Amamentação foi um prazer

selo materia mae amiga

 

Kelly Francucci

Mãe da Liz

♥ “Se a sua cabeça estiver dentro do seu coração, tudo vai dar certo.”

 

17.02.2016 – Eu sempre tive peito pequeno. Na verdade, quase nada.

Quando descobri que estava grávida, fiquei muito preocupada em como o crescimento deles e como toda a amamentação afetaria depois. Mas, para minha surpresa, com 5 meses de gestação, com Liz ainda na minha barriguinha, já tinha colostro saindo deles.

Amamentação foi um prazer

amantecao6Minha médica sempre acompanhava e me tranquilizava dizendo que isso era ótimo! Ela me deu orientações apenas para dar banho de sol no bico, mas moro em apartamento e isso não foi possível. Acabou que não usei nenhum creme, nem pomada, nem qualquer outro “truque” que a gente ouve por aí.

No dia 2 de setembro, Liz nasceu, fofinha, pesando 3,500 kg. Assim que fui levada ao quarto, uma enfermeira trouxe minha filha e disse: “Fique calma que logo logo uma especialista vai te ensinar como fazer “a pega” correta.”

Não consegui esperar.

“Eu simplesmente segui meu instinto em colocá-la ali pertinho do meu peito e “pluc””

Assim que a Liz me sentiu, começou a chorar procurando o “mamazinho” dela. Eu simplesmente segui meu instinto em colocá-la ali pertinho do meu peito e “pluc”, ela era boa de boca também e fez “a pega” super certinha, boquinha de peixinho e estávamos lá, nós duas, curtindo aquele momento único.

amantecao4Ela segurando no meu dedinho, fazendo aquele barulhinho de satisfação, e eu me sentindo agraciada demais em poder trocar esse amor todo que transbordava de mim.

“Eu me sentindo agraciada demais em poder trocar esse amor todo que transbordava de mim.”

No dia seguinte, por um problema sanguíneo (meu marido é B- e eu O+, Liz nasceu O-), ela precisou ficar naquele famoso banho de luz, para que a bilirrubina dela estabilizasse. Fui até a UTI amamentá-la e estava apavorada. Não queria ter que ir embora e deixá-la ali.

Quando cheguei uma enfermeira muito amorosa, e já com seus cabelinhos brancos, me viu com aquele olhar de medo e acho que sensibilizada me disse: “Quanto mais você amamentá-la, mamãe, mais rápido ela vai sair daqui. Fique tranquila, eu vou fazer seu leite descer.”

Ela era um anjo, tenho certeza! Esse anjo, ensinou meu marido a fazer uma massagem no meu peito enquanto amamentava Liz (porque até então o que saia era apenas muito colostro) e, como num passe de mágica, comecei a jorrar leite, tanto que Liz se afogava naquele mundão branquinho saindo da boquinha dela, rs. Outro peito ficava vazando e vazando.

“Como num passe de mágica, comecei a jorrar leite, tanto que Liz se afogava naquele mundão branquinho saindo da boquinha dela”

Nesse mesmo dia soube que Liz sairia do hospital. A noite veio a noticia: Sim! Teríamos alta!!!

amantecao2Sai de lá, com ela, me sentindo maravilhada. A mais poderosa de todas, porque sabia que EU tinha conseguido.

Desde esse dia, era impressionante como as mamadas da Liz sempre foram lotadas de muito leitinho, de muitos olhares amorosos e de satisfação para nós duas.

Sempre ouvi falar que o leite materno evita cólicas e Liz nunca teve um dia em que chorasse por isso. Claro que eu também cuidava de tudo que comia, mas de um modo geral, ela sempre foi muito saudável, não teve nenhum tipo de dodói, até 1 ano e 5 meses.

Seus primeiros dentinhos nasceram com 5 meses de idade (me falaram que o leite materno ajuda no desenvolvimento dos dentinhos, e com a Liz deu certo!).

“Se a sua cabeça estiver dentro do seu coração, tudo vai dar certo.”

Quando me perguntam sobre problemas na amamentação, ou dores, ou qualquer outro sintoma negativo, costumo sempre relatar minha experiência, que claro, não é igual para todas as mamães, mas acreditem: esse momento é feito de sentimentos. O que você sente, você transmite naquela hora. Se a sua cabeça estiver dentro do seu coração, tudo vai dar certo.

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1355 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também