? Mães Amigas - A importância do brincar

A importância do brincar

24.06.2013

selo materia mae amiga

Renata Maria Medeiros Usberti

Mãe do Roberto, o Betinho (5 anos), e da Amandinha (2 anos)

♥ Sou fonoaudióloga, trabalho na Escola de Educação Especial “Associação Pestalozzi de Campinas”, em Home Care e com atendimentos domiciliares. As brincadeiras e os jogos fazem parte da minha vida, tanto como mãe quanto como profissional.

 

Você provavelmente já escutou aquela expressão: “é brincando que se aprende”. Isso mesmo!

Brincando a gente realmente aprende e o melhor: em qualquer fase da vida!

E é por este motivo que hoje eu quero contar para vocês sobre algumas brincadeiras consideradas simples, mas muito importantes para o desenvolvimento neuropsicomotor de nossos filhos.

Desenvolvimento neuropsicomotor, falando a “grosso modo”, é crescer desenvolvendo adequadamente habilidades – motoras, sensoriais, cognitivas, linguísticas – necessárias para o nosso crescimento, aprendizagem, independência, autonomia e muito mais. Esse desenvolvimento começa no nascimento do recém-nascido, que é totalmente dependente das pessoas em sua volta. Isso porque seu sistema nervoso não está pronto e precisa ser estimulado para se desenvolver. São os adultos que vão, primeiramente, mostrar o mundo, dar nome às sensações (frio, cólica, fome) a esse bebê que acabou de chegar.  E onde entra o brincar em tudo isso?

brinquedos_blog materno maes amigas

Por meio das brincadeiras, podemos estimular algumas habilidades como atenção, concentração, memória, ritmo, coordenação motora, equilíbrio, respeito às regras e muitas outras. Quando os pais brincam com seus filhos, não só ajudam no seu desenvolvimento, como também estabelecem ligações afetivas, fortalecem o vínculo, fazendo com que as crianças cresçam mais seguras de si. Além disso, os pais vão ter um momento para relembrar da própria infância, sentir prazer e ter alguns momentos para aliviar as tensões e o estresse do dia-a-dia. Enfim, brincar só trás benefícios para todos!

Jogos motores, jogos de encaixe, jogos verbais, jogos de raciocínio, jogos simbólicos, brincadeiras musicais, ufa. Tem brincadeiras para todos os gostos. 

Mas… por onde começar?

Primeiramente é importante escolher uma brincadeira de acordo com a idade da criança. Se você não sabe, fique tranquilo, pois existem diversos livros que funcionam como guia para nos ajudar a procurar as brincadeiras mais interessantes e divertidas, em cada fase da vida.

Outra coisa importante é verificar o selo de segurança do INMETRO quando vamos comprar um brinquedo para nossos filhos. Isso porque tem brinquedos que podem causar risco à saúde dos pequenos. Exija o selo de segurança sempre.

Agora, se você é adepto daqueles brinquedos construídos junto com seus filhos, excelente. Isso é ótimo para estimular o processo de aprendizagem dos pequenos, mas o cuidado precisa ser redobrado para a brincadeira não virar confusão, muito menos contusão.

Para terminar, vou deixar aqui uma sugestão de brincadeira fácil, agradável e de custo zero que pode ser feita a partir dos oito meses de vida até dois anos de idade, ou até o colo do papai ou da mamãe aguentar o peso da criança: cavalinho.

Pegar o bebê (este já precisa sustentar o pescoço e o tronco), colocar sentado em suas pernas de frente para você e balançar as pernas suavemente dizendo “pocotó, pocotó”, ou estalando a língua fazendo o barulho do cavalo. O movimento da perna, associado ao barulho, fará com que o bebê receba, além do contato corporal, estímulos auditivos, visuais e motores (equilíbrio e ritmo). Gostou? Então mãos à obra e bom divertimento!

 

 

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1651 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Tambm