Febre: o que é, quando e como tratar?

22.08.2013 – A febre costuma apavorar os pais que, com frequência, tentam abaixar a temperatura super-medicando a criança.

Vamos tentar entender um pouco o que é febre

Febre é elevação da temperatura do corpo, que ocorre quando o ponto de ajuste de controle da temperatura do centro termorregulador (que fica no cérebro) está regulado acima de 37oC. Essa estrutura normalmente está programada para manter a temperatura corpórea entre 37 e 37,2oC, a despeito de variações do consumo e gasto energético e da temperatura ambiente. A produção de calor pelo corpo depende do metabolismo e da atividade física. Em condições normais, o calor produzido é dissipado pela pele e pelos pulmões.

Quando existe uma infecção, ou um processo que ative o sistema imune, substâncias (liberadas quando o corpo reage a essa infecção ou inflamação) alteram a temperatura do centro temorregulador. Assim, podemos entender que a febre é sinal de que o corpo esta reagindo. Medicar a febre, ou seja, administrar antitérmico é uma medida opcional. É importante que os pais entendam que todos os remédios têm efeitos colaterais (indesejáveis), que podem ser prejudiciais à saúde.

Antitérmicos: pode intercalar remédios diferentes?

febreO uso de vários antitérmicos intercalados a curtos intervalos é contraindicado. Caso os pais decidam usar o antitérmico, devem optar pelos que apresentam menos efeitos colaterais (o ibuprofeno ou o paracetamol), respeitando a dose adequada para o peso da criança e o intervalo recomendado entre elas. O uso de antitérmico fica reservado para temperatura acima de 39oC para melhorar o desconforto, antes de vacinas para crianças que tenham convulsão febril, crianças com cardiopatia ou doença crônica (desnutrição, anemia falciforme, doença pulmonar ou metabólica), pois a febre pode levar à descompensação do quadro.

Outra condição que pode elevar a temperatura do corpo é a hipertermia

Hipertermia é o aumento da temperatura corpórea sem a influência do centro termorregulador, ou seja, o centro continua regulado para manter a temperatura por volta de 37oC, mas determinadas condições, tais como excesso de roupa, super aquecimento ambiente, desidratação, insolação, intoxicação por alguns remédios etc., provocam o aumento da temperatura para a qual o corpo não está programado.

Nesse caso, é mandatório baixar a temperatura por meio do resfriamento externo (banho frio – e não morno, como as mães costumam fazer), hidratação, resfriamento do ambiente,  retirada de roupas, compressas frias.

Nesses casos o uso de antitérmico é ineficaz.

A febre apareceu já com 39oC. Medicar ou dar banho?

Pode medicar com antitérmico, conforme explicação já dada.

Muitos pais têm medo que a criança tenha uma convulsão quando a febre é alta. Na verdade, a convulsão febril ocorre na elevação da temperatura e não quando a febre é alta. É uma condição pouco frequente, que acomete apenas 4% das crianças entre 6 meses e 6 anos, é auto-limitada e não deixa sequelas. Nas crianças com convulsão febril, está indicado o uso de antitérmico (paracetamol) antes da aplicação de vacinas.

Algumas informações importantes:

– O uso de antitérmicos pode mascarar a evolução da doença

– Acredita-se que a febre pode ter efeito protetor na defesa contra microrganismos, melhorando a resposta imune, diminuindo a multiplicação dos microrganismos, diminuindo o tempo de excreção viral

 

Você pode gostar de ler: Quando vacinar e quando não vacinar e Conjuntivite aumenta com o clima seco

Silvia Castilho

Escrito por: Silvia Castilho

Confira os 54 posts publicados pela Silvia Castilho

Veja Também