7 respostas sobre o teste da orelhinha

7 respostas sobre o teste da orelhinha

13.11.17 – O teste da orelhinha é feito nos primeiros dias de vida do bebê e é muito importante para sua saúde. Recentemente, a maternidade de Campinas divulgou que 30% dos testes auditivos com alteração tem sido ignorado pelos pais. Pensando na importância do exame e do diagnostico precoce conversamos com a fonoaudióloga Dra. Letícia Reis Borges para tirarmos algumas dúvidas. Confira 7 respostas sobre o teste da orelhinha!

7 respostas sobre o teste da orelhinha

1) Como é feito o teste da orelhinha nos recém-nascidos?

Entre os procedimentos realizados ainda na maternidade, logo após o nascimento do bebê, está a triagem auditiva neonatal. Ela avalia a audição do recém-nascido por meio da avaliação das Emissões Otoacústicas ou mais conhecido como “teste da orelhinha”. O exame é feito, geralmente, no segundo ou terceiro dia de vida, é indolor, rápido e é feito enquanto o bebê está dormindo. A avaliação das Emissões Otoacústicasé realizada pelo fonoaudiólogo por meio de uma sonda colocada no meato acústico externo no neonato a qual produz estímulos sonoros leves e tem como objetivo avaliar a funcionalidade das células ciliadas externas localizadas na orelha interna.

2)  Por que o teste da orelhinha deve ser feito assim que o bebê nasce?

Quanto mais cedo for identificada a alteração auditiva, mais precocemente são realizados o diagnóstico e a intervenção.

3)  O teste é obrigatório e gratuito em todas as maternidades?

A Lei nº 12303 de 02 de agosto de 2010 determina a realização gratuita do exame de Emissões Otoacústicas Evocadas, em todos os hospitais e maternidades, nas crianças nascidas em suas dependências. Os neonatos nascidos fora do ambiente hospitalar devem fazê-lo até o terceiro mês de vida.

4)  Qual a importância do teste da orelhinha?

Este teste é importante pois bebês com perda auditiva diagnosticada ao nascimento e com tratamento iniciado até os 6 meses de idade, apresentam desenvolvimento muito próximo ao de uma criança ouvinte. O diagnóstico após os 6 meses de idade pode comprometer o desenvolvimento da criança e sua relação com a família.

5)  Quais as vantagens de ter um diagnóstico precoce?

Ouvir é fundamental para comunicação. O diagnóstico precoce contribui para o adequado desenvolvimento de fala e linguagem. É por meio da linguagem e audição que podemos expressar nossas vontades e necessidades e que compreendemos as mensagens que são enviadas.

6)  Recentemente a Maternidade de Campinas divulgou uma pesquisa falando que 30% dos testes auditivos com alteração em bebês são ignorados pelos pais. Após receber o diagnostico, qual é a primeira coisa que os pais devem fazer?

Após receber o diagnóstico a família deve procurar um médico otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo para iniciar a intervenção com o uso de aparelho de amplificação sonoro individual, além de iniciar a reabilitação auditiva com fonoaudiólogo que estimulará o desenvolvimento da audição.

7)  A demora na procura de um tratamento pode atrapalhar o desenvolvimento da audição da criança?

A demora para o início da intervenção auditiva pode levar a dificuldades no desenvolvimento das habilidades de comunicação, linguagem, fala, cognição, no processo acadêmico e na aprendizagem. A identificação, diagnóstico e a intervenção precoce podem eliminar, ou pelo menos minimizar, esses efeitos no desenvolvimento da criança com algum grau de deficiente auditiva.

 

Dra. Leticia Reis Borges fonoaudióloga e doutora em ciências médicas pela Unicamp
Participação da Dra. Camila Madruga fonoaudióloga e mestre em ciências médicas pela Unicamp

 

Confira Também:

Implante coclear infantil- para que serve?

Meu filho não escuta bem, pode ser otite

Saúde auditiva do bebê: como cuidar?

7 respostas sobre o teste da orelhinha

@ Mães Amigas

Escrito por: @ Mães Amigas

Confira os 1494 posts publicados pela @ Mães Amigas

Veja Também