Farmacinha: o que ter em casa e o que levar numa viagem

03.05.2013 – Farmacinha: o que ter em casa e o que levar numa viagem? A finalidade destas informações é listar apenas alguns produtos e medicamentos necessários em situações do dia-a-dia e que possam diminuir o desconforto das crianças, e não fornecer aos pais a lista de todos os medicamentos que possam ser necessários para situações de emergência.

Farmacinha: o que ter em casa e o que levar numa viagem

Podemos dividir a nossa “farmácia” em produtos destinados aos recém-nascidos, às crianças maiores e o que levar nas viagens.

Para os recém-nascidos

É conveniente providenciar antes de ir para a maternidade os seguintes itens:

1. Um pacote de fraldas de recém-nascidos.

2. Caixa de hastes flexíveis de algodão.

3. Algodão, de bolas ou os quadrados, para higiene genital.

4. Lenços umedecidos de qualidade.

5. Pacotinhos de gaze estéreis (para higiene genital e/ou limpeza dos olhos, onde não se deve usar algodão).

6. Recipientes para acondicionar adequadamente estes produtos.

7. Sabonete neutro e xampu (que devem ser usados em pequenas quantidades e testados quanto à sensibilidade do bebê).

8. Álcool 70 para higiene do coto umbilical.

9. Garrafa térmica para água morna para higiene genital.

10. Tesourinha sem ponta ou cortador reto de unhas.

11. Pente e escova de cerdas macias.

12. Termômetro para medir temperatura corporal e os que servem para medir a temperatura da água do banho.

13. Pomadas à base de óxido de zinco para prevenir assaduras.

14. Soro fisiológico nasal para ajudar na higienização das narinas.

15. Bolsa de água quente e aspirador nasal.

16. Medicamento antitérmico, inicialmente à base de paracetamol.

17. Cesta para acondicionar todos esses itens.

 

A “farmácia” das crianças maiores

Muitos pais administram medicamentos para as crianças mesmo com sintomas mínimos. Evite o abuso de medicamentos e principalmente não administre “por conta” remédios que você não está acostumado a usar.

Febre:
A febre não é a causa da doença e sim um aviso do organismo que está sofrendo alguma agressão. Apesar dos pais temerem a febre, não existe indicação obrigatória de medicá-la. Podemos fazer isso quando a febre for realmente alta, com o objetivo de dar conforto à criança. Este é o princípio que deve nortear o uso de medicamentos em casa.
Medicamentos para febre: paracetamol, ibuprofeno e dipirona. Procurar utilizar a forma mais aceita pela criança. Os medicamentos em gotas são mais fáceis de memorizar a dose. Existem medicamentos com sabores em forma de solução e também supositórios de dipirona, quando as crianças que não aceitam por boca. Lembre-se que todo medicamento apresenta algum efeito colateral e o uso de mais de um, intercalando os horários, não é indicado.
Os medicamentos para febre também servem para a dor.

Vômitos / enjôo / viagens:
Existem muitos preparados. Acostume-se a utilizar os preparados em gotas (Bromoprida e Dimenidrato).

Gases e cólicas:
Para eliminar os gases, pode-se usar simeticona gotas. Mas para cólicas os medicamentos podem não fazer efeito, pois a etiologia da cólica é a imaturidade do sistema propulsor do intestino, e isso só vai ser resolvido com o amadurecimento da criança, ou seja, com o tempo.

Anti-inflamatórios:
Não devem ser utilizados. Estão indicados em situações muito especiais apenas com receita médica.

Antibióticos:
Para viagens longas e com receita calculada pelo Pediatra, pode ser levado o produto de uso costumeiro. Sempre que possível conversar com o Pediatra. É muito complicado comprar este tipo de medicamento no exterior.

Antialérgicos:
Os pais de crianças portadoras de rinite, eczema e asma já sabem qual o medicamento a ser levado. Para eventual alergia alimentar ou picadas de insetos, levar antialérgicos mais modernos e que não dão sono como a desloratadina ou a fexofenadina.

Asma:
Geralmente as crianças asmáticas têm a sua farmácia especial para crises e medicamentos de manutenção. Levar nas viagens e quando não acompanhados pelos responsáveis, devem ter sempre o telefone dos pais para contato.

Diarreia:
O melhor é fazer dieta adequada e aumentar a oferta de líquidos e/ou soros orais. Podem ser usados os probióticos em sachês ou cápsulas.

 

Silvia Castilho

Escrito por: Silvia Castilho

Confira os 54 posts publicados pela Silvia Castilho

Veja Também