Murilo pegou gengivo estomatite herpética

02.02.2016 – Não basta ter estomatite, tem que ter a herpética: gengivo estomatite herpética, tem nome mais assustador?! Quando a pediatra diagnosticou Murilo eu pensei: “mais uma para minha caderneta de viroses na primeira infância”. Lá vamos nós!!!

Murilo começou a apresentar febre, não muito alta, próxima a 38.5, na sexta-feira à tarde. Mesmo medicando, a febre voltava na mesma intensidade depois de 5 horas. Ela persistiu assim por dois dias, e no domingo surgia 2 vezes ao dia. Murilo também começou a recusar os alimentos, ação que ele nunca o faz.

De início espiei a boquinha dele e vi dois dentes nascendo, um canino e um pré-molar. Na hora já imaginei “pronto, é o dente!”. Mas horas depois, durante um berreiro eu visualizei algumas (muitas) bolinhas na garganta, e pronto! Meu coração sentiu: estomatite ou herpangina, doenças que já tinham feito presença na minha caderneta de viroses ahahhaha.

Murilo pegou gengivo estomatite herpética

Na segunda-feira passamos pela pediatra e ela diagnosticou Murilo com a gengivo estomatite herpética. Disse que essa virose é mais “chatinha” por ser causada pelo vírus da herpes, diferente das demais estomatites que costumam ser causadas pelo vírus coxsackie.

Não existe nenhum antibiótico que a criança possa tomar, uma vez que a estomatite herpética é causada por um vírus. O tratamento se dá por amor, paciência e colo uma vez que a criança fica irritada, com fome, manhosa e constantemente febril. [Estomatite Herpética no site do Drauzio Varella]

12647889_10207787205694344_127984516_nMurilo teve febre por 5 dias completos. Eu já estava em pânico por aquela febre não passar nunca. Ele também perdeu completamente o apetite e nessas horas a gente aperta a “tecla F” da boa alimentação dos pequenos e inserimos tudo que por um milagre eles possam comer. Por aqui tentamos, muitas vezes sem sucesso: danoninho, iogurte, gelatina, sorvete, danete, papinhas da Nestlé e até chocolate rs. Mas durante 4 ou 5 dias Murilo apenas se alimentou do leitinho, na maioria das vezes após duas horas do efeito do anti-térmico.

A boquinha dele estava tomada pelas aftas, e não eram poucas. Na gengiva, na língua, no céu da boca, na garganta…..dava dó! A virose é completamente contagiosa e um dos meus maiores cuidados foi tentar evitar que Miguel e Murilo trocassem alimentos nesse período.

Durante 5 dias a pior hora era o momento de realizar a higiene bucal. A pediatra recomendou limpar a  gengiva com gazes e água filtrada e depois aplicar a pomadinha com cotonete. Gente, que agonia! Marido segurava as perninhas e os bracinhos, Murilo berrava e eu tentava limpar a gengiva, que sangrava demais. Meu coração ficava em pedaços e eu não parava de pensar que estomatite herpética era com certeza a pior virose de todas, dentre as que já haviam passado por aqui.

Mesmo morrendo de aflição percebi que a higiene era benéfica, claro, e com jeitinho eu peguei a manha. Primeiro eu escovava lentamente os dentinhos com aquela escova bem pequena (primeira dentição), depois passava o fio dental (aquele modelo infantil com haste), fazia a limpeza com algodão ou gazes e por último aplicava a pomada. O mau hálito era muito forte e meu medo era o acúmulo de bactérias e sujeira.

polyCom a correria e o cansaço apenas lembrei, no final da virose, que poderia ter feito a aplicação de laser. Na última estomatite que Murilo pegou a odonto Cassia Fukuda, aplicou em três sessões e vi uma melhora bem considerável. Se você ouvir a tempo sobre a aplicação de laser, pode fazer sim, pois ameniza as aftas e a criança consegue se alimentar naquele período após a aplicação.

Depois de 8 dias, Murilo finalmente voltou a comer como antes. Ufa! A virose chegou ao fim, que alegria. Ele voltou a sorrir, a dormir, a pedir as coisas que eu estava comendo e a paz voltou a reinar! Rs Que a próxima não chegue tão cedo, e se deus quiser, estomatite herpética nunca mais!

Se o seu filho também pegou essa “maledita” da estomatite herpética e você quiser contribuir com seus sentimentos, cuidados e dicas fique a vontade em postar nos comentários dessa matéria! Vamos tentar acalmar futuras mamães que possam estar buscando soluções sobre a virose.

 

 


Estomatite, o que fazer? (Matéria Dra. Silvia Castilho, clique aqui)

Miguel com Amigdalite, como foi? (Matéria Universo Polyana, clique aqui)

Desabafo de uma mãe de dois, 1, 2, 3….surtei! (Matéria Universo Polyana, clique aqui)

Polyana Pinheiro

Escrito por: Polyana Pinheiro

Confira os 109 posts publicados pela Polyana Pinheiro

Veja Também