Adaptação escolar envolve criança, pais e escola, afirma psicoterapeuta

24.01.2018 – Uma das primeiras mudanças que as crianças enfrentam na vida é a Adaptação escolar. Isso porque os pequenos se afastam do convívio familiar e passam a relacionar-se com outras pessoas, inclusive da sua idade.

Quando esse processo se dá na fase de alfabetização, ou seja, envolvendo crianças de 4 a 5 anos de idade, a passagem ocasiona o início de responsabilidades. Tal aspecto torna a situação ainda mais delicada para pais e filhos.

Por isso, nós conversamos com uma profissional da área da psicologia e da educação para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto.

“Adaptação escolar envolve criança, pais e escola”

A afirmação é da psicóloga especializada em psicoterapia para crianças e adolescentes Mônica Pessanha, que também ministra palestras sobre as dificuldades vividas pela família e pela escola. “As chances das novidades serem atraentes para as crianças pequenas são maiores quando enfrentadas na companhia de uma pessoa querida ou especializada”, afirma. Mônica mantém, ainda, as oficinas terapêuticas Brincadeiras Afetivas e Mães&Divã e presta consultorias em orientação familiar. Por fim, escreve na revista MALU e no blog Cheguei ao Mundo, nos quais atua como colunista.

Em geral, qual é o principal desafio que uma criança de 4/5 anos enfrenta ao mudar de nível escolar? Por que? O maior desafio é o fato de que muitas crianças se separam das pessoas que integram o ambiente familiar no qual elas estão inseridas nesse período. Isso pode acarretar a elas uma série de preocupações. Nessa idade, as crianças ainda não conseguem distinguir entre fantasia e realidade, logo elas imaginam que seus pais não vão buscá-las. Além disso, elas também enfrentarão desafios quando começarem a se relacionar com outras crianças, pois no início isso pode causar receio na criança e nos pais. Por fim, sentir as responsabilidades que naturalmente passam a surgir é um momento difícil para os pequenos.

De quais formas essa criança pode reagir a essa mudança? Passar a conviver com um grupo maior de adultos e crianças e frequentar um ambiente diferente é uma novidade que pode ser estranha para o novo aluno. Essas inovações podem ser tanto atraentes para as crianças pequenas, se enfrentadas em companhia de uma pessoa querida, quanto lhes causar medo e insegurança. Isso porque o distanciamento com relação aos pais pode fazer com que elas se sintam sozinhas.

Não chorar nesse momento significa já estar adaptado(a)? Não. As crianças podem demonstrar medo também ficando tristes ou quitas demais, por exemplo.

Muitas vezes os pais também sentem os efeitos da mudança escolar dos filhos. O que precisa ser feito para que esses responsáveis compreendam melhor essa fase e sintam-se seguros para dar apoio aos filhos? A escola deve oferecer a base para a adaptação dos responsáveis. Promover encontros de pais com especialistas é um exemplo de recurso de apoio. Vale também ter uma equipe de pessoas disponíveis para ouvir um desabafo, conversar, orientar, etc. Uma escola aberta a diálogos é sempre uma escola mais acolhedora e confiável.

“É importante que os pais tenham em mente

que dar às crianças experiências sociais diferentes

das experiências familiares

é algo necessário”

 

O que os pais e a instituição de ensino podem fazer antes do início e durante as aulas para facilitar a adaptação escolar? O período de adaptação deve ser cuidadosamente planejado por ambos os citados de acordo com as necessidades que a criança tem no momento. O objetivo deve ser promover a confiança e o conhecimento mútuo. Dessa forma, são estabelecidos vínculos afetivos entre as crianças, as famílias e os educadores.

 

 

Confira também:

Meus filhos tiveram que se adaptar à escola nos EUA

As dificuldades escolares das crianças

Bárbara Brambila

Escrito por: Bárbara Brambila

Confira os 25 posts publicados pela Bárbara Brambila

Veja Também