DIÁRIO DE MÃE: Haja coração!

18.10.2013 – Que mãe nunca tomou um susto com seus filhos? Pois é, aqui já tive alguns consideráveis e lhes conto!

O primeiro susto, e o maior deles, foi trancar a Laura dentro do carro. Se você acha que já se viu desesperado é porque nunca passou por uma situação dessas: trancar seu filho dentro do carro, num calor de rachar bananeiras e em pleno Cambuí! Eu praticamente tive uma EQM (experiencia de quase morte) aquele dia! Confesso que parte da culpa foi minha em deixar o alarme nas mãos dela. Enfim… o que era pra ser um café da tarde, prazeroso, entre Mães Amigas, se tornou um pesadelo. Eu gritava: Quebrem o vidro! Me dá uma pedra! Tá calor, quebra essa po@#$% de vidro! No meu último suplício de “quebrem a po@$% do vidro”, o chaveiro apareceu à minha frente! Foram os 5 minutos mais longos da minha vida! Afff… quero esquecer esse dia!

DIÁRIO DE MÃE: Haja coração!O segundo, foi na semana seguinte ao primeiro. Ou seja, Laurinha quis testar meus nervos, né? Sabe aquele piscar de olhos que mãe JAMAIS pode dar? Eu dei e só escutei o “plaft” de uma porta batendo. Laura acabara de se trancar dentro do provador de roupas de uma loja! Por baixo, só se via um par de sandalhinhas balançando, de um lado para o outro, como quem dizia “xiii… fiz besteira de novo… dessa vez a mamãe me mata… isso se ela sobreviver”… rssss. E lá vou eu pela loja, aos berros: “Alguém abre a porta, pelo amor de Deus!!! Minha filha tá trancada!!!” O vendedor chegou calmamente e rindo. Pensei: ô céus, este ser não deve ter filhos! Abriu! E o que se viu??? Uma garotinha linda, de bochechas rosadas, rindo da minha cara de assustada. A diferença para o primeiro susto ficou por conta de saber que eu não precisaria esperar um chaveiro, que na loja tinha ar condicionado e que, por cima da porta, havia um buraco por onde eu já estava quase pulando.

E então, ontem, após longos meses dos episódios acima, minha princesa quase conseguiu me infartar!

Fomos ao Iguatemi ver o Doki (exploração Discovery Kids). Na volta, pelos corredores, começou uma brincadeira de pega-pega entre ela e o pai. Laura, claro, sempre sob nossos olhos atentos! Eis que, numa fração de segundos, ela faz uma curva e dá de cara com a porta do elevador aberta e “zapt” pra dentro! Gente! Foi um triz! Mas sabe um triz daqueles bem pequenos?? Meu marido conseguiu enfiar, praticamente, os dedos entre a porta fechando! Sem contar que ela já havia apertado 520 botoes. Ou seja, em que andar eu ia achar essa menina!?? Confesso que ainda não assimilei a situação e, como toda mãe, fico me perguntando o que poderia ter acontecido com uma criança de 2 anos e 2 meses dentro de um elevador, subindo e descendo num shopping daquele tamanho!

E os anjos da guarda, mais uma vez, estavam lá dando plantão!

Filhos… eles ainda matam a gente do coração!

Você pode gostar de ler:

DIÁRIO DE BORDO: Orlando / Desespero e alívio no final

DIÁRIO DE MÃE: Patati Patatá no motel?!

DIÁRIO DE MÃE: O “Dia de mim”

Placa-Patricia

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1278 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também