Como fazer um painel sensorial para as crianças

 

 

Juliana Torres, Psicopedagoga
Mãe da Amanda e da Alice

“Mesmo durante nossas brincadeiras em casa procuro uma forma delas estarem aprendendo algo”

 

 

27.03.17 – Sempre gostei de promover atividades para minhas filhas, que fossem capaz de estimular a aprendizagem. É na infância que adquirimos habilidades que, sendo bem trabalhadas e desenvolvidas nos darão ótimos retornos no futuro. Devido a isso, mesmo durante nossas brincadeiras em casa, procuro uma forma das minhas filhas estarem aprendendo algo, pois defendo a ideia de que a criança aprende enquanto brinca.

Uma das brincadeiras, ou melhor, um dos brinquedos que confeccionei para minhas pequenas foi o “painel sensorial”. Nesse painel são expostos vários objetos selecionados para promover uma sensação, estimulo e curiosidade, trabalhando habilidades, e trazendo a oportunidade para a criança aprender a partir de objetos que podem ser ou não considerados brinquedos.

Como fazer um painel sensorial para as crianças

Esponja de lavar louça: coloquei no painel dois pedaços de esponjas de lavar louça, um com o lado mais áspero para cima e o outro com o lado macio para cima. Assim, minhas filhas poderiam ao tocar, sentir tanto a maciez quanto a aspereza do objeto, percebendo que um único objeto pode ter texturas diferentes.

Lixa e escova de limpeza: Na medida que ia pendurando os objetos já imaginava o semblante e a reação da minha filha Alice (1 ano e 3 meses) ao sentir a estrutura desses objetos. Ela nunca tinha sentido algo áspero como uma lixa, imagina a sensação de estar sentindo pela primeira vez algo assim?

O interruptor:

Após ser descoberto, tornou-se o grande encanto das meninas, porque ao aperta-lo, acendia luzes de led no painel (obra do meu marido). Meu Deus! O que foi a descoberta desse interruptor? As meninas ficaram fascinadas acendiam e apagavam as luzes varias vezes extasiadas, pois aqui em casa não alcançam os interruptores nas paredes. Esse estava ao alcance de suas mãos e o melhor é liberado para brincar.

Alpiste e Feijão: Também deixei a disposição objetos que despertassem outras sensações como dois sacos, um com alpiste e outro com caroços de feijão cru. Assim, elas podiam manipular os grãos dentro do saco e perceber que existia ali um espaço limitado. Amanda minha filha mais velha de 3 anos, apertava o saco buscando acomodar todos os grãos em suas mãos.

Espelho: Para estimulo da visão e conhecimento de imagem pessoal. Quem se identificou com esse objeto foi Alice, ela se aproximava e se distanciava do espelho, e abria e fechava os olhos, como quem esta se conhecendo e conhecendo suas expressões faciais.

Calculadora, controle remoto e botões de roupas: Qual criança não demonstra um certo fascínio por objetos com botões?. Alice sempre demonstrou muito interesse nos botões de nossas roupas, por isso deixei alguns expostos para que ela pudesse explora-los. Para a Amanda o estimulo também estava relacionado aos números desenhados nos botões. Esse foi o primeiro objeto que a encantou, ela apertava os números da calculadora e falava-os em voz alta.

Zíper:

Um dos meus objetos preferidos, por se tratar de um desafio para a coordenação motora fina. A criança precisa fazer um movimento muito delicado, que é pegar com a ponta dos dedos para abrir e fechar o zíper. Amanda, ela amou abrir e fechar o zíper e dizia “mamãe isso parece mágica”

Alice demonstrou maior encanto por dois objetos em especial, o ferrolho e o molho de chaves, ambos pelo mesmo sentindo: o som que emitiam ao serem manuseados.

Tinham também mini livros. Coloquei com o objetivo das meninas manuseares e folearem, foi exatamente isso que aconteceu. Amanda, que ainda não está alfabetizada, lia as imagens inventando estórias e contando-as em voz alta, exercitando a linguagem oral e a criação.

Um objeto fantástico foi a roda, retirei de um brinquedo que já estava quebrado e deixado de lado. Quando colocamos no painel ele ganhou um novo sentido. As meninas giravam e adquiriam ali noção de rápido e devagar.

Os três últimos objetos foram colocados pelo mesmo motivo: trabalhar concentração e lateralidade são esses: leque, suporte de passa-argolas e latinha de bolinhas. Não foram os primeiros objetos a serem vistos e manuseados. Amanda perguntou como deveria brincar, achou grande desafio em passar as argolas no suporte.

Em fim, o painel sensorial foi e esta sendo uma experiência extremamente rica, algo tão prático e de um valor enorme para o aprendizado das minhas pequenas. Estamos deixando o painel exposto na parede da sala de jantar e a qualquer momento que queiram as meninas podem manuseá-lo, e elas querem toda hora!

Gostaria de encorajar outras mamães a apropriarem-se desta experiência para que seus pequenos possam assim como minhas pequenas, Amanda e Alice aprender em quanto brincam.

Como fazer um painel sensorial para as crianças

 

Confira Também:

Faça você mesmo: Brinquedos criativos para o dia das crianças

Como fazer massinha de modelar caseira

Brinquedos simples, que educam!

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1304 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também