Encoraje o pensamento criativo da criança

31.10.013 – Há dois anos me joguei nessa nova experiência de fazer oficinas com as crianças, eu continuo em processo de aprendizado, mas já posso querer defender algumas causas a partir disso. Nesta coluna, quero dividir algumas dessas inquietudes, além, é claro, de compartilhar os nossos tutoriais de oficinas fáceis e baratas, feitos com o maior carinho para as Mães Amigas.

“O sol não é azul, é amarelo.”

Em algumas de nossas oficinas, os pais são convidados a participar da atividade com as crianças e isso geralmente só tem bons frutos, pois integra e fortalece a relação de pai e filho. Porém, algumas vezes, escuto coisas como: “Filho, mas o sol não é azul, é amarelo” ou “Mas isso tá horrível, essa perna está maior que a outra”. Em outras situações, os pais acabam assumindo a atividade frente à equivocada percepção de incapacidade dos filhos, “Então dá aqui, deixa que a mamãe faz, você não sabe fazer…”. Quando isso acontece, a reação da criança é notável e triste, elas geralmente param a atividade, ficam frustradas ou até mesmo choram. Isso aperta o meu coração…

Essa interferência pode parecer benéfica e educativa aos olhos dos pais, mas é claramente negativa e limitante.

É através do julgamento do bonito ou feio, certo ou errado, que os pais se munem de argumentos para criticar os desenhos, objetos e esculturas feitos pelas crianças.

Pintar o céu de amarelo, fazer um elefante rosa, fazer um homem com três pernas, fazem parte do processo de desenvolvimento, da imaginação, da descoberta e dos simbolismos da criança, e a repressão e o julgamento dos pais neste momento só contribui para desencorajar o pensamento criativo.

Este poema, feito pelo pedagogo e educador Loris Malaguzzi, ilustra bem o que estou tentando dizer. Então, o meu convite para a atividade de hoje é que você reflita se está incentivando que a sua criança continue com os 100 modos de pensar, de falar etc.

Boa diversão e até a próxima!

“(…)

A criança tem cem línguas

cem mãos

cem pensamentos

cem modos de pensar,

de brincar e de falar.

Cem, sempre cem

modos de escutar

de admirar-se e de amar

(…)

A criança tem cem línguas

(e depois cem, cem, cem)

mas são-lhe roubadas noventa e nove

(…)”

 

Passo a passo para fazer um fantoche

(Clique na imagem para ampliar)

 Halloween

Divirtam-se!

 

Você pode gostar de ler:

Tarde no Parceiro – Corpo & Equilíbrio (um dia de Halloween)

Ideias para um dia de Halloween

Customizar fantasia: Super-Herói e Heroína

Como contar uma história?!

Mariana Granato Barbosa

Escrito por: Mariana Granato Barbosa

Confira os 16 posts publicados pela Mariana Granato Barbosa

Veja Também