

Sempre que eu ia comprar algo para a Laura, comprava também para a Alicia (ainda é assim). Brincava com a Jessica que ensinaria a Alicia a me chamar de titia, estava muito nova pra ser chamada de vovó. Nós duas saíamos na rua com aqueles barrigões (são apenas 3 meses de diferença), as pessoas não acreditavam que éramos mãe e filha, foi uma fase gostosa. E é ainda mais gostosa agora, com as duas crescendo juntas, titia e sobrinha rs.

Ah, a emoção foi enorme a primeira vez que ela me chamou de vovó. Se deixar ela passa o dia todo aqui. Até brinco que ela gosta mais da minha casa do que de mim.

Laura hoje está com 2a 8m e a Alicia 2a 5m. Trouxeram tanta alegria para a nossas vidas. Não falei para vocês do irmão, Willian. Ficou com muito ciúme da irmã mais nova no inicio, mas hoje cuida dela com muito amor e zelo.


Me Tornei Avó e Mãe ao Mesmo Tempo

 

Confira Também:

Ser avó é recomeçar!

Livros para o Dia dos Avós – 26 de Julho

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1447 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também