? Mães Amigas - Cesárea também pode ser um parto humanizado

Cesárea também pode ser um parto humanizado

10.09.2013 – O jargão “Parto Humanizado” tem sido usado com bastante frequência, porém raramente espelha seu real significado. Muitos entendem tratar-se apenas de partos naturais ou domiciliares e há quem entenda que humanizar é ligar a música, abaixar a luz e permitir o pai acompanhar o nascimento, mas na verdade é muito mais do que isso!

Humanizando Partos

Parto Humanizado é aquele que respeita a mulher! Dizer que um parto é humanizado não tem nada a ver com a via de parto. Não importa seja ele normal ou natural, induzido ou cesárea, domiciliar, espontâneo ou o que seja. Um parto humanizado é unicamente aquele em que a gestante é tratada como a verdadeira protagonista deste magnífico evento biológico, fisiológico, psíquico, social, cultural e até espiritual que é o parir e nascer. Em última análise, isso significa que um parto cesáriana pode ser muito humanizado e um vaginal, pode ocorrer sem qualquer humanização. Humanizar é respeitar os anseios desta grávida sem induzi-la a como se comportar ou tolhi-la de suas preferências tratando-a como uma “paciente”, vítima de uma enfermidade, ou do próprio sistema de saúde.

Humanizando Nascimentos

5173_fullMas humanizar ainda não para por aí. Há que se respeitar também esta criança que chega ao mundo! O recém-nascido é um ser humano como cada um de nós e como tal tem seus direitos. Por ser inocente, frágil e indefeso não pode expressar seus sentimentos, seu estresse de chegar ao mundo ou sua dor à primeira inspiração. Já ao ar livre, seu cordão lentamente para de pulsar e sua ligação ao ventre materno desaparece em alguns minutos, no seu próprio tempo, que deve ser aguardado antes da secção total.

Oferecer o seio materno imediatamente após o parto, também é uma atitude saudável para a mãe e para o bebê. Portanto, ter na hora do parto um pediatra que saiba tratar o bebê com sensatez sem precisar, por questões protocolares, invadi-lo com sondas aspirativas, esfregações rudes, injeções e colírios abrasivos, faz parte integrante de um parto humanizado.

Saber é Poder

Enfim, para a mulher empoderar-se do momento de dar à luz é preciso muita informação e conhecimento. Somente conhecendo alguns dados concretos de evidências cientificas será possível tomar decisões adequadas e necessárias para detalhar o seu Plano de Parto.

Por isso, digo e repito:

“Só pode desfrutar de um parto humanizado aquela mulher que mergulha profundamente no seu sublime estado gestacional e, além de viver intensamente esta fase, se nutre da sabedoria necessária para assumir o protagonismo de seu próprio parto, de seu próprio corpo e consequentemente de sua família e sua vida!”

 

Protagonistas do próprio parto

Parto Humanizado em Casa

Assista ao vídeo da mãe que filmou o parto domiciliar e teve mais de 3.855.000 acessos  na web. Confira o documentário que o Grupo Mães Amigas fez com a protagonista, Sabrina Ferigatto – Clique aqui.

Parto Humanizado no Hospital

Conheça também a história da Mãe Amiga, Carol Sae, que fez uma primeira cesárea eletiva e lutou de todas as formas para ter um parto normal na segunda gestação. Além de conseguir atingir esse objetivo, ela teve um parto humanizado dentro do hospital. Clique aqui

Sou uma Mãe Amiga

Conheça outras histórias compartilhadas por Mães Amigas. Só quem é mãe entende…

Se você também viveu um parto humanizado, seja ele natural ou cesárea, em casa ou no hospital, compartilhe conosco!

 

O Grupo Mães Amigas fez uma Roda de Debate sobre o tema desse texto, confira as fotos do evento. O palestrante foi o escritor desse post e também nosso novo colunista (o primeiro homem a escrever para nós…kkkk…), Dr. Ayrton Daniel Filho – Obstetra de mais de 4.000 partos!

Ayrton Daniel Filho

Escrito por: Ayrton Daniel Filho

Confira os 6 posts publicados pela Ayrton Daniel Filho

Veja Tambm